Santarém - 356 anos

Santarém - 356 anos

..

..

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Morno

O debate promovido pela TV Santarém na noite desta quinta-feira, entre os prefeituráveis Joaquim Hamad, Joaquim Lira e Márcio Pinto foi morno do início ao fim.
Compartilhar:

quarta-feira, 30 de julho de 2008

MRN emplaca 3 cases na final do prêmio Aberje

Os jornalistas que estiverem no VI Congresso Estadual dos Jornalistas, que ocorre em Belém nos dias 1º e 02 de agosto, terão um local para acessarem a Internet durante os intervalos, no Hangar. É que a Mineração Rio do Norte (MRN), uma das apoiadoras do evento, irá montar um espaço com computadores conectados à rede, além de sofás e pufs, onde os participantes poderão, durante os intervalos, bater um papo e ficar por dentro das notícias publicadas nos jornais do dia.

A Mineração Rio do Norte emplacou 3 cases na etapa final do prêmio ABERJE, regional Norte e Nordeste. Estão concorrendo a publicação Quilombolas, na categoria Publicação Especial, e a campanha MRN: Uma história de Desenvolvimento, na categoria Comunicação de Marca. A campanha União, que leva o mote “A força da MRN vem da nossa união” disputa na categoria Comunicação e Relacionamento com Público Interno. A apresentação de defesa dos trabalhos será no dia 29 de agosto, em Salvador.

Compartilhar:

segunda-feira, 28 de julho de 2008

Círio de Oriximiná

Em Oriximiná, no mês de agosto, acontece o tradicional Círio de Santo Antônio, considerada a maior procissão fluvial do país. Centenas de embarcações sairão da comunidade do Caipuru em direção ao Porto de Oriximiná. Nos últimos anos, a decoração do barco que leva a imagem de Santo Antônio tem sido feita por artesão dos bois Caprichoso e Garantido, de Parintins (AM).
Compartilhar:

Agenda

A candidata da Coligação “A Mudança vai Avançar”, Maria do Carmo Martins, estará hoje a partir das 14h00 em reunião com lideranças no planalto. À noite, Maria cumpre agenda oficial de Prefeita.
Compartilhar:

MRN comemora 29 anos em Oriximiná

A Mineração Rio do Norte comemora este ano, no mês de agosto, 29 anos de atuação no município de Oriximiná, no Oeste do Pará. Cerca de seis mil pessoas vivem e trabalham em Porto Trombetas, complexo urbano-industrial da empresa.

A MRN é a maior produtora de bauxita do país, minério do qual se extrai o alumínio. Em geral, a produção da empresa é toda destinada aos próprios acionistas. São eles: Companhia Vale do Rio Doce - CVRD (40%), BHPBilliton Metais (14,8%), Alcan Participações (12%), Companhia Brasileira de Alumínio - CBA (10%), Alcoa Alumínio (8,58%), Norsk Hydro (5%), Alcoa World Alumina (5%) e Abalco (4,62%).

Além disso, a empresa possui uma forte atuação na área de responsabilidade social na região Oeste do Pará, onde está inserida. Por iniciativa própria, investe em projetos sociais, baseados em quatro pilares: saúde, educação, desenvolvimento sustentável e meio ambiente. Atualmente, a MRN está presente em várias ações que estão diretamente relacionados aos oito objetivos do milênio, estabelecidos em 2000 pela ONU (Organização das Nações Unidas).

História - A história da empresa teve início com a descoberta pela Alcan, em 1967, das primeiras ocorrências de bauxita. Naquele mesmo ano, em 05 de junho, foi constituída a Mineração Rio do Norte para lavrar, beneficiar e comercializar a bauxita da principal jazida denominada Saracá.

As atividades operacionais só começaram em 1979, com capacidade para produção de 3,35 milhões de toneladas e vendas garantidas aos seus próprios acionistas por meio de contratos de longo prazo.

O primeiro navio carregado com minério partiu com destino ao Canadá, no dia 13 de agosto de 1979. A capacidade inicial de produção cresceu ao longo nos anos, em função do aumento da demanda de mercado e da ótima aceitação da bauxita produzida pela MRN pelas refinarias de todo o mundo.

Entre 2001 e 2003, a empresa investiu US$ 223 milhões em um grande projeto de expansão. Com isso, a capacidade instalada de produção saltou de 11 milhões para 16,3 milhões de toneladas de minério nesse período e, no ano passado, já atingiu a cada das 17,8 milhões de toneladas produzidas.
Compartilhar:

sábado, 26 de julho de 2008

Jovens fazem apologia ao nazismo em Santarém

Um perigo que parecia distante da realidade de Santarém tornou-se uma ameaça à sociedade santarena. Depois da divulgação de um vídeo pornográfico na internet, que mostra um grupo de rapazes praticando sexo com menores, descobriu-se que estes jovens são membros de comunidades nazistas, que disseminam o ódio e o preconceito. Em conversa com alguns desses rapazes, eles dizem, sem medo, que o grupo imita a truculência nazista e promove movimentos preconceituosos no município e, em nome da discriminação, agridem e violentam adolescentes.

No Brasil, através de sites de relacionamento como o Orkut, surge a cada dia grupos de jovens que cultuam o nazismo e fazem referência à violência.

Na semana passada, Wellington Ferrari foi apresentado na Delegacia de Crimes Contra a Integridade da Mulher (DCCIM) para prestar depoimento sobre a possível prática de pedofilia e exploração sexual de menor. No vídeo, que chegou ao conhecimento da polícia, ele e outros amigos aparecem fazendo sexo com quatro menores. A filmagem foi feita em um motel da cidade. O vídeo foi colocado pelo próprio rapaz na internet e chegou aos celulares de várias pessoas, causando constrangimento às famílias das adolescentes.

Segundo uma fonte da Polícia Civil, há uma investigação em andamento que visa a identificação de pessoas que atuam na exploração sexual de menores. A polícia não tem dúvida que jovens com certo nível cultural têm influência junto às adolescentes, geralmente meninas pobres, menores de 17 anos, que se deixam envolver pelo dinheiro ofe-recido por esses elementos. Casos como o de Ferrari, que abusou das menores não pode continuar impune.

Outros vídeos colocados por ele no Youtube, feitos no interior de uma farmácia e no veículo do rapaz, mostram meninas com vários rapazes, praticando atos libidinosos.
A delegada da Mulher, Márcia Rabelo, preside o inquérito policial sobre este episódio e disse que a polícia está tomando certo cuidado para concluir o caso.
Segundo ela, independentemente de a menor de 13 anos afirmar que foi para o motel por vontade própria, a filmagem obtida pela polícia serve como prova do crime. O próprio acusado que aparece no vídeo fazendo sexo oral com a criança. "Isso se caracteriza um atentado violento ao pudor", disse a delegada, informando que vítima e acusado apresentam versões controversas do caso. Ele nega ter mantido relação sexual com a menor, que por sua vez, afirma que fez sexo com Ferrari.

Márcia Rabelo explica que neste caso, a menor é tratada como vítima de estupro e atentado ao pudor, independente de qualquer situação que a levou praticar o ato.
A outra adolescente, de 15 anos, a polícia aguarda a comprovação e denúncia dos pais, o que ainda não aconteceu. "Mas se ela chegar à delegacia e disser que realmente manteve a relação sexual de livre e espontânea vontade sem nenhum tipo de crime ou pais também não levarem adiante a denúncia, a polícia vai insistir na tese de corrupção de menores. Vamos esclarecer todos os pontos obscuros para identificar e punir os responsáveis por essa prática", disse Márcia Rabelo.

A delegada informou que os rapazes que aparecem no vídeo já foram identificados. Um maior e um menor. O outro envolvido, também já identificado, está em Belém, mas seu advogado disse que irá apresentá-lo à polícia, caso isso não aconteça será considerado foragido. Márcia pretende, na próxima semana, fazer a acareação entre todos os envolvidos.

O que diz o ECA - O artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) prevê que é crime 'produzir ou dirigir representação teatral, televisiva, cinematográfica, atividade fotográfica ou de qualquer outro meio visual, utilizando-se de criança ou adolescente em cena pornográfica, de sexo explícito ou vexatória'.

A pena é reclusão, de dois a seis anos, e multa. O Código Penal prevê em seu artigo 218 o crime de corrupção de menores: 'Corromper ou facilitar a corrupção de pessoa maior de 14 e menor de 18 anos, com ela praticando ato de libidinagem, ou induzindo-a a praticá-lo ou presenciá-lo'. A pena prevista é de reclusão, de um a quatro anos.
Apologia ao nazismo - Numa investigação detalhada sobre o assunto, a reportagem do Jornal A Cidade descobriu, através do Orkut, na página mantida por Wellington Ferrari, que ele faz apologia ao nazismo e também exibe fotos de menores seminuas.

Além disso, também há fotos em que rapazes fazem demonstração com armas e gestos obscenos. Em algumas fotos, Ferrari aparece com símbolos do nazismo desenhado no próprio corpo.

A pena para quem divulga material de conteúdo neonazista é de dois a cinco anos. Ela existe desde 1997, quando foi alterada a lei contra o racismo, incluindo como crime a divulgação da ideologia e de símbolos nazistas.

Em um site de relacionamentos na internet, os jovens mantêm imagens e fotos que misturam os símbolos de clubes de futebol e do nazismo. "Eles seguem isso como uma religião, uma filosofia de vida", afirma nossa fonte.

Os jovens têm hábitos parecidos e freqüentam bares e casas noturnas da cidade. O perigo aumenta quando anoitece e as ruas ficam quase vazias. Basta um encontro para explodirem atos de selvageria e vandalismo. Nos locais onde se reúnem para ingerir bebidas alcoólicas e consumirem drogas, esses indivíduos também se envolvem em brigas. Muitos desses elementos são praticantes de jiu-jítsu. Na maioria dos casos, os grupos são formados por jovens que têm entre 14 e 26 anos e, geralmente, andam armados.

O problema, segundo a polícia, é que os grupos radicais tentam se impor pela força. "Existe um culto à violência nas gangues", afirma um dono de clube da cidade, que sempre tem problemas com esses jovens.

Aos pais, uma pergunta que continua sem resposta: você sabe com quem seu filho anda?
Compartilhar:

Calypso é a atração do 14º Festribal de Juruti

O município de Juruti se prepara para uma das mais emocionantes batalhas da Amazônia. As cores das tribos Mundurukus e Muirapinima já enchem a cidade, que já está em contagem regressiva para a 14ª edição do Festival das Tribos Indígenas (Festribal), que será realizado entre os dias 31 de Julho e 2 de agosto. A atração especial esse ano é o show da Banda Calypso, na noite de abertura.

A paixão pelas tribos está em todos os lugares: nas roupas, nos acessórios, nos barcos e até nas fachadas das casas, onde balançam bandeiras nas cores azul e vermelho dos Muirapinimas e amarelo e vermelho dos Mundurukus. A tirar pelos ensaios, todas as noites, das 21 horas às 23h30, este ano a disputa promete ser acirrada.

O Festival das Tribos Indígenas de Juruti ocorre sempre no último final de semana do mês de Julho, em uma grande arena em forma de canoa, onde um espetáculo a céu aberto retrata a cultura indígena em forma de músicas, artes cênicas, tribos coreografadas, alegorias, rituais e os chamados itens individuais, que são a porta-estandarte, a guardiã tribal, a índia guerreira, o pajé e o tuchaua. Cada tribo leva em média três horas para se apresentar, sendo que o tempo de permanência de cada uma no Tribódromo também conta pontos na hora da avaliação. A vencedora do Festribal 2007 foi a Tribo Mundurukus, com uma dife-rença de apenas cinco décimos sobre a adversária, a Tribo Muirapinima.

Por meio da Lei 7.112/2008, o Festribal foi reconhecido em 2008 como patrimônio artístico e cultural do Pará. Portanto, a partir dessa iniciativa, o festival passa a fazer parte do calendário oficial de eventos do Estado. Isso também significa que o Governo do Estado passa a patrocinar anualmente a festa, além da Prefeitura de Juruti e da Alcoa, que pelo sexto ano consecutivo investe no Festribal, destinando recursos diretamente para as tribos.

No ano passado, de acordo com dados oficiais da Secretaria Municipal de Cultura, cerca de 30 mil pessoas prestigiaram as três noites da festa e puderam ver a apresentação de grandes estruturas cênicas, com efeitos de luz e som, e alegorias cheias de cor e movimento. Tudo isso é executado por uma média de 600 em cada tribo, desde a produção até a apresentação.

Ney Juruti, vice-presidente da Tribo Muirapinima antecipa o tema que será trabalhado esse ano: "A Amazônia não pode esperar". Ele conta que, ao defender essa temática, a tribo faz um alerta pela preservação da biodiversidade. De acordo com o presidente da Tribo Mundurukus, Júnior Batista, pelo segundo ano consecutivo o tema "Amazônia: o templário da vida" dará o tom da apresentação. O sub-tema em 2007 foi "Amazônia: cunhantã dos olhos do mundo". Este ano, como estratégia para vencer o festival, os Mundurukus só revelarão a temática no momento da apresentação.

HERANÇA INDÍGENA - A apresentação de figuras saídas do imaginário caboclo enche os olhos dos espectadores do Festribal. A performance do ritual é considerada um dos momentos mais emocionantes da apresentação de cada tribo. São imagens, movimentos, sons e cores que remetem à herança indígena guardada pelo povo de Juruti. E para conseguir nota 10 dos jurados, Mundurukus e Muirapinimas contam cada uma com a apresentação de um pajé e suas tribos indígenas, que homenageiam tribos amazônicas.

O pajé Mundurukus é representado por Francineuber Batista, de 25 anos. Segundo ele, o pajé é o principal item dentro do ritual, que normalmente traz uma história indígena a ser resolvia. Depois da participação do pajé dentro dessa história, o personagem sobe no tablado e passa a ser avaliado pelos jurados como item individual. "A gente ensaia três vezes, quatro vezes na semana, tudo para defender a tribo. O objetivo é ira pra arena, fazer uma boa apresentação e sair de lá vitorioso", comenta Francineuber.

Já a tribo Muirapinima aposta em Alisson Lima, de 23 anos, que já ocupa o cargo de pajé há nove festivais. Alisson também compõe a comissão de arte e é coreógrafo da tribo, o que segundo ele, é uma missão que exige muito. "Os preparativos começam logo quando termina o festival anterior. Desde então, já venho me preparando com as coreografias, com a história, com o enredo de todo o festival. Esse ano, o público pode esperar um ritual inovador", antecipa o pajé azul e vermelho.
Compartilhar:

Polícia prende falso médico em Aveiro

No último dia 22, uma equipe da Polícia Civil, sob o comando do delegado Djalma Pereira, prendeu o elemento Manoel Anacleto de Castro, 48 anos, natural de Goiânia, que se passava por médico no município de Aveiro, no Oeste do Pará. Em um consultório, montado em sua própria residência, ele atendia pacientes e receitava medicamentos. Da prisão do falso médico participaram ainda policiais militares.

Foi a partir de uma ocorrência feita pela secretária de Saúde do município, Cristina Chagas, que desconfiou do golpista quando este se apresentou na Secretaria oferecendo seus 'serviços', tendo sido indicado, segundo ele, pelo médico Sérgio Monteiro, de Santarém. Cristina conversou com Manoel e disse que a Secretaria pretendia contratar um médico e pediu que ele providenciasse a documentação para fazer sua contratação.
O que chamou a atenção da secretária foi o fato de Manoel ter se recusado entregar a documentação exigida. À secretária Cristina Chagas, o golpista mostrou documentos onde o médico Sérgio Monteiro o encaminhava a um dentista da cidade de Aveiro, que por sua vez, o encaminhou a Secretaria de Saúde do município.

Por causa dessa demora, Cristina Chagas suspeitou do elemento, que naquela altura já estava prestando serviços no Pronto Socorro, como pediatra. A documentação exigida pela secretária era importante para fazer a contratação do profissional, já que havia certa urgência. Porém, todos os pedidos feitos por Cristina Chagas não surtiram efeitos e ela então decidiu afastá-lo definitivamente. Manoel alegava que os documentos estavam em Monte Dourado e que por isso não fez a apresentação.

O caso então chegou ao conhe-cimento da Polícia Civil, que imediatamente iniciou uma investigação e descobriu se tratar de um farsante. Em contato com o Conselho Regional de Medicina, em Santarém, o delegado Djalma Pereira obteve informações de que o nome de Manoel não constava em seus re-gistros em nenhum estado brasileiro.

Manoel Anacleto usava dois registros falsos do CRM em nome de médicos paraenses. Diante disso, e também com base numa denúncia feita pelo enfermeiro Leonardo, vítima de ameaça por parte do falso médico, a polícia efetuou sua prisão em flagrante, quando este exercia ilegalmente a medicina no seu consultório particular, montado na Travessa João Paulo II, canto com a Brigadeiro Haroldo Veloso. Anacleto foi flagrado inclusive com diplomas falsos, instrumentos usados na medicina como estetoscópios e outros aparelhos usados por profissionais e vários medicamentos.

Além disso, ele também usava um carimbo com o registro do CRM. "Não temos nenhuma duvida quanto à ilegalidade do exercício da profissão do elemento, como também da falsidade ideológica que é um crime mais grave previsto com pena de reclusão", disse o delegado.

Manoel vai responder processo por exercício ilegal da medicina, falsidade ideológica e estelionato. Ele foi levado para Itaituba, onde foi mandado para a casa penal daquele município.

À reportagem, mesmo diante de todas as provas e acusações, o falsário jurou ser médico, formado em 1991 pela Universidade Católica do Paraguai. "O meu CRM estava vencido e eu não tive condições de viajar a Belém para me recadastrar e regularizar a minha situação junto o Conselho", alegou cinicamente.

Manoel contou que trabalhou em várias cidades como Monte Dourado, Curuá, Prainha, Uruará e Almerim, onde exerceu suas funções normalmente. "Aqui foi uma surpresa, porque já tenho 20 anos de profissão, nunca tinha me ocorrido um fato como esse, pra mim, no meu entender, trata-se de perseguição. Porque aqui eu fiz um bom trabalho, não tem nenhuma queixa de paciente, não ouve queixa crime contra a minha pessoa. Eu acredito que houve perseguição. Isso não vai me abalar a minha estrutura psicológica, porque eu não sou um bandido não sou um criminoso. Como disse me formei na Universidade Católica do Paraguai, uma das melhores do país. Trabalho desde 1994 e me considero um bom médico. Como fica a minha situação? Vou responder pela aquilo que estiver errado e vou procurar concertar o meu erro e depois vou continuar trabalhando normalmente", concluiu.
Compartilhar:

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Vale faz parcerias com Suzano no Pará e no Maranhão

A Vale assinou ontem, 22 de julho, com a Suzano Papel e Celulose um memorando de entendimentos que estabelece as condições para parcerias no Pará e no Maranhão, visando à implantação, pela Suzano, de uma unidade de produção de celulose na região. O empreendimento promoverá o desenvolvimento socioeconômico dos dois estados, num segmento em que o país tem forte competência, com foco na geração de empregos locais e na sustentabilidade.

Essa cooperação se dará da seguinte maneira:

1) Programa Vale Florestar – o programa, que já está em andamento no Sudeste do Pará, é uma iniciativa da Vale para proteção e recuperação de florestas nativas em conjunto com o plantio de espécies industriais numa área total de 300 mil hectares. O objetivo do Vale Florestar é promover o reordenamento territorial, visando ao desenvolvimento auto-sustentável da região. O memorando de entendimentos estabelece as condições para a Vale fornecer madeira de reflorestamento para a Suzano, que irá utilizá-la na fábrica de celulose no Maranhão;

2)Aquisição de Ativos Florestais – as propriedades rurais da Vale, incluindo áreas de preservação e parte das florestas de eucalipto localizadas no sudoeste do Maranhão, serão vendidas à Suzano. Esses ativos florestais serão usados na formação da base florestal da unidade de produção de celulose;

3)Logística – a Vale prestará serviços de logística, através do transporte ferroviário da celulose a ser produzida na fábrica da Suzano;

4)Contratos – Os entendimentos sobre as condições básicas da parceria nortearão a preparação dos contratos que serão firmados nas próximas semanas.
Compartilhar:

terça-feira, 22 de julho de 2008

Festa rave acaba em apreensão de droga

Fábio Pereira Coelho, 27 anos, e Darlison Coelho Bentes, 22, ambos moradores no bairro do Urumari, foram presos em flagrante pelo Grupo Tático Operacional da Polícia Militar, na madrugada do último domingo, em uma mansão, na avenida Curuá-Una, palco de uma festa rave, promovida por Lívio Pereira, filho do empresário Nivaldo Pereira, dono da TV Ponta Negra.

Os elementos foram presos em flagrante de posse de 33 comprimidos, que supostamente têm semelhança com pastilhas de ecstasy e um papelote de maconha, que possivelmente estavam sendo comercia-lizadas no interior da festa. Levados pela PM para a Seccional da Polícia Civil, Fábio e Darlison negaram ser usuários de droga, mas disseram que também não eram traficantes. Após a apresentação, ambos foram liberados. A reportagem descobriu depois que não houve boletim de ocorrência relatando a prisão dos rapazes.

Na manhã de segunda-feira, a reportagem tentou obter mais informações sobre a apreensão do material, porém, foi informada de que os comprimidos haviam sido encami-nhados para o Centro de Perícias Científicas para análise.

O flagrante da apreensão dos comprimidos e a prisão dos rapazes foram feitos por uma repórter do Portal na Hora, que fazia cobertura da festa naquela noite. O Comando Tático conduziu Fábio e Darlison algemados sob acusação de tráfico de entorpecente.

Durante a abordagem aos elementos, o coronel Mafra estava presente e disse, num primeiro momento, que os comprimidos apresentavam características do ecstasy.

Consultado pela repórter do Portal na Hora sobre a circulação de ecstasy em Santarém, um agente da Polícia Federal disse que o procedimento feito pela Polícia Civil não seguiu alguns critérios comuns nesse tipo de caso. O certo seria manter os rapazes detidos até que o resultado na análise dos comprimidos fosse divulgado pelo Centro de Perícias Científicas. "Como ninguém soube precisar de se tratava, no mínimo, eles deveriam permanecer detidos até a conclusão da perícia no suposto material entorpecente", disse.

O interlocutor diz ainda que a PF registrou um caso de apreensão de ecstasy em Santarém, mas de apenas um comprimido que estava em poder de um turista. Analisando as fotos do produto encontrada em poder de Fábio e Darlison, o agente federal disse que lembra muito as características de ecstasy.

Tráfico de ecstasy em Santarém - Notadamente, nos últimos anos, o tráfico de drogas sintéticas tem aumentado no município de Santarém. A droga deixou de ser privilégio dos viciados de classe alta e agora chega facilmente aos menos abastados. O ecstasy é mais comum em festas particulares promovidas e freqüentadas por jovens com alto poder aquisitivo. No domingo passado, uma dessas festas foi promovida na cidade e o consumo de droga e álcool ocorreu livremente em todos os ambientes da mansão, onde o evento foi realizado.

Do lado de fora, policiais militares, homens do Corpo de Bombeiros e gente do Samu observavam atentos à movimentação na festa, como se estivessem ali apenas para garantir o bom andamento do evento. A rave santarena, segundo relato dos próprios participantes, foi um sucesso em todos os sentidos, sobretudo pela facilidade de aquisição de cocaína, maconha e ecstasy. Muitos menores também estavam lá e eram facilmente aliciados pelos mauricinhos de plantão, contumazes nesta prática. Cenas de sexo explícito e apologia à prostituição infantil também foram presenciadas.

PF combate tráfico de ecstasy no Pará - No ano passado, a Polícia Federal deflagrou no Pará uma operação visando desbaratar uma quadrilha especializada em tráfico de drogas sintéticas, especialmente ecstasy. Foi a partir de denúncia de familiares de freqüentadores de festas rave, que a PF iniciou a operação.

Naquela ocasião, os policiais federais interceptaram e apreende-ram 628 comprimidos de ecstasy que estavam sendo enviados de Belém para Macapá. As investigações mostraram que a quadrilha remetia a droga por Sedex de Belém para Macapá, onde os comprimidos seriam vendidos nas festas raves da cidade.

Os comprimidos de ecstasy são comercializados em média por R$5,00 e vendido nas raves, após passar pelos intermediários, por até R$40,00.

Sobre o ecstasy - Trata-se de uma substância psicoativa designada como 3,4 metilenodioximetanfe-tamina. Foi sintetizada pela empresa Merck em 1914, e é chamada droga de recreio ou de desenho, pois possui ação estimulante e alucinógena. É consumido injetado, inalado, e por via oral. Apresenta-se em forma de pastilhas, comprimidos, barras, cápsulas ou pó.

O ecstasy, a nível cerebral, age aumentando a produção e a diminuição da reabsorção da serotonina, dopamina e noradrenalina. Seus efeitos surgem após vinte e setenta minutos, atingindo estabilidade em duas horas, pode agrupar efeitos da cannabis, das anfetaminas e do álcool.

Os efeitos físicos são taquicardia, aumento da pressão sanguínea, secura da boca, diminuição do apetite, dilatação das pupilas, dificuldade em caminhar, reflexos exaltados, vontade de urinar, tremores, transpiração, câimbras ou dores musculares.

Quanto aos efeitos psíquicos, o ecstasy ocasiona sensação de inti-midade e de proximidade com outras pessoas, aumento da comunicação, da sensualidade, euforia, despreocupação, autoconfiança e perda da noção de espaço.

Efeitos colaterais - Em longo prazo podem ocorrer alguns efeitos tais como lesões celulares irreversíveis, depressão, paranóia, alucinação, despersonalização, ataques de pânico, perda do autocontrole, impulsividade, dificuldade de memória e de tomar decisões.
Compartilhar:

Faltam 30 dias para o final das inscrições do Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio 2008

Participam do concurso universitários de todo o País, de qualquer curso superior, alunos de pós-graduação latu sensu e profissionais que atuam com projetos e planejamento de gestão

Em 22 de Agosto encerram-se as inscrições para o 7º Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio. Podem participar estudantes de qualquer curso superior, alunos de pós-graduação lato sensu e profissionais que atuam com projetos e planejamento de gestão, sem distinção quanto à categoria funcional, tipo ou tempo de atuação no mercado.

As inscrições devem ser feitas pelo site da Alcoa (www.alcoa.com.br) para as categorias Produtos & Aplicações (tema livre) e Gestão da Reciclagem (com foco na reciclagem de alumínio, resíduos pós-consumo ou gerados na produção de bens de consumo). Os trabalhos serão julgados e premiados separadamente por categoria e modalidade de participação (profissional e estudante).

O objetivo do Prêmio é estimular a criatividade e difundir as idéias dos estudantes e profissionais brasileiros no setor, além de promover a conscientização ecológica entre os participantes. A entrega dos trabalhos inscritos deverá ser feita até 22 de Setembro. Os finalistas serão conhecidos em Novembro e a ordem classificatória dos vencedores será divulgada no evento de premiação, programado para Dezembro.

Na modalidade Estudante, podem concorrer universitários de todo o País que estejam matriculados em cursos de tecnologia/graduação e pós-graduação (lato sensu) no ano letivo de 2008. As equipes participantes podem ser multidisciplinares, compostas por alunos de cursos diferentes, desde que da mesma instituição. É possível também a inscrição em mais de uma categoria. A modalidade profissional também está aberta em duas categorias: produtos & aplicações e gestão da reciclagem

Para Franklin L. Feder, presidente da Alcoa América Latina e Caribe, o Concurso contribui para o desenvolvimento do mercado brasileiro de alumínio e estimula estudantes e profissionais. “O Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio está evoluindo constantemente. É gratificante para nós perceber que, ano após ano, o Concurso se destaca e atrai mais participantes, estudantes e profissionais, de todo o Brasil. Isso gera diversidade de projetos inovadores e melhores propostas para a reciclagem do alumínio, condizendo com nossa preocupação ética e de sustentabilidade, valores permanentes da Alcoa”, afirma.

Categorias - Estudantes e profissionais poderão inscrever seus trabalhos em duas categorias: Produtos & Aplicações – tema livre, podem concorrer apresentações de novos produtos e aplicações em alumínio – e Gestão da Reciclagem, cujo foco é a reciclagem do alumínio (resíduos pós-consumo e/ou gerados na produção de bens de consumo).

Apoio - O 7º Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio conta com o apoio institucional das principais entidades do setor, como o IAB-Instituto de Arquitetos do Brasil, Instituto de Engenharia, UniEthos-Educação para a Responsabilidade Social e o Desenvolvimento Sustentável, AEnD-BR-Associação de Ensino/Pesquisa de Nível Superior em Design no Brasil, ADP-Associação dos Designers de Produto, ABM-Associação Brasileira de Metalurgia e Materiais, ABEDESIGN-Associação Brasileira das Empresas de Design e o Centro São Paulo de Design. O Prêmio Alcoa conta também com o apoio técnico da ABAL-Associação Brasileira do Alumínio.

O estudante ou a equipe indicada pela comissão julgadora como autor do melhor trabalho em cada categoria receberá R$9 mil e um troféu como prêmio e o professor-orientador, R$5 mil. Para a instituição de ensino a que pertencer o premiado, serão doados R$5 mil em equipamentos didáticos. Já os profissionais terão direito a um prêmio no valor de R$11 mil em ambas as categorias. Os três estudantes que chegarem à final em cada categoria receberão R$1,5 mil e diploma. A mesma regra vale para os profissionais que participarem do Prêmio. Já os orientadores dos alunos finalistas ganharão um palm top e diploma.

Os inscritos enviarão os trabalhos obrigatoriamente pelos Correios, para o endereço divulgado no regulamento do Prêmio. O julgamento será realizado na segunda quinzena de Outubro por duas comissões, uma para cada categoria. Esclarecimentos sobre o Concurso podem ser solicitados por meio do endereço eletrônico premioalcoa@alcoa.com.br. Mais informações sobre o Prêmio Alcoa de Inovação em Alumínio no site www.alcoa.com.br.

Sobre a Alcoa - Há 43 anos no Brasil, a Alcoa Alumínio S.A. é subsidiária da Alcoa Inc., líder mundial na produção e transformação do alumínio, que atua nos mercados aeroespacial, automotivo, embalagens, construção, transportes comerciais e no mercado industrial. Além dos produtos e componentes de alumínio, que incluem laminados, extrudados e forjados, a Alcoa também comercializa rodas, sistemas de fixação, fundidos de superligas e de precisão, estruturas e sistemas para construções. A Companhia possui 97 mil funcionários em 34 países e integra pela sexta vez o Índice Dow Jones de Sustentabilidade. A Alcoa foi eleita pela quarta vez consecutiva uma das empresas mais sustentáveis do mundo no Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça e é uma das fundadoras da Parceria Americana pela Ação Climática (United States Climate Action Partnership - USCAP), uma associação composta por importantes companhias e ONGs ambientais norte-americanas que lutam pela redução significativa das emissões de gases causadores do efeito estufa.

Na América Latina e Caribe, a Alcoa conta com mais de sete mil funcionários e opera em seis estados brasileiros – Pernambuco, Minas Gerais, Maranhão, Pará, São Paulo e Santa Catarina – incluindo uma nova mina de bauxita, que está sendo instalada em Juruti (PA). Possui operações também na Jamaica, Suriname e Trinidad & Tobago. Além das usinas de Barra Grande e Machadinho, a Alcoa tem participação nos consórcios das hidrelétricas em construção de Estreito, na divisa do Tocantins e Maranhão; e Serra do Facão, entre os estados de Goiás e Minas Gerais. A Alcoa está entre as “empresas mais admiradas do Brasil” em 2007, segundo pesquisa publicada pela revista Carta Capital e destaque no ranking das 500 Melhores Empresas da revista Dinheiro. A mesma revista incluiu a Alcoa em sua lista das 50 Empresas do Bem. Também foi reconhecida no Guia de Boa Cidadania Corporativa 2006, publicado pela revista Exame, nas áreas de Valores e Transparência e de Governo e Sociedade. Mais informações sobre a Alcoa podem ser encontradas no site www.alcoa.com.br.
Compartilhar:

domingo, 20 de julho de 2008

Casa de jornalista é incendiada durante a madrugada


Por volta das 2h30 da madrugada de hoje, dois homens em uma motocicleta Brós de cor preta, atearam fogo na casa do jornalista Jeso Carneiro, situada na avenida Silva Jardim. No momento do ataque, o jornalista e sua esposa encontravam-se na praia, estando na residência apenas a sogra, uma senhora de 81 anos, a filha do casal e o cunhado.

De acordo com um casal de testemunhas que se encontrava em uma parada de ônibus, os dois homens deram quatro voltas antes de parar com a motocicleta em frente à residência de cometer o crime. O casal conta que o indivíduo que estava na carona desceu com um carote na mão e começou a jogar o líquido inflamável nas paredes e no telhado da casa, ateando fogo em seguida. As testemunhas disseram ainda que o fogo ganhou proporção quase atingindo a rede elétrica do imóvel. Na fuga, um dos elementos deixou para trás um par de tênis, um isqueiro e o carote. A polícia suspeita que o fogo também atingiu um dos elementos. Essa possibilidade é baseada nas declarações das testemunhas.

As vítimas - No interior da residência a filha do casal ao perceber a sala em chamas, gritou por socorro sendo ouvida pelos vizinhos que correram para tenta apagar o fogo. Um dos vizinhos pegou o extintor de incêndio de seu carro para tentar conter as chamas, enquanto outro jogava água e areia na casa.
Minutos depois quando o fogo já havia sido controlado, as vitimas foram retiradas e socorridas, entre elas, uma senhora de 81 anos e uma jovem de 20, que passaram mal por causa da forte nuvem de fumaça que tomou conta do interior da residência.

Perícia - Depois de registrada a ocorrência na Delegacia de Polícia Civil, onde o jornalista Jeso Carneiro falou de seus desafetos e possíveis autores do atentado. A perícia no local foi realizada nesta manhã, por volta das 6h30. De acordo com o perito Judson Brito, após as primeiras análises superficiais da cena do crime, já pode se constatar a intenção criminosa. “Da forma como foi jogado o material, ateado o fogo e também o tipo material líquido inflamável usado, já podemos verificar que a intenção foi realmente incendiar a casa e não somente dar um susto”, declarou o perito.

Judson coletou amostras de todo o material encontrado, entre eles o carote queimado, o isqueiro usado para atear o fogo, o par de sapatos parcialmente queimado deixados pelos bandidos, amostras de vários resíduos dentro e fora da residência.

O alvo - Não é a primeira vez que o jornalista Jeso Carneiro sofre esse tipo de atentado. Segundo ele, já atentaram contra o prédio do jornal a Gazeta, de propriedade do irmão, o também jornalista Celivaldo Carneiro, contra seu carro e agora contra sua casa, todos da mesma forma, ateando fogo.

Em entrevista exclusiva ao Portal na Hora, Jeso disse ter certeza de esse atentado foi mais uma tentativa covarde de lhe fazer calar e intimidá-lo por causa de profissão. “Isso é para me tolir, me ameaçar e amedrontar em função do que eu faço no jornalismo”, falou indignado o jornalista.

Para ele, o atentado tem haver com os últimos acontecimentos relacionados à sua proibição, na Justiça, de relatar fatos e manifestar criticas sobre determinadas pessoas. “Eu não descarto nenhuma possibilidade. Há duas semanas eu fui impedido de falar no meu blog e eu ganhei na Justiça o direito de me manifestar, depois acontece isso, não é coincidência. Trata-se de uma questão política, é tentativa me cercear na liberdade do exercício da minha profissão”, diz Jeso.

As providencias - Segundo Jeso, já foram tomadas todas as providencias no que tange as questões policiais, mas que não vai parar por aí. “Nós vamos acionar não só a polícia, mas também outras autoridades como, a Polícia Federal, a governadora do Estado e todos que forem possíveis, já que isso é um atentado contra mim, meu direitos de expressão e minha família. Agora foram só danos materiais e mas poderia ter sido muito pior”.
Compartilhar:

sábado, 19 de julho de 2008

Prefeito persegue conselheiros tutelares

Anderson Pantoja
É precária e vergonhosa a situação do Conselho Tutelar do município de Jacareacanga, conforme apurou a reportagem do Jornal A Cidade, no último dia 24. O prédio da instituição está abandonado pelo Poder Executivo e ameaçar cair sobre a cabeça dos heróicos conse-lheiros que trabalham no local.

O coordenador Elton Wallace relatou que desde a posse dos novos conselheiros, que aconteceu em 5 de junho, toda equipe sofre perseguição por parte do prefeito Carlos Augusto Veiga, que nega apoio à instituição, apesar dos inúmeros ofícios encaminhados à Prefeitura. "Somos humi-lhados pelos assessores do prefeito.

Recentemente, as conselheiras tutelares Leila e Josiane foram pedir ajuda ao tesoureiro da Prefeitura, Francisco Bessa, e ele disse que o Município não as reconhecia como membros do Conselho Tutelar", contou Elton.

Segundo o coordenador do Conselho, essa situação está acontecendo porque a chapa apontada pelo prefeito Carlos Veiga para concorrer à administração da entidade foi derrotada e, por vingança, agora prejudica o trabalho da instituição.

Além de não receberem apoio da Prefeitura, os conselheiros queixam-se da falta de interesse do governo em proporcionar benefícios às vítimas de violência que chegam diariamente ao Conselho Tutelar pedindo amparo. "Não temos uma casa de apoio para abrigar essas pessoas. A estrutura física do prédio é precária e tem muitas rachaduras. A parte do reboco está caindo e não tem mate-rial de limpeza. O único carro que dava apoio está quebrado em Itaituba e o cupim está tomando conta das salas", disse indignado o conselheiro chefe.

As conselheiras Luciene Leandro e Sonia também disseram à reportagem que está difícil executar os trabalhos que competem ao Conselho Tutelar, e que as comunidades tentam contribuir, ajudando os membros da entidade. Segundo elas, ninguém pode exigir um traba-lho mais atuante dos conselheiros, pois todos sabem que o órgão não tem apoio e nem auxilio do Poder Público.

Os conselheiros denunciam os abusos praticados pelo prefeito Carlos Veiga e dizem que não aceitam mais esse tipo de perseguição política.

Procurado pela reportagem, o promotor publico Cesar Augusto do Santos Mota informou que a situação dos conselheiros é legal, portanto, todos devem ter o reconhecimento do Poder Executivo.
Compartilhar:

PF apura suposto crime eleitoral em Itaituba

O possível derrame de títulos falsificados em Itaituba pode desencadear uma grande operação da Polícia Federal contra candidatos que disputam a Prefeitura no município. Na segunda-feira, o Ministério Público Federal (MPE) recebeu denúncia contra funcionários públicos cedidos para a Justiça Eleitoral e que supostamente estariam envolvidos com crime de falsificação de identidade e título de eleitor.

Segundo informações obtidas pela reportagem, no dia 05 de maio de 2008, uma senhora compareceu à sede da Justiça Eleitoral em Itaituba portando um envelope com 2 mil títulos eleitorais para serem assinados.

Mesmo achando estranho, a funcionária do cartório assinou os papeis, mas tirou cópia de todos os documentos e entregou à Policia Federal.

Após a denúncia, a PF constatou o envolvimento de pelo menos um funcionário do DETRAN e quatro funcionários da Justiça Eleitoral na tentativa de fraude.

A disputa política entre os principais candidatos, Roselito Soares e Valmir Climaco, espalha na cidade uma série de acusações mútuas, sobretudo relacionadas à campanha eleitoral. Neste episódio, o nome de Climaco aparece como o provável responsável pela fraude na emissão de títulos e carteiras de identidades falsificadas.

Em Santarém, a reportagem tentou buscar informações mais precisas sobre este episódio, porém, os agentes informaram que não há ne-nhum inquérito em andamento, mas que a Polícia Federal está apurando todas as informações detalhadamente. Todos os envolvidos devem ser intimados a prestar depoimento à Polícia Federal nos próximos dias.
Compartilhar:

Joaquim Hamad: “Santarém precisa de renovação”

Rose Pantoja
O candidato a Prefeitura de Santarém pela coligação "Renova Santarém", Joaquim Hamad (PTC) concedeu entrevista ao Jornal A Cidade e disse que sua candidatura está alicerçada na vontade de mudança do próprio povo. Para ele, o tempo é de renovação e seu nome foi sugerido por um grupo de pessoas que também quer contribuir com o desenvolvimento do município. "Chega dessa briga pelo poder, Santarém precisa de mudança!", disse Hamad. Acompanhe a íntegra da entrevista.

Repórter: Como o senhor pretende se apresentar ao eleitor santareno nessa eleição?

Joaquim Hamad: Como uma verdadeira esperança de mudança. Eu acho que já está mais do que na hora de ter uma renovação, por isso nossa coligação chama-se "Renova Santarém". Pensamos essa renovação em todos os sentidos, principalmente politicamente e socialmente. Tem que sair dessa mesmice onde sai um candidato e entra outro, depois volta o mesmo candidato e vem o outro, enfim, fica naquela política fechada onde a população não pode entrar e não participa. Eu, como santareno, sempre tive vontade de fazer algo pelo meu município, e me acho preparado para ser administrador e promover essas mudanças trazendo desenvolvimento para o município.

Repórter: O senhor acha que terá dificuldade em disputar essa eleição tendo oponentes que já passaram pelo governo ou estão no poder?

Joaquim Hamad: Eu não vejo muita dificuldade nisso. O que existe é a diferença na questão financeira, já que um tem a "máquina" na mão e o outro tem um cargo de deputado, porém, eu ainda acho que esse poder é aparente e que nem tudo é para sempre. Acho na verdade que já deu a hora deles e já tiveram a oportunidade de mostrar serviço, agora a população tem o direito de escolher novos candidatos com novas idéias e propostas de mudanças de verdade, novos pensamentos e atitudes e muito mais compromisso em fazer a mudança. Ultimamente você não vê nada mudar, a não ser os jovens que não têm oportunidade aqui e mudam para outros lugares. Tem um ditado que diz "dê educação às crianças para que quando cresçam não venham a apanhar". A base é importante e nós temos projetos muito bons que já deram certo em outros países e que vão dar certo aqui também.

Repórter: Qual sua opinião sobre essa briga jurídica que foi deflagrada entre seus dois principais oponentes?

Joaquim Hamad: Isso nada mais é do que o reflexo do que eles fizeram. A minha opinião acredito ser a mesma opinião do povo, ou seja, se eles não tivessem feito nada de errado não estariam sendo impugnados um pelo outro. Um responde a vários processos e o outro tem poder demais na mão e recebendo dos dois lados, isso eu acho desigual e não é justo. A justiça tem que começar daí.

Repórter: E as pesquisas eleitorais: O senhor é contra ou a favor e por quê?

Joaquim Hamad: Sou totalmente contra. Todas as pesquisas aqui são compradas e manipuladas, por exemplo, agora recentemente surgiu uma pesquisa em um jornal que toda a população diz que pertence a um candidato, então é claro que vai dar favorável a ele, como de fato deu. Eu vejo pesquisa como uma maneira de influenciar negativamente o eleitor, porque infelizmente os menos esclarecidos acabam votando em determinado candidato pensando "ele já tá frente então vou votar nele para não perder meu voto", isso é um grande desequilíbrio entre os candidatos e acaba desfavorecendo outros candidatos que não tem esse poder de manipulação, mas tem muito mais condição de administrar o município.

Repórter: O que o senhor espera dessa eleição?

Joaquim Hamad: Eu espero que tenha paz, pois eu não venho para agredir e nem guerrear com ninguém, até porque eu sou brigão, mas brigão por justiça e por direito. Tem que fazer valer o direito do santareno que está ferido demais pelas administrações que já tivemos aí. Então está na hora de fazer valer esses direitos e fazer uma campanha limpa, sem truques, sem montagens e sem agressões, principalmente porque temos uma mulher competindo. Queira ou não queira é uma mulher e eu acho que todo o ser homem tem que respeitar a mulher e temos o direito e o dever de respeitar essa mulher que está competindo.

Repórter: Cite três coisas que o senhor acha que lhe garantam ser candidato nessa eleição?

Joaquim Hamad: A renovação, que é muito importante. A segunda seria meus projetos, que eu espero conseguir atingir o eleitor e ele também conseguir entender minhas propostas honestas e sérias. E terceiro as propostas para um governo decente, sem ter compromisso com um ou outro, sem ter que prometer e ter rabo preso com ninguém, que acaba comprometendo todo o seu governo.

Repórter: Quem é Joaquim Hamad?

Joaquim Hamad: É um lutador, operário da viação civil que tem idéias e sonhos, sendo que um deles é ver minha cidade sendo um modelo para todo país, tanto na mídia nacional como internacional e sempre de maneira positiva e explorando o que ela tem de melhor, o turismo. Eu me acho um empreendedor que não tive oportunidade ainda para mostrar minha capacidade.

Repórter: Santarém por Joaquim Hamad?

Joaquim Hamad: Santarém é meu berço, é a cidade que me trouxe da minha infância até agora o que eu sou e o que eu conquistei.
Compartilhar:

Embarque de boi vivo é experimental

Marcos Santos
Terminou na última quinta-feira, no porto da Companhia Docas do Pará (CDP), o 1º embarque experimental de bois vivos em Santarém. O trabalho teve início na última segunda-feira e foi feito por funcionários de um navio de bandeira libanesa sob a vistoria do pessoal da Receita Federal e Vigilância Sanitária. O vai e vem de carretas transportando os animais causou incômodo nos usuários do terminal da CDP, sobretudo funcionários, passageiros e donos de embarcações. Ao todo foram embarcadas 1100 cabeças de gado oriundas dos municípios de Uruará e Altamira, na região Transamazônica, que serão levadas para a Venezuela.

Segundo o administrador da CDP em Santarém, Celso Lima, todo trabalho seguiu criteriosamente as normais sanitárias e ambientais exigidos pelos órgãos federais e estaduais. Além disso, afirmou, a movimentação nos últimos três dias no porto da companhia não alterou a rotina de outros setores do porto, como o de embarque de madeira, por exemplo.

Os animais foram trazidos de Uruará e Altamira até o município de Belterra, de lá, foram colocados em carretas e transportados pela rodovia Santarém/Cuiabá até o porto da CDP direto para o navio. “Não houve nenhum incômodo como algumas pessoas afirmaram. Tudo foi feito seguindo as normas sanitárias. O trabalho teve ainda o acompanhamento da Receita Federal”, completou Lima.

Apesar dessa afirmação, no último dia de embarque, um forte odor exalou pela área da CDP, causando náuseas nas pessoas. Funcionários da própria companhia tratavam de limpar resto de palha e fezes dos animais.

Em Belém, o embarque de boi vivo foi proibido depois que o Ministério Público do Estado ingressou com uma ação na Justiça alegando que o porto de Belém não é adaptado para esse tipo de atividade. O MPE pediu a suspensão da atividade por entender que houve agressão ao meio ambiente provocado pelo mau cheiro que exalava da área onde os animais ficavam confinados esperando pelo embarque. Além disso, o fedor incomodava tanto os passageiros, quanto funcionários, comerciantes e moradores das áreas adjacentes, pois o odor de urina e fezes dos animais era muito forte.

“O porto de Santarém foi incluído como forma alternativa de embarque do boi vivo, mas se trata apenas de um embarque experimental, não quer dizer que vamos continuar fazendo essa exportação por aqui, porém, a vinda dessa atividade pode ser avaliada de forma positiva, já que vai aumentar a arrecadação de impostos e geração de empregos para o município”, concluiu Celso Lima.
Compartilhar:

sábado, 12 de julho de 2008

AMB lança segunda fase da campanha eleições limpas

No próximo dia 5 de outubro, o povo brasileiro retorna às urnas, desta vez para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), entidade que reúne mais de 13 mil juízes, preocupada com o fortalecimento da nossa democracia, apresenta a segunda fase da campanha Eleições Limpas, iniciada em 2006.

Agora, em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Campanha tem o objetivo de estreitar os laços entre a Justiça Eleitoral e a sociedade, estimulando um comportamento ético e fiscalizador do cidadão ao votar. O combate eficaz à corrupção eleitoral, sob todas as suas formas, não é tarefa que se possa levar adiante sem a colaboração da sociedade. Com esse propósito, a AMB, com o apoio do TSE, elaborou esta cartilha com as principais informações que o eleitor precisa saber para assumir uma postura ativa, denunciando as irregularidades eleitorais às autoridades competentes.

O ponto alto da campanha Eleições Limpas se dará no dia 26 de agosto, quando AMB e TSE promoverão, pela primeira vez, o Dia Nacional das Audiências Públicas em todo o País. Prepare-se para participar. Reúna informações, dúvidas, denúncias. As audiências serão o espaço onde a Justiça Eleitoral ouvirá a sociedade.
Compartilhar:

Pedida impugnação de Lira Maia

Marcos Santos
A coligação partidária "A Mudança vai Avançar" compostas pelos partidos PT, PMDB, PSC, PSB, PMN, PPS, PTB, PDT, PP, PR, PRB, PC do B, na noite da última quinta-feira, entrou com uma ação na Justiça Eleitoral pedindo a impugnação da candidatura de Joaquim de Lira Maia (DEM/PSDB/PV). O pedido de impugnação do registro da candidatura de Lira Maia é baseado numa série de denúncias contra o candidato do DEM na época em que ele foi prefeito de Santarém nos períodos de 1997 a 2000 e 2001 a 2004, quando foi o ordenador de despesa e responsavel-mor por todos os atos administrativos.

A ação, assinada pelo advogado Antonio Eder John de Sousa Coelho, relata todo o passado do ex-prefeito, apontando-o como autor de crimes de Improbidade Administra-tiva e crime contra a Ordem Tributária e Financeira, além de também ser réu em vários processos na Justiça.

O documento revela que Lira Maia responde a processos na Justiça Estadual em primeira instância, processo número. 2007.1.-00628-1, uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa para reparação integral de danos ao erário, com pedido de Tutela Antecipada de indisponibilidade de bens, bloqueio de cotas bancárias e aplicações financeiras. Nesta ação, o ex-gestor teve seus bens indis-poníveis.

Também na 8ª Vara da Comarca de Santarém, outra ação de improbidade administrativa, tendo como autor o Ministério Público Estadual e que encontra em tramitação na Justiça. Lira Maia também responde processos na 6ª Vara Criminal
Em segunda instância, o candidato do DEM aparece como réu no processo número 1999.3.006426-0 (Câmaras Criminais Reunidas - Desembargadora Raimunda do Carmo Gomes Noronha) cujo autor também é Ministério Público Estadual.

Também há inúmeros processos na esfera federal tramitando e aguardando decisão cujo autor é o Ministério Público Federal por Improbidade Administrativa, crimes de responsabilidade, crime contra a fé pública, crimes contra a administração pública todos encaminhados para o STF e processos por crimes da Lei de Licitações, aguardando parecer do Supremo.

Contas rejeitadas - A farta documentação que embasa o pedido de impugnação cita ainda que Lira Maia suas contas rejeitadas na apreciação do Egrégio Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará, exercício financeiro de 2000, onde evidencia irregularidades insanáveis, dentre as quais, o não cumprimento de percentuais destinados, constitucionalmente, à educação, assim como a não apropriação dos valores devidos ao INSS, que gera danos ao Erário Público pela cobrança do principal e encargos, fato que ensejou a emissão de parecer prévio recomendando à Câmara Municipal de Santarém em rejeitar as contas conforme estabelece a resolução número 8.806 do Tribunal de Contas do Pará.

Em outro trecho, o volumoso documento afirma que todas as situações transcritas denotam que Lira Maia possui uma vida pregressa que lhe afastam condições elementares para o exercício de cargo público, que exige probidade, moralidade, zelo pelo uso da coisa pública, eficiência, princípios que são exigidos ao administrador.

Afirma também que o candidato não tem condição de continuar no processo eleitoral, tendo em vista lhe faltar a condição de elegibilidade, em face de sua vida pregressa, que possui uma carreira pública que indicam a absoluta falta de condição de exercer cargos, mormente aqueles que versam sobre uso de recursos públicos e a defesa do interesse público.

A folha corrida do ex-prefeito, além de extensa, traz noticia do cometimento de delitos, majoritariamente envolvendo questões de direito administrativo e questões referentes a administração pública, tais como, crime de responsabilidade, delitos previstos na Lei 8.666/93, falsidade ideológica, crimes contra a administração pública. Na parte que envolvem ações de improbidade administrativa, com favorecimento pessoal ou de terceiros de recursos públicos.

Na alegação, a coligação aponta ainda que todos os fatos citados na ação são conhecidos não apenas pela sociedade santarena, mas de toda população da região Oeste do Pará. "Esses fatos, pela sua gravidade, ganharam destaque nacional, tanto é verdade que a vida pregressa do ex-prefeito é comparada a do ex-prefeito de São Paulo, Paulo Salim Maluf, conforme matéria publicada esta semana no jornal A Folha de São Paulo”, diz o documento entregue à Justiça.
Compartilhar:

Rapaz mata toda família a facadas

O crime aconteceu na madrugada deste sábado, em Unaí, Minas Gerais. Um rapaz de 22 anos é acusado de matar os pais e duas irmãs a facadas. De acordo com a polícia, as vítimas são duas meninas, de 18 e dez anos de idade; a mãe delas, de 35 anos e o pai, de 48 anos. Ainda não há pistas sobre o motivo que teria levado o rapaz a cometer o crime. O casal tinha mais um filho, que estava no trabalho pela manhã quando foi avisado.

A polícia foi chamada por um vizinho, que viu os corpos no chão pela janela. O suspeito foi encontrado na casa da namorada. Segundo a polícia, ele tinha um corte no braço e parecia calmo e indiferente quando foi preso.

Os vizinhos, ainda de acordo com a polícia, disseram que escutaram gritos durante a madrugada e foram até a casa perguntar o que estava ocorrendo. O rapaz suspeito teria respondido que uma das irmãs dele estava passando mal, mas que já estava melhor e que não era necessária a ajuda deles.
Compartilhar:

quarta-feira, 9 de julho de 2008

IEL abre inscrições para prêmio paraense de estágio

O Instituto Euvaldo Lodi (IEL), da Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA) está com as inscrições abertas para o Prêmio Paraense IEL de Estágio. O objetivo é identificar e divulgar as melhores práticas de estágio no Estado. As empresas conveniadas, estagiários, instituições de ensino superior e de educação profissional de nível técnico podem se inscrever e concorrer à premiação.

O prêmio é dividido em duas fases: a primeira estadual e a segunda nacional. Somente poderão participar da fase nacional, as empresas vencedoras da etapa estadual e que estiverem contratos de estágio agenciados pelo IEL Regional.

A premiação consiste na entrega do troféu e placa 'Prêmio Paraense IEL de Estágio 2008' para o grande vencedor, além de reconhecimento para os três primeiros classificados que participarão da etapa nacional, em Brasília. Serão emitidos ainda certificados de participação para as nove instituições classificadas, sendo três para empresas de micro e pequeno porte; três de médio porte e três de grande porte.

As inscrições para o Prêmio Paraense IEL de Estágio 2008 já estão abertas e são gratuitas Elas poderão ser feitas até o dia 05 de agosto por meio do site www.fiepa.org.br/iel.
Compartilhar:

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Fumaça incomoda população


Bruna Jaqueline Adriana Marinho

Uma fumaça fétida e densa é lançada no ar diariamente pela empresa Avis Pará causando mal-estar nos moradores dos bairros adjacentes, estudantes universitários e pacientes do Hospital Regional. Há muito tempo que as pessoas dessa área são obrigadas a conviver com um cheiro ruim e insuportável. A revolta é geral, mas nenhum representante da empresa assume a responsabilidade pelo dano causado tanto à saúde humana quanto ao meio ambiente, este, sem dúvida, é o mais afetado pelo produto lançado do alto de uma chaminé, provavelmente do forno, onde são queimados resíduos sólidos e restos das aves abatidas todos os dias. Com um cinismo que beira o absurdo, o gerente da empresa disse que do forno a fumaça que sai não tem mau cheiro e que quase não há fedor. “Só um pequeno odor que não incomoda ninguém”, afirma.

Tamanha desfaçatez revela que a empresa não tem compromisso social e tão pouco se importa com os possíveis danos ambientais provocados. À tarde, é possível constatar do alto da chaminé uma fumaça preta que encobre toda área ao redor e se espalha por alguns quilômetros, infestando os lares com um odor nauseante. Percebe-se, portanto, que a granja não investe em processos para tratamento desses resíduos e líquidos, fugindo totalmente à exigência dos padrões internacionais para esse tipo de atividade. “A fumaça me faz entrar em crises, meu nariz fica irritado e sinto muito enjôo”, conta a doméstica Maria das Graças Barbosa, vizinha à granja Avis Pará. É bem provável, portanto, que essa fumaça esteja causando problemas respiratórios nas pessoas.

Comerciantes, moradores e estudantes fazem apelo às autoridades para que pressionem a empresa a mudar-se da área, pois ela é apontada como a principal poluidora do meio ambiente. “Não há dúvida de que a população esteja respirando um ar poluído”, diz o comerciante Mauro Ribeiro.

A reportagem procurou a empresa para que ela se manifestasse a respeito da reclamação popular. O gerente da Avis Pará em Santarém, Ednardo das Neves, aceitou gravar entrevista, mas de início alegou que não há qualquer poluição e mau cheiro como acusam os moradores. Bem confortado em seu belo escritório, com central de ar, mobílias novas e com um cheiro agradável, ele disse que há certo exagero das pessoas em dizer que a fumaça cause algum dano ambiental ou tenha qualquer odor desagradá-vel. Ele afirma textualmente que não existe mau cheiro na fumaça que expele do forno da granja.

Ednardo diz que, nestes quatro anos à frente da empresa, sempre buscou corrigir alguns problemas para evitar transtornos à população. Ednardo explica que a granja é dotada de estrutura necessária que impede qualquer dano ao meio ambiente e aos moradores. “Estamos aqui, trabalhando, e que cheiro tem? Você não vê na pratica essa colocação de que exala mau cheiro, pode ser que em alguns momentos escape um pequeno odor devido à manutenção de algum equipamento, mas tudo isso é tratado e não existe isso que o pessoal fala”, diz.

Por causa das inúmeras reclamações e também pressão política, a empresa iniciou um processo de transferência da granja para outro local. A previsão dada por Ednardo é de que até o final deste ano, a granja esteja funcionando em Belterra, para onde será levada a indústria que funciona atualmente em Santarém. Apesar desta afirmação, os moradores contra-atacam e dizem que esta mudança já virou uma no-vela porque há mais de dois anos que falam em transferir, mas conti-nua no mesmo lugar.

O gerente da granja justifica dizendo que a maior dificuldade foi encontrar um terreno para instalar a granja fora de Santarém. Depois de seis meses, a empresa conseguiu uma área em Belterra e lá, conforme explicou Ednardo, está construindo um complexo para abater os frangos e acabar de vez com essa reclamação generalizada.
Mas enquanto essa suposta transferência não é feita, os moradores são obrigados a conviver todos os dias com esse fedor, que prejudica o organismo das pessoas, causando enjôos e uma série de outros problemas respiratórios.

Quem também engrossa o coro contra a empresa são os estudantes universitários e o pessoal da Ulbra, que dizem não suportar mais o fedor, que fica impregnado na roupa das pessoas. Além disso, a fumaça invade as dependências da instituição, incomodando professores e funcionários.

O problema é maior na hora do intervalo, quando os alunos vão para a cantina. Por causa do odor forte e insuportável, eles acabam deixando de fazer o lanche. “Outro dia minha amiga passou mal enquanto fazia um lanche”, completou o estudante Willian Ricardo.

A reportagem procurou aprofundar este assunto e foi até a sede do Instituto Sócio-Ambiental (Isam), mas para nossa surpresa, a coordenadora do órgão informou que não era de responsabilidade do Isam apurar denúncias contra a empresa por causa da fumaça que sai do forno da granja. Luzia Fati disse que compete à Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SEMA) fazer a fiscalização, porém, como o escritório fica em Belém, esse trabalho não é feito. “Não há nada que possa ser feito pelo Isam no que diz respeito a granja”, esclarece Luzia, informando que quando assumiu o Instituto, uma das ações pautadas era justamente a averiguação de um possível dano causado ao meio ambiente por causa dessa fumaça. “Mas em virtude da nossa demanda acabamos por priorizar alguns casos relacionados ao município”, completou.

Ela também apontou a deficiência do órgão, que conta com uma equipe reduzida e sem estrutura para fazer as fiscalizações. “É um pro-blema que já vem de muitos anos, é no mínimo desagradável morar em um lugar como esse”, afirmou.

De todos os nossos entrevistados, ouvidos nessa reportagem, apenas a direção do Hospital Regional decidiu não se manifestar sobre o assunto. Em conversa com alguns pacientes internados no HR, eles disseram que o pior momento é à tarde, quando o forno entra em atividade, expelindo uma fumaça negra fedorenta e insuportável. O produto invade literalmente as dependências do hospital provocando um grande mal-estar.

Apesar de todas as evidências apontarem para um problema sério causado pela fumaça que sai da granja Avis Pará, o gerente da empresa afirma que é apenas um pequeno odor, nada que cause tanto incômodo assim.
Compartilhar:

Missão de implantação da UFOPA começa a funcionar

Nesta sexta-feira, 04, em Brasília, foi dado um passo definitivo na implantação da Universidade do Oeste do Pará. Em solenidade no Ministério da Educação, O ministro Fernando Haddad instalou a Comissão que ficará responsável pela implantação da Universidade, e indicou o professor Seixas Lourenço, ex-reitor do UFPA, para presidir a Comissão. Para o presidente da Comissão, a criação dessa Universidade no Baixo Amazonas ajudará a superar o desafio do desenvolvimento regional.

“Precisamos criar um modelo de desenvolvimento que contribua para melhorar a vida dos povos da Amazônia e que alie produção e consumo sustentável”, afirmou. “A partir desse momento, esse projeto ganha um caráter novo, pois representa uma demanda regional e também pode – por meio desse processo – se caracterizar como uma instituição de pólo pan-amazônico, que tem uma representação até internacional devido as suas peculiaridades”, enfatiza a secretária da Pesca do Estado do Pará, Socorro Pena, que fará parte do Comitê que trabalhará também no acompanhamento e consolidação da universidade.

A UFOP terá sua sede em Santarém e contará com campi universitários em Monte Alegre, Oriximiná e Itaituba. A criação de uma universidade federal autônoma em Santarém é uma reivindicação de mais de 50 anos, segundo Everaldo Martins, secretário Planejamento do município, que representou a Prefeita Maria do Carmo na solenidade.

Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, a nova universidade deve ser totalmente concluída em quatro anos, período em que o Governo Federal investirá R$ 124,3 milhões no empreendimento. Assim que entrar em funcionamento, a UFOP já poderá atender 2 mil estudantes em 50 cursos. Até o final de 2012, a universidade estará atendendo 10.710 estudantes nos cursos de graduação, pós-graduação e mestrado. “O desenvolvimento da Amazônia só é possível levando-se conhecimento à região”, disse o ministro.

O quadro de pessoal será composto por 764 servidores, sendo 432 professores de terceiro grau, 120 técnicos administrativos de nível superior e 212 cargos técnicos administrativos de nível médio. Serão incorporados ao quadro os atuais servidores que atuam no campus da UFPA em Santarém, futura sede da nova universidade. O projeto de criação da universidade do Oeste já está tramitando no Congresso Nacional, podendo ser aprovado ainda em 2008, uma vez que não se trata de matéria polêmica.

Os deputados paraenses Paulo Rocha (PT), Zé Geraldo (PT) e Nilson Pinto (PSDB) fizeram questão de estarem presentes a esse evento, por acreditarem que a força política, neste instante, é fundamental para que o projeto seja apreciado o mais rápido possível.

“A criação da universidade significa mais um compromisso de nosso governo no sentido de expandir o ensino gratuito em todos os cantos do país, onde todos terão direito ao ensino superior”, comemorou Paulo Rocha.

Assim que o projeto for aprovado no Congresso e sancionado pelo presidente Lula, a “UFOP começa a operar imediatamente”, acredita Fiúza de Mello, reitor da Universidade Federal do Pará, instituição que, junto com o governo paraense, elaborou o projeto de criação da Universidade do Oeste.
Compartilhar:

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Alcoa investe em projetos sociais em Belém

Assim como vem fazendo em Juruti, Oeste do Pará, onde implanta um empreendimento de mineração de bauxita – bem como em todas as demais localidades onde atua – a Alcoa investe em projetos sociais que beneficiarão o público infanto-juvenil em Belém. Na manhã desta sexta-feira, às 8 horas, durante um café da manhã, na Sala Camarote A, do Hotel Hilton, o presidente da Alcoa América Latina e Caribe, Franklin L. Feder, realizará a entrega de cheques a projetos comunitários de três entidades da capital paraense: Associação Damas Salesianas, Fundação Curro Velho e APANA - Associação dos Pais e Amigos da Natação Azulina.

No ano passado, somando os recursos da Alcoa, Instituto Alcoa e Fundação Alcoa, foram doados R$ 8,9 milhões a 155 ações e projetos comunitários, beneficiando cerca de 1,6 milhão de pessoas nas localidades onde a Alcoa possui empreendimentos no Brasil. De acordo com o presidente da Alcoa América Latina e Caribe, Franklin L. Feder, os projetos sociais são uma forma de organizações e movimentos da própria comunidade colaborarem para o seu desenvolvimento, contando com o apoio de empresas e outras instituições. “Tanto as instituições como as comunidades só têm a ganhar com a parceria”, conclui.

Os projetos que terão o apoio da Alcoa formalizado nesta sexta-feira, em Belém, enfocam o fortalecimento do artesanato regional, no intercâmbio entre Belém e Juruti; a cidadania, por meio da assistência social e prevenção da criminalidade; e o apoio a jovens atletas nadadores, inclusive crianças carentes do município de Belém.

Para o superintendente da Fundação Curro Velho, Valmir Carlos Bispo Santos, os investimentos da Alcoa possibilitaram potencializar as ações na região Oeste do Pará, onde a Empresa implanta a Mina de Juruti. “O Oeste tem uma grande diversidade cultural, além da possibilidade de podermos desenvolver o potencial dos jovens locais por meio do trabalho de iniciação artística. Acredito que nosso trabalho, com o respaldo da Alcoa, terá boa visibilidade e alcance internacional.”

Com os recursos, a Associação Damas Salesianas melhorará algumas estruturas físicas do Centro de Educação Integral Mamãe Margarida (CEIMMA), um local onde, segundo a presidente da Associação, Myriam Freitas Gomes, faz-se a promoção humana integral, por meio de ações educativas, de evangelização, esporte, cultura, saúde, cidadania e entretenimento, de crianças e adolescentes e jovens do Residencial Carlos Marighela, no município de Ananindeua, região Metropolitana de Belém.

De acordo com a vice-presidente da APANA, Cristina Maria Oliveira Losada Reis, a parceria da Alcoa resultará na formação de uma nova geração de atletas da natação. “Estamos muito satisfeitos com a credibilidade que a Alcoa está nos dando. Por meio dessa iniciativa, a Empresa está adotando as nossas crianças. A gente espera que o fruto desse trabalho seja a formação de grandes atletas para a natação paraense”, avalia.
Compartilhar:

Diário Oficial traz nomeações e dispensas de gestores

O Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (2) traz a dispensa de Antônio Anselmo Bentes de Oliveira da presidência da Santa de Misericódia do Pará. No lugar dele, assume interinamente e até ulterior deliberação, Maria Silvia Martins Cumaru Leal, conforme designação também publicada pelo Diário Oficial.

Também nesta edição está publicada a nomeação do novo secretário de Estado de Administração, Orlando Bordallo Júnior, que assume o cargo em substituição a Maria Aparecida Cavalcante.
Compartilhar:

terça-feira, 1 de julho de 2008

Frase do Dia

“Informar o eleitor sobre vida pregressa de candidatos é um dever da Justiça Eleitoral”. Carlos Ayres Britto presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
Compartilhar:

DESTAQUE:

Ator Paulo Silvino morre aos 78 anos no Rio

O ator e humorista Paulo Silvino morreu na manhã de hoje (17), aos 78 anos, em sua casa na Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade d...

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive