quinta-feira, 31 de julho de 2014

Erasmo Maia deixa Semjel e reassume mandato na Câmara

Em nota divulgada no final da tarde desta quinta-feira (31), o Democratas informa que o secretário Erasmo Maia deixa o comando da Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer (Semjel) em função de uma solicitação do seu partido para se engajar na coordenação da campanha eleitoral deste ano. A partir de amanhã (1/8), Erasmo não responde mais pelo órgão. O lugar dele será ocupado interinamente pelo chefe de gabinete do prefeito, Jaci Barros. 

Erasmo Maia, ainda segundo a nota, reassume na terça-feira (4), o seu mandato de vereador na Câmara Municipal de Santarém.

A executiva do DEM delegou a Erasmo Maia a coordenação da campanha do partido em toda a região Oeste do Pará.

Compartilhar:

Ufopa reinicia coleta de dados na Feira do Pescado de Santarém

A produção pesqueira desembarcada diariamente na Feira do Pescado, situado às margens do rio Tapajós, em Santarém, é objeto de estudo de professores e alunos do Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA), da UFOPA. A partir do mês de agosto, o grupo retoma as atividades de monitoramento e de análise biológica das principais espécies ali comercializadas, através de ação de pesquisa promovida pelo Laboratório de Geoinformação e Investigação Pesqueira do ICTA, em parceria com a Colônia de Pescadores Z-20, que administra o local.

O lançamento oficial do reinício das atividades de monitoramento do desembarque do pescado acontecerá nesta sexta-feira, 1º de agosto, a partir das 9 horas, na Feira. Nesta nova fase do projeto, a pesquisa dará ênfase ao monitoramento de quatro espécies de pescado: duas em defeso (aracu e pacu) e duas fora do defeso (pescada e tucunaré). “Vamos pesar, medir e coletar as características biológicas para termos um entendimento, principalmente daquelas espécies que estão no defeso”, explica o professor Keid Nolan Silva Sousa, que coordena o projeto. “Vamos coletar os dados para a Colônia e vamos utilizá-los também para a produção científica”.

A coleta de dados acontecerá durante dois dias da semana em um local fixo na Feira, cedido pela Colônia de Pescadores Z-20. “O nosso objetivo será tentar amostrar a maior quantidade possível de pescado”, explica a mestranda Ericleya Marinho, discente do Programa de Pós-graduação em Recursos Aquáticos Continentais Amazônicos (PPGRACAM), que realizará a atividade.

Segundo o professor Keid Nolan, desde 2011 a equipe da UFOPA coleta informações sobre a produção de pescado desembarcado nesta Feira, principal porto de desembarque de peixes da cidade, como parte de um projeto maior de monitoramento biológico dos estoques pesqueiros do Baixo Amazonas. “Essa ação possibilitou que conseguíssemos um espaço fixo na Feira, como uma extensão do laboratório do nosso grupo, para monitorar os peixes que estão chegando lá”.

Conhecimento - Segundo o professor, a proposta de quantificar o desembarque do pescado e de determinar as principais espécies comerciais da cidade de Santarém, surgiu da necessidade de entender o nível de exploração dessas espécies. “Tal quantificação se traduz em informações extremamente estratégicas para a tomada de decisões pelos órgãos gestores do recurso pesqueiro”, afirma.

O projeto já conta com uma base de dados com mais de 20 mil registros de desembarque diário na Feira, em apenas três anos de monitoramento. “Hoje a única referência de dados coletados de desembarque pesqueiro em Santarém são os dados que coletamos”, explica. “Essas informações são compartilhadas com a Colônia de Pescadores Z-20 e servem de referência para eles suprirem as demandas do Ministério da Pesca”.

Serviço: Lançamento oficial do reinício das atividades de monitoramento do desembarque de peixe na Feira do Pescado, na Av. Tapajós.

Data: Sexta-feira, dia 1º de agosto de 2014, a partir das 9 horas.

Fonte: Ufopa
Compartilhar:

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Festival das Tribos fortalece o turismo em Juruti

A região turística do Tapajós, no Pará, é referência para importantes eventos culturais, a exemplo do Sairé, que acontece no mês de setembro na vila de Alter do Chão, no município de Santarém. Outra manifestação que atrai para a região anualmente um grande fluxo de turistas é o Festribal – Festival das Tribos de Juruti, que começa nesta quinta-feira e segue até o dia 3 de agosto com o tema "Duas Paixões, um só coração".

O Festival das Tribos Indígenas de Juruti ou Festribal resgata em forma de espetáculo a cultura indígena nativa da cidade e se consolida a cada ano como uma das maiores manifestações culturais da Amazônia. O palco das apresentações é o Tribódromo, onde as tribos Muirapinima (vermelho e azul) e Munduruku (vermelho e amarelo) se enfrentam pela conquista do título. A festa retrata a cultura indígena em forma de música, artes cênicas, alegorias e danças. O modo de vida do caboclo, os rituais indígenas, o pescador e o farinheiro são algumas das inspirações do festival, que ocorre desde de 1995.

Todos os anos a Companhia Paraense de Turismo (Paratur) concede apoio promocional e de divulgação ao Festival das Tribos de Juruti, que este ano chega a sua 20ª edição, tendo em vista ser o evento considerado um importante atrativo turístico na região do Tapajós, onde também se destacam, neste sentido, os municípios de Santarém, Belterra, Oriximiná, Itaituba e Óbidos, entre outros.

O Festribal, que é realizado pela Secretaria Municipal de Cultura de Juruti, também faz parte da Incubadora de Eventos da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), que durante o evento realiza na cidade uma visita técnica com objetivo de melhorar a performance do evento enquanto atrativo turístico. A ação é coordenada pelo Núcleo de Planejamento e Articulação Técnica Institucional (NATI) e pela Diretoria de Produtos Turísticos (DPRT), da Setur. A equipe vai conhecer os empreendimentos e pontos turísticos, participar da programação oficial e também de reunião com a equipe da Secretaria Municipal de Cultura para uma análise técnica do evento buscando a sua profissionalização e contribuições que possam aumentar o fluxo turístico, bem como o tempo de permanência dos turistas durante a realização do Festival.

Atualmente, nove programações são acompanhadas pela Incubadora de Eventos da Setur: Paixão de Cristo, em Barcarena; Festival do Miriti, em Abaetetuba; Festival Junino do Boi Tinga, em São Caetano de Odivelas; Festival do Camarão, em Muaná; Festival das Tribos Indígenas, em Juruti; Círio noturno fluvial de Santo Antônio, em Oriximiná; Festival do Sairé, em Santarém; Festival do Carimbó em Marapanim; e Marujada, em Bragança.

Conheça Juruti

Localização: Região Turística do Tapajós, mesorregião do Baixo Amazonas e microrregião de Óbidos.

Distância de Belém: 848 km.

Acesso: Por avião - diversas companhias aéreas e algumas linhas de Táxi Aéreo fazem vôos regulares para Juruti - e de navio - partindo do porto de Santarém, saem barcos diariamente em vários horários. Entre as empresas que fazem o transporte fluvial está a Viação Tapajós (www.viacaotapajos.com.br) Os preços das passagens variam de R$ 73 a R$ 75.

Conheça Juruti: Juruti é uma cidade pequena, bastante acolhedora e conserva todas as características dos municípios da região do Baixo Amazonas. Foi uma aldeia dos índios Munduruku, fundada, segundo Ferreira Pena, em 1818, e submetida à administração de um missionário com poderes paroquiais. Na sua história um fato incomum: por duas vezes perdeu a condição de município. O primeiro ato de criação data de 9 de abril de 1885; 15 anos depois, em 3 de abril de 1900, por questões políticas, Juruti perdeu a autonomia municipal e seu território foi anexado a Óbidos e Faro. Voltou a ser município em 3 de abril de 1913, pela Lei 1.295, assim permanecendo até o advento do Decreto estadual nº 6, de 4 de novembro de 1930, quando ocorreu nova supressão, ficando seu território sob a administração direta do Estado. Em 3 de maio de 1935, Juruti voltou a ter autonomia, mas somente em 31 de março de 1938, pela Lei 2.972, constitui-se o município com seus limites geográficos atuais.

Turismo: Entre os atrativos de Juruti podemos citar:

Lago Grande do Salé - A dez minutos da cidade, de carro ou de moto, o visitante vai encontrar com uma das mais exóticas paisagens de Juruti, o balneário da Ponte, igarapé de águas límpidas e geladas, e ainda pode contar com o serviço de restaurante, além de poder se deleitar com a natureza exuberante.

Lago do Jará - Um dos mais populares balneários da cidade, é formado pelo lago do Jará. Seus segredos e lendas encantam os visitantes e o passeio de canoa é um dos destaques, especialmente no final da tarde.

Praia do formigão (Juruti Velho) - Localizada no lago do Juruti Velho, distante do centro da cidade cerca de cinco horas de barco, ela surge no período de seca do rio, formando imensas pontas de areia que se estendem até o meio do lago.

Fonte: Agência Turismo
Compartilhar:

Mutirões carcerários no Pará e no Mato Grosso começam em agosto

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai realizar, no período de 4 a 29 de agosto, dois mutirões carcerários simultâneos, no estado do Pará e no de Mato Grosso, onde serão fiscalizadas as condições de encarceramento e a tramitação dos processos de condenados e de presos provisórios (ainda não julgados).

As equipes dos dois mutirões foram instituídas pelas portarias de número 85 e 86, assinadas pelo ministro Joaquim Barbosa, presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), publicadas em 27 de junho no Diário da Justiça Eletrônico (DJe). As atividades serão executadas pelo Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF), do CNJ.

Cada equipe terá um magistrado coordenador designado pelo CNJ. No Pará, será o juiz Eduardo Lino Bueno Fagundes, que pertence ao Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJPR). No Mato Grosso, o juiz Albino Coimbra Neto, do Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul (TJMS).

Os trabalhos serão realizados em parceria com o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA) e o Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso (TJMT). Ao final, serão elaborados relatórios com recomendações às autoridades dos dois estados para a solução das deficiências identificadas. (CNJ)
Compartilhar:

Bebedeira que acabou em morte tem condenação no Júri

Passados quase 16 anos da morte do agricultor Elinaldo Rodrigues, morador da Vila de Boim, no rio Tapajós, o Tribunal do Júri da Comarca de Santarém decidiu nesta terça-feira (29/07) pela condenação do então pescador Antonio Almeida Rodrigues, vulgo "Correia", atualmente com 43 anos, autor confesso do homicídio. 

O crime ocorreu no dia 30/09/1998, depois que houve um estranhamento entre os participantes de uma bebedeira de amigos. Antonio teria tentado apartar a briga, mas acabou participando dela e saído ferido, sendo golpeado por Elinaldo. Com raiva, voltou pra casa e se armou de uma espingarda e foi emboscar e matar a vítima numa trilha da comunidade.

A promotora Aline Martins sustentou a condenação do réu pelo crime de homicídio duplamente qualificado. Os jurados, por maioria de votos, acataram essa tese e o juiz Gerson Marra Gomes aplicou a pena de 11 anos e seis meses de reclusão em regime fechado, no júri que terminou por volta das 16h00. A defensora pública que atuou na causa do réu, Jane Amorim,recorreu da sentença. Como respondia o processo em liberdade, Antonio vai aguardar o julgamento do recurso na mesma condição.

O Tribunal do Júri volta a se reunir na quinta-feira para julgar Waldinei Moab Pires acusado de tentar matar Elias Daniel Pinto, em 2005.

Fonte: J. Ninos
Compartilhar:

terça-feira, 29 de julho de 2014

Juiz ordena reintegração de posse de área na Fernando Guilhon


A área de terras pertencente às empresas Sisa Salvação e Buriti Empreendimentos, localizada à margem direita da rodovia Fernando Guilhon, em Santarém, deverá ser desocupada por dezenas de famílias de sem-teto que lá se encontram há cerca de 30 dias.

A decisão, lavrada nesta segunda-feira (28), é do juiz Laércio de Oliveira Ramos, da 3ª Vara Cível de Santarém.

Ela vem à reboque de um pedido de liminar feito pelas proprietárias da área.

Laércio Ramos autorizou o uso da “força policial”, se necessária, para o cumprimento do mandado judicial. Determinou ainda que Margarete Teixeira Ferreira, líder da ocupação, seja notificada de sua decisão.

A área se encontra sob embargo judicial desde o final de 2012 – pouco depois do início das obras de loteamento “Cidade Jardim”, de iniciativa do consórcio Sisa-Buruti.
Compartilhar:

MPF recomenda regularização de pistas de pouso em terras indígenas

O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) recomendou que a Fundação Nacional do Índio (Funai) registre dez pistas de pouso e decolagem em terras indígenas no Pará. O objetivo é regularizar a entrada e saída das aldeias acessíveis somente por via aérea e, com isso, garantir o atendimento à saúde dos índios que vivem nessas terras.

A Procuradoria da República em Itaituba estabeleceu o prazo de cinco dias, a contar do recebimento do documento, para que a Funai se manifeste sobre o acatamento da recomendação. Em caso de descumprimento, o MPF/PA pode entrar com ações cabíveis para garantir a regularização das pistas de pouso e decolagem em terras indígenas.

O MPF/PA ressalta que os aeródromos sem registro não podem ser utilizados de forma regular, impossibilitando a ação do subsistema de atenção à saúde indígena, que prevê o atendimento nas aldeias, nos polos base e no Sistema Único de Saúde (SUS), dependendo da complexidade do caso.

As pistas que seguem sem registro ficam nas aldeias Kaburuá, Teles Pires, Caroçal do Rio das Tropas, Katõ, PV (Posto de Vigilância), Waro Apompõ, Barra São Miguel, Baú, Pykany e Kubenkokre.

Saúde Indígena – Em outro documento, o MPF/PA também recomendou que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) providencie a remoção imediata, via transporte aéreo, de pacientes de alta médica e de seus familiares das aldeias do alto e médio Tapajós, além de garantir a regularização na entrega de medicamentos, equipamentos e transporte de profissionais de saúde até os polos base situados em terras indígenas com acesso somente por via aérea.

Fonte: MPF
Compartilhar:

Furnas procura parceiros para disputa da UHE São Luiz do Tapajós

Furnas abriu chamada pública para constituir parcerias em formas de consórcio ou sociedade de propósito específico, para estruturar a sua participação no leilão da UHE São Luiz do Tapajós (6.133 MW). Os interessados devem se manifestar até às 18 horas do próximo dia 15 de agosto para inscrição. A usina vai ser licitada pela Agência Nacional de Energia Elétrica. Mais informações para os interessados estão à disposição no site www.furnas.com.br.

O escolhido na chamada pública fará companhia a China Three Gorges, que recentemente assinou parceria com Furnas para disputa do leilão da usina. Na última sexta-feira, 25 de julho, o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim, revelou que espera fazer o leilão da usina ainda este ano. Segundo ele, o processo de licenciamento está em andamento. Estudos indicam que a usina ainda deve ter a sua potência aumentada em cerca de 1.000 MW.

Fonte: Canal Energia
Compartilhar:

Operadora lança tarifação por dia para clientes do Pará

Trezentos minutos em chamadas para qualquer TIM do Brasil por um valor fixo por dia. Essa é a vantagem que a operadora disponibiliza para os seus novos clientes pré-pagos do Pará. Com a nova oferta, os usuários do plano Infinity serão tarifados em R$ 0,75 na primeira ligação que fizerem e poderão falar sem novas cobranças até o fim do dia ou até atingirem o limite diário de cinco horas de chamadas.

“A tarifação por dia reforça a nossa estratégia de trazer para o mercado inovações que estimulem os clientes da TIM a falarem mais e irem ainda mais longe. A nova oferta é de fácil entendimento e sem pegadinhas, como taxa de adesão ou recarga obrigatória. Com os fortes investimentos que aplicamos em infraestrutura, o cliente poderá se comunicar onde estiver com melhor experiência de uso dos serviços e, agora, com mais economia“, afirma Roger Solé, CMO da TIM Brasil.

A tarifação por dia é válida para chamadas locais e DDD (com uso do código 41) para qualquer número TIM do Brasil, móvel ou fixo. Caso ultrapasse a franquia de voz de 300 minutos, os clientes voltam a ser cobrados por chamada de duração ilimitada – R$ 0,25 por ligação – dentro da mecânica normal do plano Infinity. Os outros serviços, como acesso à internet e envio de mensagens de texto, continuam com seus valores atuais. Vale ressaltar que a TIM integra navegação na internet e envio ilimitado de SMS para qualquer operadora em uma única oferta – a Infinity Web + Torpedo – com cobrança de R$ 0,75 por dia de uso. As ligações para números fixos locais são cobradas à parte e com tarifa de R$ 0,60 por chamada de duração ilimitada.

Para contar com a tarifação diária nas ligações, os atuais clientes Infinity precisam se cadastrar diretamente pelo celular e de forma gratuita, ligando para *222 ou *223 ou enviando uma mensagem de texto com a palavra “DIA” para o número 4100 (os clientes dos DDDs 14,15,16,17,18 e 19 devem enviar a palavra “PRÉ”). Já os novos consumidores adquirem o chip com a nova oferta ativada, sem necessidade de cadastro prévio.

Fonte: Divulgação/TIM
Compartilhar:

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Água da 'Lago Azul' é imprópria para consumo e lazer, diz laudo da Ufopa

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), recebeu nesta segunda-feira (28), o resultado da análise físico-química e bacteriológica sobre a água da lagoa azul. De acordo com o laudo da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), e a Resolução 430/2011 do CONAMA, que complementa e altera a Resolução n. 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional de Meio Ambiente e a julgar os parâmetros analisados, a amostra de água analisada pela instituição evidencia que a água está em desacordo com os padrões vigentes, apresentando cobre, Cromo, Níquel e Coliformes Termotolerantes, ou seja, a água apresenta coliformes fecais acima do padrão estabelecido pelo CONAMA. Resumindo a água é imprópria para consumo e lazer.

A Semma de imediato vai notificar o proprietário da área para que proceda o isolamento, evitando a presença de banhistas, já que se trata de uma área privada. Isso deve ser feito o mais rápido possível. A Semma também vai solicitar que o proprietário coloque placas indicativas, alertando sobre a qualidade da água.

O órgão ambiental vai solicitar ainda as licenças ambientais do proprietário para exploração do minério. Caso a área não seja licenciada ou as licenças estejam vencidas, serão aplicadas as multas e ele responderá a procedimento administrativo. A Semma também deve comunicar ao Ministério Público Estadual. (PMS)
Compartilhar:

Projeto ajuda a recuperar dependentes químicos

Criada em janeiro de 2012, a Comunidade Terapêutica O Bom Pastor, localizada no São Braz, na região do Eixo Forte, em Santarém, no oeste do Pará, tem como principal objetivo recuperar dependentes químicos e inseri-los de volta à sociedade por meio de atividades culturais, sociais e espirituais. Desde sua criação pelo menos seis pessoas, que antes viviam drogadas e alcoolizadas, foram totalmente recuperadas e hoje trabalham e são voluntárias no próprio projeto. A internação é voluntária e, segundo o coordenador e idealizador do projeto, Omar Almeida Kostov, os dependentes químicos passam por um período de tratamento de seis meses, divididos em cinco etapas: adaptação ao projeto; conscientização e arrependimento; crescimento interior e espiritual; reintegração social e profissional e retorno à família e à sociedade. “São as principais etapas para quem pretende abandonar o vício das drogas e do álcool”, explicou Omar, ex-alcoólatra e que está há cinco anos sem ingerir bebida alcoólica.

Omar afirma que o abandono do vício depende de muito esforço das pessoas, sobretudo do apoio familiar e dos amigos. “O viciado busca no vício, seja drogas ou álcool, a válvula de escape para todos os seus problemas. Ele acha que se drogando vai conseguir resolver seus problemas. Não vai. A recuperação é o único caminho para uma vida renovada e com novas perspectivas. Mas é fácil superar tudo isso sozinho”, disse Omar Kostov, ressaltando que a Comunidade Terapeuta está aberta para todas as pessoas que queiram se livrar das drogas e cultivar uma vida mais saudável e longe dos vícios.

Ele relata que a sua própria libertação das drogas foi uma provação da fé em Deus. “Eu sozinho jamais conseguiria superar o meu vício. Eu era um alcoólatra. Só dormia se estivesse bêbado. Teve um dia que eu decidi tentar parar, mas sabia que sozinho não conseguiria. Foi então que eu me apeguei a Deus e pedi com fé que ele me ajudasse, pois sozinho eu não era capaz. Deus me libertou e hoje eu ajudo outras pessoas a buscarem renovação nas suas vidas. O ser humano não é totalmente mau. As pessoas podem mudar se acreditar que elas são capazes de mudar”, disse.

Ex-viciado conta como superou as drogas

Pela Comunidade Terapêutica já passaram cerca de vinte pessoas. Algumas iniciam o tratamento para a recuperação, mas logo desistem por causa da recaída e retornam ao vício. Mas com muita persistência e força de vontade é possível superar a dependência química. É o caso do pedreiro Joseli do Nascimento Silva, 38 anos. Desde os 14 anos ele era viciado em drogas e álcool. Foi quando conheceu Omar, através de um amigo, e iniciou o tratamento. No início conseguiu ficar longe do vício, sobretudo da cocaína. Porém, teve uma recaída e largou o tratamento. Voltou um mês depois à comunidade e iniciou tudo de novo. Ele lembra que por quatro vezes entrou e saiu do projeto sem conseguir concluir as cinco etapas de tratamento. Na última, no entanto, voltou mais determinado a fim de abandonar a dependência das drogas. Joseli chegou a ser preso por assalto e cumpriu pena no Centro de Recuperação Agrícola ‘Silvio Hall de Moura’, em Cucurunã. “Da última vez, eu senti uma vontade grande de largar o vício e me dedicar ao tratamento. Foi quando voltei pra comunidade e me dediquei para me livrar desses vícios. Hoje, sou outra pessoa. Tenho uma profissão e o respeito das pessoas. Só com muita fé e determinação você consegue abandonar as drogas. Aqui, nós encontramos a paz que tanto desejamos”, exemplificou.

Exemplos como o de Joseli são comuns na comunidade. Hoje, são sete pessoas que vivem em plena harmonia espiritual e superando dia após dias o vício com as drogas. O trabalho dos coordenadores consiste no ensinamento de conduta e profissional, mostrando aos internos a importância da ressocialização. Além disso, eles recebem ensinamentos bíblicos, social e familiar e participam de atividades como a laboterapia com atividades no campo, recebem ainda assistência psíquica e são atendidos por psicólogos. Omar explica que o projeto conta com o apoio da Prefeitura e de empresas privadas. As atividades são mantidas graças a doações que e entidade recebe.

O local onde os internos ficam é mantido justamente por essas colaborações. Existe um alojamento com três quartos com capacidade para cinco pessoas. Em um desses quartos está o ex-morador de rua conhecido como ‘João de Barba de Ouro’. ‘João’ foi esfaqueado no início do ano e depois de ser internado no PSM foi entregue aos cuidados da Comunidade Terapêutica, onde está até hoje, recebendo cuidados médicos e alimentação. Ele está lá desde março. “Temos uma parceria com a Prefeitura, através do Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Outras Drogas (CAPS AD) e do Centro POP. Nós acolhemos algumas pessoas que encontramos nas ruas e damos assistência que elas necessitam”, completou Omar.

Omar disse que as pessoas que queiram colaborar com o projeto podem fazer doações. Informações podem ser obtidas através do telefone (93) 9182-2074 ou pelo e-mail: omarkostov@yahoo.com.br.
Compartilhar:

Opinião: Eleições: Tipos de eleitores

Por: David Marinho*
Muitas são as anedotas que se falam sobre os cachorros (cães); uns dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, mas outros afirmam: “é porque ele não conhece dinheiro”! Outros confabulam que é melhor ter um “cachorro amigo, do que um amigo cachorro”. Algumas mulheres quando o marido chega tarde a casa, cansado, depois de uma longa jornada de farra, digo, de “trabalho à noite”. Gritam para toda vizinhança ouvir: “onde tu estavas seu cachooorro!?”. Outras para xamegar seus homens sussurram ao pé de seus ouvidos: “vem cá meu cachorrinho..., diz au, au pra mim, vai...”

Observando a vida político-eleitoral do Brasil e seus resultados práticos, chego à conclusão com esta ironia, que a maioria dos “eleitores brasileiros”, tem uma peculiaridade “canina”. Com poucas exceções, esses eleitores podem ser comparados às diversas raças de cachorros (cães), que existem nesse nosso imenso país. Primeiro digo instinto canino, porque se fala que cachorro não tem vergonha (sem moral), e quando alguém tem uma vida longa de sofrimento, diz-se que está tendo uma “vida de cachorro” (eleitor passivo); quando perambulam pelas ruas vadiando, são denominados de “cachorro sem dono” (eleitor sem identidade cívica), mas todos têm uma característica marcante em comum, mesmo apanhando de seus donos, volta e meia estão lambendo as pernas dos desgraçados (políticos), outra vez.

Vamos ver se há razão nisso tudo; temos o “eleitor-cachorro-fila”; aquele que vota sem compromisso e passa parte da sua vida na “fila” do INSS, do Banco do Povo; da Farmácia do Povo; do Bolsa Família; do Primeiro Emprego; da Cesta Básica, etc., sendo o único genuinamente brasileiro, onde podemos concluir que é um grandessíssimo dependente por natureza. O “eleitor-cachorro-vira-lata” é o mais escroto de todos, pois se contenta com qualquer porcaria, como por exemplo um osso, e vive revirando os lixões da vida e ainda vota errado. Temos o “eleitor-cachorro-vira-louça”, que troca seu voto por qualquer prato de comida, só para matar sua fome imediata e não pensa na coletividade nem no seu futuro e de seus filhos. O “eleitor-peixe-cachorro”, só invertemos os termos, é aquele que gosta de viajar de barco “rio-abaixo, rio-acima”, quando mendiga com a cara mais cínica do mundo e recebe gratuitamente em tempo de eleição uma passagem de barco como forma de esmola do candidato ou uma tapinha nas costas, se sentindo feliz, e entrega seu voto ao “armador” pensando que está abafando em cidadania, mas na verdade está vendendo sua dignidade...

Continuando com a cachorrada, temos o “eleitor-cachorro-pequinês”, que não valoriza seu voto e o dá como sendo uma coisa pequena, desde que se imagine no colo da madame ou do patrão e receba sua porção de ração canina; aí vem o “eleitor-cachorro-poodle”, de vez em quando lhe arrancam todos os pelos, mas continua lambendo o suor nojento de seu dono (político), e permanece fiel e rosnando para defendê-lo. Temos ainda o “eleitor-cachorro-calazarento”, que passa o ano todo nas filas dos hospitais e pronto-socorros sendo mal atendido, humilhado, para curar suas sarnas e diante de uma “fanfarrice com mentiras” de um candidato inescrupuloso, esquece das suas coceiras, e entrega numa boa seu voto, e ainda fica abanando o rabo, mesmo que lhe mandem direto para o Centro de Zoonose, onde sua moral (se é que tem) é sacrificada!

Não acabou não gente! Ainda tem vaga no canil; temos o “eleitor-cachorro-faminto” que pode ser de qualquer raça e que está sempre rondando os políticos e cargos públicos, mendigando migalhas e quando leva um chute no traseiro, mete o rabo entre as pernas, fica latindo à distância, mas não se afasta por nada, esperando que um novo osso lhe seja atirado, e se aproxima babando. O “eleitor-cachorro-vadio” se escora em órgãos públicos como cabo eleitoral, só para receber o salário e não tem disposição nem para se coçar... Temos o “eleitor-cachorro-do-mato”, que mesmo vivendo abandonado na área rural e comunidades isoladas, sem estradas, sem energia, sem saúde nem escolas, queima seu voto no aceiro da desilusão...

Ah! Como gostaria que aparecesse o tipo de ”eleitor-cachorro-pitbull”! Seria talvez o único tipo de “eleitor-cachorro” que poderia salvar o Brasil das mãos dessa corja de políticos safados e bandidos. Pois sabemos da agressividade dessa raça de cachorro como sendo a única, que pelo seu instinto de “justiça animal” poderia saltar no pescoço desses “abençoados pelo cão” canalhas e facínoras, arrancando-lhes a jugular ou colocando esses pilantras para correr, dando-lhes um cagaço, para que não façam do povo brasileiro, que não sabe o que quer, nem para onde ir; massa de manipulação de seus interesses escusos, que infelizmente no Brasil ainda é a grande maioria!

- Au, au, au, au!!! - Passa já daí seu pulguento!

- Caiiim, caiiim, caiiim...

Caro eleitor, nesta eleição vamos começar a passar nosso país a limpo, não votando em candidatos pilantras! Seu voto é como um tijolinho, que junto a milhares realizam uma grande obra, ou seja, a construção de uma grande nação democrática chamada Brasil! Valorize seu voto e invista no futuro de sua descendência...

*É Projetista e Gestor Ambiental
Compartilhar:

Eleitores que pediram transferência podem pegar título a partir de hoje

A partir de hoje (28), os eleitores que pediram inscrição ou transferência podem ir buscar o título de eleitor no cartório eleitoral mais próximo de sua residência. O prazo final para que a Justiça Eleitoral estivesse com essa documentação pronta para entrega também terminou ontem (27).

Desde domingo, também estão disponíveis para consulta nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) os nomes das pessoas que comporão as Juntas Eleitorais. Esse órgão colegiado provisório é constituído por dois ou quatro cidadãos e um juiz de direito, que o presidirá e poderá nomear escrutinadores e auxiliares extras para os trabalhos.

Os nomes das pessoas indicadas para compor as juntas são publicados em tempo hábil para que qualquer partido político possa pedir a impugnação das indicações. Com a composição anunciada até 60 dias antes das eleições pelos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), as Juntas Eleitorais têm a obrigação de apurar, em até dez dias, as eleições feitas nas zonas eleitorais sob sua jurisdição, expedir os boletins de apuração e diplomar os eleitos para cargos municipais. (ABr)
Compartilhar:

No fim do caminho tinha uma Alemanha...

Por: Pedro Cardoso da Costa*
Pelo futebol jogado na Copa, o Brasil deveria ter sido eliminado na primeira fase. Jogou mal contra a Croácia, com apoio do árbitro e de um poste no gol deles. O gol de Neymar e o de Oscar eram defensáveis. Mereceu perder para o México e jogou para o gasto com Camarões, cuja seleção o Bahia daria uma goleada maior do que a dada pelo time de Scolari.

Perdeu de sete da Alemanha e perderia pelo mesmo placar com Thiago Silva e Neymar, já que este foi a grande primeira mentira. Sempre faz a festa com suas firulas contra seleções fraquíssimas. Por enquanto perdeu os principais títulos que disputou pela seleção, sempre jogando pouco ou nada. Já foram a Copa América, as Olimpíadas e a Copa do Mundo. Ele se tornou genial na arte de mostrar cuecas e de fazer comerciais.

Essa tal de renovação, após as derrotas, se tornou a segunda mentira recorrente. Alemanha fez um trabalho de base e amplo. Aqui, a renovação é escolher apenas um novo treinador para vencer tudo nos amistosos e torneios inexpressivos. Quando se aproxima da Copa é trocado. Tanto se renova que Parreira está na seleção há meio século, seguido por Zagallo, Telê e Luís Felipe Scolari.

Outra mentira disseminada seria que seleção brasileira significa a escolha dos melhores. Isso ocorria no passado longínquo. Nas últimas décadas trocaram o critério pelos tais homens de confiança, grupo fechado e fidelidade. Essas condutas poderiam ser importantes nas relações individuais e amorosas; jamais para a escolha de quem vai representar um país num esporte. A confiança tem que ser na capacidade de desempenhar uma tarefa melhor do que os demais e nunca na pessoa.

Tanto que o goleiro Júlio César voltou por ato de benevolência. Fred foi a confirmação de que a teoria de Lula eleger poste foi utilizada na seleção e Hulk provou que não são escolhidos os melhores, embora tenha se empenhado bastante, mas só esforço é outra coisa.

Faz parte desse rol de mentiras achar que “fechar” e ter “grupo na mão” são relevantes para ganhar alguma coisa. Nem a decantada união, nem o patriotismo piegas, que levou os jogadores a disputar quem escancarava mais a boca na hora no hino, têm importância para vencer competição.

É preciso entender que atletas devem ser mantidos no seu país. Não por força de normas legais, mas pela recompensa financeira e de estrutura.

Além dessas fantasias delirantes, os jogadores brasileiros criaram uma necessidade psicológica de ter um perseguidor. Sempre que vencem alguma coisa, repetem a cantilena de que “isso é uma resposta aos críticos, que não acreditavam na gente”...

Fortaleceram nossa cultura de achar que toda crítica é mal-intencionada e negativa, na proporção inversa de que todo elogio é bem-intencionado, verdadeiro e positivo.

Quem acreditou nessa seleção o fez por conveniência, para ser simpático, por patriotismo fortuito ou foi levado pelos chavões de Galvão Bueno e seus papagaios, que falam o que ele quer ouvir, mas sete foi pouco e não foram levados antes ou por sorte ou por que faltou uma Alemanha no caminho.

* É Bacharel em direito
Compartilhar:

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Hidrelétrica do Tapajós pode ser leiloada

A construção da Usina Hidrelétrica de São Luiz do Tapajós, no Pará, pode ser leiloada no fim deste ano, se não houver problemas com o licenciamento ambiental, informou hoje (25) o presidente da Empresa de Pesquisa Energética, Maurício Tolmasquim. Segundo ele, para definir a construção e a operação do empreendimento, será realizado um leilão exclusivo.

"É uma usina estruturante e vai ser um leilão só para ela, como foi no Rio Madeira e com Belo Monte. É claro que temos que aguardar, porque tem todo um processo de análise dos autos ambientais, parecer da Funai [Fundação Nacional do Índio], audiências públicas. Todo um rito que tem que ser respeitado. E é claro que a palavra final é da área ambiental, mas esperamos que tudo corra bem."

Apesar disso, Tolmasquim considera viável falar em leilão ainda neste ano: "Está andando. É viável sair neste ano, mas eu acredito que mais para o final. Certamente, no último trimestre", detalhou.

O presidente da EPE também falou sobre iniciativas para alavancar a produção de energia solar no Brasil, e adiantou que está em fase final a preparação de uma linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o setor. De acordo com Tolmasquim, recursos do Fundo Clima devem ser usados para baratear o financiamento.

"A diretoria deve apreciar isso brevemente, e eles vão anunciar a política para que as empresas interessadas possam saber se estão habilitadas, ou não, para o nível de financiamento", disse Tolmasquim. Para ele, a questão é progressiva, e esse tipo de ajuda é um primeiro passo para criar mercado e, com isso, estimular a fabricação de equipamentos no país.

"É claro que, no primeiro leilão, não se pode exigir que os empreendedores comprem equipamentos com alto conteúdo nacional, porque não vai ter. No entanto, começa-se lentamente e vai-se progredindo ao longo do tempo", concluiu Tolmasquim.

Fonte: Agência Brasil
Compartilhar:

Armazém Geral da ZFM: empresa vencedora da licitação será conhecida no mês de agosto

O prefeito Alexandre Von esteve, ontem (quinta-feira, 24), na Secretaria da Fazenda do Estado do Amazonas, onde reuniu com o governador do Estado, José Melo, e o titular da Pasta, Afonso Lobo, para ultimar os preparativos para instalação do Armazém Geral da Zona Franca de Manaus, em Santarém.

"Durante a reunião fui informado que a licitação está na fase final e ainda no mês de agosto vamos assinar o contrato com a empresa vencedora, que será responsável pelos investimentos para armazenagem e distribuição dos produtos industrializados na Zona Franca de Manaus, a partir de Santarém", informou o prefeito.

InterCement - Alexandre Von também esteve no início desta semana na cidade de São Paulo, onde reuniu com a direção da empresa InterCement, subsidiária do Grupo Camargo Corrêa, que projeta instalar uma fábrica de cimento na região Norte do País. Santarém e Manaus estão na disputa para receber o empreendimento.

O prefeito informou que nos próximos 60 dias, a Prefeitura de Santarém, o Governo do Estado do Pará e a Intercement construirão um Termo de Compromisso, que será assinado pelas três instituições.

"Esse Termo de Compromisso objetiva unir esforços para que este empreendimento possa vir para Santarém", esclareceu Von.

Fonte: PMS
Compartilhar:

Condenada mulher que quase matou nove crianças e adolescentes com bolo envenenado

Depois de 17 horas de sessão, o Júri Popular da 10ª Vara Penal selou, nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (25/07), o destino de uma mulher enciumada: Joelma Batista de Sousa, 35 anos, mãe de oito filhos que quase matou nove crianças e adolescentes da comunidade do Tipizal ao enviar no dia 01/12/2008, de presente, um bolo envenenado com raticida, acabou condenada por maioria de votos dos 7 jurados.

O juiz Gérson Marra Gomes aplicou inicialmente uma pena de 8 anos por cada um dos 9 crimes, entretanto, como houve o concurso formal dos crimes previsto no artigo 70 do CPB, foi aplicada apenas uma das penas, acrescida de mais 1/6, aumentando para 9 anos e 4 meses de reclusão. Dessa pena será descontado o tempo em que a ré já ficou presa (1 ano e seis meses), o que dará à ré o direito de cumprir a pena em regime semiaberto. Tanto o defensor público Vinícius Toledo, quanto a promotora Sabrina Kalume. anunciaram que vão recorrer da sentença.

Confete de Chumbinho - A maioria das vítimas pertencia à família do agricultor Nelson Pereira da Silva. O bolo de chocolate confeitado de Chumbinho (veneno para rato) foi destinado à jovem Diana Sousa da Silva, à época com 15 anos, filha de Nelson. Joelma nutria por ela um ciúme doentio por acreditar que esta teria um caso com seu companheiro Manoel Erivaldo dos Santos, que era primo distante da jovem e que vivia passeando em sua casa.

À época, além de Diana, foram envenenados com o bolo seus irmãos Cleidiane Sousa da Silva (10 anos) e Edinelson Sousa da Silva (8 anos) e a filha de Diana, Kletlelem Kailane da Silva, que tinha apenas um ano de idade. Outros adolescentes da vizinhança também foram convidados a comer do bolo macabro: Francisca Marliane dos Santos (17), Lana Paula Coelho Pereira (16), Antonia Michele dos Santos Pimentel (14), Jaiane da Silva Carvalho (14) e Maria de Jesus Silva Carvalho (de apenas 6 anos).

Debates - A sessão começou na manhã de quinta-feira (24/07) e tinha a previsão de ser realizada em dois dias, mas das 9 vítimas previstas, apenas 6 compareceram e foram ouvidas e das 6 testemunhas, apenas 4 compareceram e falaram. O defensor público não fez muitas perguntas às testemunhas e recomendou à ré que usasse de seu direito constitucional de permanecer calada. Dessa forma, o juiz Gerson Marra Gomes não precisou iniciar seu interrogatório.

O MP começou mostrando um dos vídeos de reportagens constantes no processo onde Joelma confessa o crime e se diz arrependida. Nessa entrevista, Joelma confirmou que tinha, à época, 7 filhos e que andava com o raticida (chumbinho) na bolsa para que eles não tivessem acesso ao veneno, e com raiva das informações sobre um suposto caso de seu marido com a jovem Diana, resolveu comprar o bolo na antiga padaria Lucy (na avenida Tapajós) e antes de ser embalado, jogou o chumbinho sobre a cobertura de chocolate do bolo. Contratou um mototaxista que levou o bolo junto com sua esposa à comunidade de Tipizal.

O Tribunal do Júri volta a atuar na próxima terça-feira.

Fonte: J. Ninos
Compartilhar:

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ufopa renova convênio para concessão de bolsas da Fapespa

A Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) renovou o convênio com a Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa (Fapespa), que visa ao fortalecimento de programas de pós-graduação e de pesquisa, por meio da concessão de bolsas de doutorado, mestrado e de iniciação científica para instituições de ensino superior sediadas no Pará. Para esta nova etapa da parceria entre as duas instituições, a Fapespa aprovou a concessão de 17 novas bolsas de pós-graduação e de 81 bolsas de iniciação científica, totalizando R$ 960 mil Reais em investimentos para a comunidade acadêmica da UFOPA.

De acordo com a Diretora de Pesquisa da UFOPA, Delaine Sampaio da Silva, houve um aumento de 60% no número de bolsas da Fapespa para a iniciação científica. “Do total de 179 bolsas PIBIC hoje em vigência na UFOPA, 52 são da Fapespa. Com a renovação deste convênio, passaremos a contar com 81 bolsas da Fundação, que serão implementadas a partir do segundo semestre deste ano”, esclarece. No valor de R$ 400,00 mensais, as bolsas de iniciação científica da Fapespa têm duração de um ano.

Segundo Delaine Sampaio, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) da UFOPA recebeu este ano cerca de 250 propostas de pesquisas submetidas pelos professores da instituição. A lista com as propostas selecionadas será divulgada a partir do dia 25 de julho e as bolsas serão implementadas até o dia 15 de agosto. "A nossa meta e desafio são de, igualmente, investir em qualidade e não apenas em quantidade. Por isso a PROPPIT está dialogando com a direção superior e com outros atores visando a abertura de editais internos de fomento à pesquisa", afirma.

Pós-graduação – A pós-graduação da UFOPA também receberá nova quota de bolsas financiadas pela Fapespa. “A nossa instituição foi contemplada com 12 bolsas para alunos dos cursos de mestrado, no valor mensal de R$ 1.500,00 reais; e cinco bolsas, no valor mensal de R$ 2.200,00 reais, que serão destinadas para alunos do curso de doutorado em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento”, informa o Diretor de Pós-graduação da UFOPA, Manoel Roberval Pimentel Santos.

Segundo o diretor, as bolsas de mestrado serão distribuídas entre os seguintes programas de Pós-graduação: Recursos Naturais da Amazônia (PPGRNA), com duas bolsas; Recursos Aquáticos Continentais Amazônicos (PPGRACAM), com uma bolsa; em Educação (PPGE), com três bolsas; e em Biociências (PPGBIO), com seis. “Usaremos os mesmos critérios de concessão de bolsas da Capes para selecionar os bolsistas”, explica.

Em março deste ano, a Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Tecnológica (PROPPIT) da UFOPA submeteu à Fapespa uma proposta para concorrer ao edital de concessão de quotas de bolsas de mestrado e doutorado destinado às instituições de ensino superior sediadas no Pará. Segundo Manoel Santos, a Universidade já encaminhou toda a documentação solicitada pela Fundação. “A previsão é de que o termo de cooperação anual seja assinado ainda em julho e as bolsas sejam implementadas até agosto deste ano”.

Fonte: Ascom/Ufopa
Compartilhar:

Laurimar Leal completa 75 anos nesta quinta-feira

Num dia como hoje, no ano de 1939, nascia em Santarém, na região oeste do Pará, um dos mais completos e conceituados artistas plásticos do município. Laurimar dos Santos Leal, ou simplesmente Laurimar Leal, completa nesta quinta-feira (24), 75 anos. Ícone de uma geração de artistas que revolucionaram o cenário cultural da Pérola do Tapajós, Leal é considerado um gênio, apesar da pouca valorização e reconhecimento que recebe da sociedade local. Pintor, escultor, artesão e compositor, o artista tem seu trabalho reconhecido internacionalmente, mas reclama da falta de incentivo do povo de sua terra. Obras de sua autoria cruzaram inclusive as fronteiras brasileiras e hoje são apreciadas em outros países, onde detém notoriedade e fama. Laurimar já morou em outros estados e essa experiência fora do convívio local ajudou no aprimoramento de suas técnicas, sobretudo nos trabalhos feitos em telas com pinturas a óleo. Em Santarém, há inúmeros trabalhos seus espalhados pela cidade. Alguns já fazem parte do cotidiano do povo mocorongo.

O estilo surrealista do artista encantou amantes das artes em terras europeias, onde em 1995 uma exposição com seus trabalhos deslumbraram os parisienses. Ele trabalha desde os nove anos com escultura, pinturas e cerâmica de Santarém. Laurimar estudou em um seminário franciscano na Paraíba, antes de se dedicar canto e às artes plásticas.

Modesto para engrandecer a própria obra e humilde em aceitar os elogios à sua arte, Laurimar Leal se ressente do reconhecimento do público local. Apesar do avanço da idade e da cegueira, causada pelo glaucoma, Leal continua trabalhando. Atualmente, ele cuida de um dos principais patrimônios histórico de Santarém: o Museu João Fonna. É lá que está guardada uma parte da rica obra do artista, que sempre buscou inspiração na rica cultura amazônica. Quando o centro cultural estava aberto à visitação, Laurimar recebia a todos com simpatia e paciência. Ele é portador de histórias importantes do passado santareno, principalmente dos ‘causos’ que movimentaram as gerações passadas. 

Laurimar Leal foi o fundador da primeira escola de samba de Santarém e já exerceu o cargo de secretário de Cultura do município seis vezes. Seu nome é referência da cultura santarena, tapajônica e paraense.

Compartilhar:

quarta-feira, 23 de julho de 2014

PRE combate candidaturas eleitorais de fachada

A Procuradoria Regional Eleitoral no Pará (PRE/PA), órgão que exerce a função eleitoral do Ministério Público Federal no Estado (MPF/PA), encaminhou nesta quarta-feira, 23 de julho, pedidos de investigação de candidaturas de servidores públicos suspeitas de terem sido registradas apenas para que o servidor usufruísse três meses de licença remunerada. Também é possível que, além de propiciar longas “férias” para os servidores, parte dessas candidaturas tenham sido registradas só para que os partidos cumprissem o número mínimo obrigatório de candidaturas de mulheres.

Na prática, esses são candidatos “de fachada”, registrados apenas para propiciar vantagem indevida ao servidor público e, no caso das candidaturas feitas apenas para o cumprimento da cota feminina de candidatos, para que os partidos não desrespeitem a regra que obriga o preenchimento de pelo menos 30% das candidaturas por mulheres. São candidatos que não fazem campanha nem têm projeto de atuação como representantes políticos.

A estimativa do Procurador Regional Eleitoral, Alan Mansur Silva, é que pelo menos 80 candidaturas registradas nas eleições de 2012 se enquadrem como candidaturas “de fachada”. A PRE/PA encaminhou o pedido de investigação desses casos ao coordenador do Centro de Apoio Operacional Constitucional do Ministério Público do Estado do Pará (MP-PA), o promotor de Justiça Ivanilson Paulo Corrêa Raiol, e ao coordenador do Núcleo Cível da Procuradoria da República no Pará, o procurador regional da República José Augusto Torres Potiguar.

A PRE/PA solicitou que membros do MPF//PA e do MP-PA em todo o Estado analisem os casos suspeitos para verificar se houve improbidade administrativa por parte dos candidatos. Atos de improbidade administrativa são puníveis com penas como a perda da função pública, suspensão dos direitos políticos, pagamento de multa, ressarcimento do dano aos cofres públicos e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

Serviço: como fazer denúncias eleitorais no Pará
Pelo aplicativo de celular WhatsApp, no número (91) 8403-5255.
Pela internet, as denúncias são recebidas no site www.cidadao.mpf.mp.br.
A partir de agosto, também pelo disque-denúncia, no telefone 0800-0960003.
Para fazer denúncia de forma presencial, compareça a uma das unidades do Ministério Público Federal no Pará (endereços em www.prpa.mpf.mp.br), ou a uma das unidades do Ministério Público do Estado (endereços em www.mp.pa.gov.br).

Fonte: MPF
Compartilhar:

Morre no Recife, aos 87 anos, o escritor Ariano Suassuna

Morreu no Recife, nesta quarta-feira (23), o escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87 anos. Ele estava internado desde a noite de segunda (21) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Português, onde foi submetido a uma cirurgia na mesma noite após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico. Segundo boletim médico, o escritor faleceu às 17h15. "O paciente teve uma parada cardíaca provocada pela hipertensão intracraniana".

O velório do corpo do escritor começa ainda esta noite, no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. A partir das 23h, será aberto o acesso do público ao local. O enterro está previsto para a tarde de quinta-feira (24), no cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife.

Internamentos
Em 2013, Ariano foi internado duas vezes. A primeira delas em 21 de agosto, quando sentiu-se mal após sofrer um infarto agudo do miocárdio de pequenas proporções, de acordo com os médicos, e ficou internado na unidade coronária, mas depois foi transferido para um apartamento no hospital. Recebeu alta após seis dias, com recomendação de repouso e nenhuma visita.

Dias depois, um aneurisma cerebral o levou de volta ao hospital. Uma arteriografia foi feita para tratamento e ele saiu da UTI para um apartamento do hospital, de onde recebeu alta seis dias depois da internação, no dia 4 de setembro.

Na noite de segunda-feira (21), Ariano Suassuna deu entrada no hospital e foi operado após o diagnóstico do AVC. A cirurgia foi para a colocação de dois drenos, na tentativa de controlar a pressão intracraniana. Na noite de terça, o quadro dele se agravou, devido a "queda da pressão arterial e pressão intracraniana muito elevada", conforme foi informado em boletim.
Na aula-espetáculo que ministrou no Festival de Inverno de Garanhuns, na semana passada, mais uma vez Ariano misturou causos, informações sobre elementos da cultura popular nordestina; o grupo Arraial foi o convidado para os números de música e dança (Foto: Costa Neto / Secretaria de Cultura de Pernambuco).

Ativo até o fim
Ariano Suassuna nasceu em 16 de junho de 1927, em João Pessoa, e cresceu no Sertão paraibano. Mudou-se com a família para o Recife em 1942. Mesmo com os problemas na saúde, ele permanecia em plena atividade profissional. "No Sertão do Nordeste a morte tem nome, chama-se Caetana. Se ela está pensando em me levar, não pense que vai ser fácil, não. Ela vai suar! Se vier com essas besteirinhas de infarto e aneurisma no cérebro, isso eu tiro de letra", disse ele, em dezembro de 2013, durante a retomada de suas aulas-espetáculo.

Em março deste ano, Ariano foi homenageado pelo maior bloco do mundo, o Galo da Madrugada. Ele pediu que a decoração fosse feita nas cores do Sport, vermelho e preto, e ficou muito contente com a homenagem. “Eu acho o futebol uma manifestação cultural que tem muitas ligações com o carnaval”, disse, na ocasião.

No mesmo mês, o escritor concedeu uma entrevista à TV Globo Nordeste sobre a finalização de seu novo livro, “O jumento sedutor”. Os manuscritos começaram a ser trabalhados há mais de trinta anos.

Na última sexta-feira, Suassuna apresentou uma aula espetáculo no teatro Luiz Souto Dourado, em Garanhuns, durante o Festival de Inverno. No carnaval do próximo ano, o autor paraibano deve ser homenageado pela escola de samba Unidos de Padre Miguel, do Rio de Janeiro.

Obra
A primeira peça do escritor, "Uma mulher vestida de sol", ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno em 1948. Ariano escreveu um de seus maiores clássicos, "O Auto da Compadecida", em 1955, cinco anos depois de se formar em direito. A peça foi apresentada pela primeira vez no Recife, em 1957, no Teatro de Santa Isabel, sem grande sucesso, explodindo nacionalmente apenas quando foi encenada – e ganhou o prêmio – no Festival de Estudantes do Rio de Janeiro, no Teatro Dulcina. A obra é considerada a mais famosa dele, devido às diversas adaptações. Guel Arraes levou o “Auto” à TV e ao cinema em 1999.

O escritor considera que seu melhor livro é o “Romance d'A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta”. A obra começou a ser produzida em 1958 e levou 12 anos para ficar pronta. Foi adaptada por Luiz Fernando Carvalho e exibida pela Rede Globo em 2007, com o nome de "A pedra do reino".

Na década de 70, Ariano começou a articular o Movimento Armorial, que defendeu a criação de uma arte erudita nordestina a partir de suas raízes populares. Ele também foi membro-fundador do Conselho Nacional de Cultura.

Após 32 anos nas salas de aula, Suassuna se aposentou do cargo de professor da Universidade Federal de Pernambuco, em 1989. O período também ficou marcado pelo reconhecimento nacional do escritor – Ariano tomou posse na cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Rio de Janeiro, em 1990. (G1)
Compartilhar:

Eleições: Tipos de candidatos

Por: David Marinho*

Nesta eleição, é grande a lista de candidatos se oferecendo para o “emprego político” de deputados, governadores e senadores bem pagos, e que lhes darão ainda “status” social e vida mansa por vários anos, principalmente para aqueles que se elegeram vereadores, não fizeram nada como tais e já estão usando o cargo como trampolim para outros mais altos e rirem da nossa cara. Mas, assim como temos vários tipos de eleitores, temos o outro lado da “moeda política”, os “tipos de candidatos”, pois um não existe sem o outro; como se fosse presa e predador, ou caça e caçador! Ou seja, um é o explorado e outro o explorador. O que desvirtua a boa política na forma dinâmica e sadia de se usar a “ciência política” como ferramenta no processo democrático e interativo dos povos civilizados na busca do seu desenvolvimento humano e do bem comum em sociedade.

Aqui apresentamos alguns tipos de candidatos de forma satírica; começando com o candidato “copa do mundo” em evidência, que só mostra a “cara de pau” de quatro em quatro anos, quando precisa novamente do voto do povo que tem a memória curta, tentando se reeleger, e que muitas vezes consegue; o candidato “papagaio de pirata”, que aparece nas fotos e cartazes empoleirados no ombro de um político maior e famoso para tirar proveito próprio, só que nesta eleição ninguém quer ficar no ombro dos políticos “fichas sujas”! Temos também o candidato “boiola”, que na época de eleição aceita passivamente que um político importante fique grudado na sua costa, fungando em seu cangote, pelo menos nos cartazes é o que denota; o candidato “bosta n’água” é aquele que em todas as eleições se candidata e fica só no “remanso” das campanhas e vai navegando para onde a onda o levar sabendo que não tem chance alguma, mas se aproveita da grana eleitoral que circula nessa época e do combustível que rola frouxo...

Temos também o candidato “pau seco”, que já está morto politicamente, sabe que é comida de cupim, mas seu prazer é cair, desde que vá derrubando os outros; temos o candidato “hiena”, que torce para que os candidatos mais fortes briguem e se devorem a dentadas para ir comendo as carniças atrás, beneficiando-se dessa briga; temos o candidato “náufrago”; aquele que, estando no desespero se agarra de qualquer maneira no pescoço de algum político influente que está “boiado” na grana e no prestígio, para dar aquele ”abraço de afogado”, mas todos se afastam dele, com medo de afundar com o “peso indesejável” e se afogar também. Nesta eleição temos uma figura nova: o “candidato camaleão” que muda de cor (aliança política), de acordo com as circunstâncias políticas e seus interesses pessoais. Pois em tempos idos, se acusavam uns aos outros de ladrões e corruptos, mas, agora mostrando falta de personalidade e caráter, e não querendo sair do poder, antigos inimigos se abraçam nos palanques, pedindo votos para seus “aliados fisiológicos” nas verdadeiras “surubas ideológicas” com as caras deslavadas de mercenários baratos, numa clara conivência promíscua!

Não se iludam com os “slogans” da próxima campanha, pois são só retóricas da boca para fora que visam outras intenções. Temos também o candidato “mão suja”, aquele que cruza com você e nunca lhe deu um “bom-dia”, mas agora querendo seu voto chega junto, te abraça e esfrega a ”mão suja” na sua costa. Com esse fato de limpar as mãos, lembrei-me de um caso ocorrido com um candidato da região, que no passado, após apertar as mãos dos eleitores humildes e pobres, entrava em seu carro para lavar e desinfetá-las com álcool, dizendo que os pobres poderiam lhe contaminar com suas sujeiras bacterianas! Como se não soubéssemos que a sujeira maior está exatamente na grande parte dos políticos. Isso é que é gostar do povão...

Ah! Ia esquecendo do candidato “mercador”, aquele que compra seu voto com dinheiro mesmo, e manda seu cabo eleitoral lhe propor essa safadeza! Mas não venda seu voto, se um político vier com uma proposta indecorosa lhe oferecendo dinheiro, aceite, mas não como a venda de seu voto, e não vote nele! E faça mais por um Brasil limpo, registre com seu celular as fotos e grave as conversas desses possíveis crimes eleitorais, para que depois você possa provar na justiça eleitoral essa prática imunda ainda do nosso sistema político.

Trato esse caso de forma satírica, porque muitos políticos eleitos brincam com nossas caras. Mas infelizmente não podemos viver sem a política, mesmo sem querer ser político, devemos identificar os políticos confiáveis para nos representar. Senão cairemos na vala comum da frase de Platão: “Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles que gostam”. E só por meio da boa política conseguiremos exercer a nossa cidadania na condição de povo civilizado e transformar o Brasil no “país do presente” e não na velha retórica batida de “país do futuro”. Vamos nesta eleição, começar a fazer a faxina de nossos candidatos, escolhendo os “menos piores”, já que não temos os “melhores”. Você já se perguntou se vale à pena reeleger alguém da atual bancada de políticos? Anotem seus nomes e tente lembrar de algo proveitoso que eles fizeram durante esses anos que “vegetaram” na Câmara Municipal de Santarém, que beneficiou realmente a população da cidade ou do município.

“Uma sociedade só será democrática quando ninguém for tão rico que possa comprar alguém, e ninguém seja tão pobre que tenha de se vender a alguém”. (Jean Jacques Rousseau).

*É Projetista e Gestor Ambiental.
Compartilhar:

Mulher que tentou matar amante do marido e quase mata nove será julgada

Será nesta quinta-feira (24), a partir das 8 horas, o julgamento do caso do bolo envenenado que tem como ré Joelma Batista de Sousa, 35 anos, acusada de nove tentativas de homicídio contra adolescentes e crianças que comeram um bolo com raticida, enviado de presente por ela. O julgamento tem previsão de ser realizado em dois dias, pois além das 9 vítimas, serão ouvidas outras 6 testemunhas. Ministério Público e Defensoria Pública atuarão no caso, que teve bastante repercussão na imprensa local.

O crime ocorreu em 01/12/2008, na localidade de Tipizal, rodovia Santarém/Curuá-Una. Joelma mandou o bolo para a então adolescente Diana Sousa da Silva (hoje com 21 anos), por ter ouvido comentários na comunidade de que ela estaria tendo um caso com seu companheiro, Erivaldo dos Santos.

Ao saber do boato, enfurecida, Joelma teria encomendado um bolo de chocolate numa padaria de Santarém e despejou nele um vidro de veneno pra rato. Em seguida, pagou um mototaxista para entregar a encomenda na casa de Diana. Só que esta resolveu chamar seus irmãos e outros colegas da vizinhança, a maioria crianças, para comerem o bolo com ela. Momentos depois, todos passaram mal e foram levados para o PSM, mas felizmente ninguém morreu.

Joelma ficou presa preventivamente por um ano e seis meses e responde ao processo em liberdade desde 25/06/2010. Ela confessou o crime e se disse arrependida, pois tinha dois filhos com seu companheiro e não suportou saber que estava sendo traída com uma adolescente.

A acusada respondera a nove tentativas de homicídio duplamente qualificadas, no júri que será presidido pelo juiz Gerson Marra Gomes.


Fonte: J. Ninos/TJE
Compartilhar:

Semsa realiza o projeto Fim de Férias com Saúde

A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) realizará no próximo dia 26, de 8h às 12h, o projeto Fim de Férias com Saúde. As atividades serão desenvolvidas nas Unidades de Saúde dos bairros: Santarenzinho, Jardim Santarém, Conquista, Livramento, Maracanã, Uruará, Vitória-Régia, Matinha, Aeroporto Velho, Esperança, Santana e Floresta.

Serão viabilizados serviços de coleta de PCCU, teste de sífilis, HIV e hepatites B e C, teste de glicemia, aferição de pressão arterial, ações de combate às verminoses, atualização do cartão de vacinas e expedição do cartão SUS. (PMS)
Compartilhar:

Enactus Ufopa apresenta projeto Mapinguari nesta quarta-feira

O Time Enactus Ufopa promove nesta quarta-feira, dia 23, uma apresentação aberta do projeto Mapinguari, que garantiu ao grupo o quarto lugar na classificação geral do Campeonato Nacional Enactus Brasil, realizado em São Paulo nos dias 17 e 18 de julho. 

Com o projeto desenvolvido junto aos vendedores das barracas de Alter do Chão, que foram beneficiados com o selo de qualidade Consumo Protegido, os alunos também conquistaram o prêmio de "Projeto que promove Ética e Integridade". Eles concorreram com projetos de times mais de 40 universidades brasileiras. No segundo ano de existência, o time Enactus Ufopa já está entre os cinco melhores do País.
A apresentação será às 19h, no auditório Pérola, anexo ao campus Amazônia. O evento contará com a presença dos vendedores das barracas de Alter do Chão, que participaram do projeto. (Ascom/Ufopa)
Compartilhar:

terça-feira, 22 de julho de 2014

Declaração sobre propriedade rural deve ser apresentada até 30 de setembro

O Diário Oficial da União publica nesta terça-feira (22) instrução normativa sobre a apresentação da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural referente ao exercício de 2014.

Está obrigada a apresentar o documento, entre outras, a pessoa física ou jurídica proprietária, titular do domínio útil, possuidora ou usufrutuária do imóvel rural a ser declarado.

A declaração deve ser apresentada no período de 18 de agosto a 30 de setembro de 2014, pela internet, por meio do programa de transmissão Receitanet, disponível no site da Receita Federal. O serviço de recepção da declaração será interrompido às 23h59min59s , horário de Brasília, do último dia do prazo estabelecido. (ABr)
Compartilhar:

Polícia investiga paradeiro de mãe que jogou bebê no lixo em Santarém (PA)

A Polícia Civil em Santarém, no oeste do Pará, já instaurou inquérito policial para tentar identificar a mãe que jogou no lixo, um bebê recém-nascido, encontrado morto no final da tarde desta segunda-feira (21), no aterro municipal, localizado na comunidade de Perema, na rodovia Santarém/Curuá-Una. A criança, segundo os peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC), era do sexo masculino e estava com o cordão umbilical. O corpo do menino estava dentro de sacos de lixo.

Funcionários da empresa coleta de lixo da cidade, Terraplena, disseram que o corpo do bebê possivelmente veio junto com o material coletado no bairro Maracanã.
Compartilhar:

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Dermocosméticos são bons aliados da pele no verão

Garantir um bronzeado bonito sem descuidar da saúde não é tarefa fácil. O Norte do Brasil está em pleno verão e a exposição excessiva aos raios solares, principalmente entre 10h e 16h, pode causar manchas, queimaduras, envelhecimento precoce ou até mesmo o câncer de pele. Por isso, na temporada de altas temperaturas o protetor solar é item indispensável, podendo ter outros aliados na manutenção de uma pele saudável e bonita.

A indústria farmacêutica tem apostado em linhas de dermocosméticos, que se mostram como um bom aliado no momento de aproveitar o sol sem deixar a saúde em segundo plano. De acordo com o dermatologista Walter Loureiro, embora seja um produto de beleza, o dermocosmético é considerado intermediário entre cosmético e medicamento. “O cosmético apenas melhora a aparência e não contém princípio ativo dermatológico. Já o dermocosmético não se trata de um medicamento propriamente dito, mas promove uma melhora e tem eficácia de ação na pele, mesmo tendo menor potencial que um remédio”, detalha o médico.

A principal característica destes produtos é atuar nas camadas mais profundas da pele, estimulando melhoramentos de dentro para fora, ou seja, desde as camadas internas até a superfície. Em geral, eles já vêm munidos de proteção o solar, não possuem fragrância nem corantes, são hipoalergênicos, contém princípios ativos para a prevenção de manchas, hidratação e não entopem os poros. Em sua maioria são produzidos com água termal, elemento bastante requisitado no mundo da cosmética, por se tratar de um tipo de água enriquecida por minerais oriundos das rochas, usada para nutrir intensamente a epiderme.

“Uma dica para mulheres que usam maquiagem na praia é dar preferência aos filtros solares com cor, em vez de base que contenha filtro. Isto porque as maquiagens com algum fator de proteção não agem contra os raios UVA, já os protetores e bloqueadores de sol com tons de base possuem o fator adequado para resguardar a pele”, indica o dermatologista.

A atenção deve ser na escolha do protetor ou bloqueador solar dermocosmético mais adequado, atentando para alguns pontos e observando a composição descrita na embalagem. Com a proposta de orientar os consumidores na hora da aquisição destes produtos, estabelecimentos como a rede Extrafarma disponibilizam atendimentos direcionados. “É importante proporcionar um espaço que agregue os últimos lançamentos, trazendo as melhores opções nacionais e importadas, onde haja orientação quanto à utilização, com atendimento personalizado e esclarecimentos de dúvidas”, descreve Krysthyanne de Andrade, gerente técnica farmacêutica da rede, que conta com o Espaço Dermocosmético em 16 de suas unidades no Pará. 

Compartilhar:

Amazônia perdeu 843 km2 de florestas em junho de 2014

Em junho de 2014, o SAD detectou 843 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal com uma cobertura de nuvens de 30% do território. Isso representou um aumento de 358% em relação a junho de 2013 quando o desmatamento somou 184 quilômetros quadrados e a cobertura de nuvens foi de 12%.

O desmatamento acumulado no período de agosto de 2013 a junho de 2014, correspondendo aos onze primeiros meses do calendário atual de desmatamento, totalizou 1.690 quilômetros quadrados. Houve redução do desmatamento acumulado de 9% em relação ao período anterior (agosto de 2012 a junho de 2013) quando o desmatamento somou 1.855 quilômetros quadrados.

Em junho de 2014, a maioria (54%) do desmatamento ocorreu no Pará, seguido pelo Amazonas (16%), Rondônia (15%), Mato Grosso (14%) e Acre (1%).

As florestas degradadas somaram 48 quilômetros quadrados em junho de 2014. Em relação a junho de 2013 houve redução de 71% quando a degradação florestal somou 169 quilômetros quadrados. A maioria (44%) ocorreu no Pará, seguido por Rondônia (40%), Mato Grosso (13%) e Amazonas (2%).

A degradação florestal acumulada no período de agosto de 2013 a junho de 2014 totalizou 614 quilômetros quadrados. Em relação ao período anterior (agosto de 2012 a junho de 2013) houve redução de 58% quando a degradação florestal somou 1.462 quilômetros quadrados.Imagens chocantes mostram a captura do animal que é usado para atrair piracatinga. Moratória proibiu pesca da piracatinga, mas só vale em janeiro.

Baixe aqui o arquivo

Fonte: Imazon
Compartilhar:

Antaq abre concurso com 143 chances

Com o prazo para a publicação do edital se esgotando, a Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq) abriu concurso público. Segundo o documento, publicado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB), são 143 vagas de nível médio e superior. As provas objetivas e discursivas estão marcadas para o dia 28 de setembro.

A maioria das chances são para lotação em Brasília – 106 delas. Cinco por cento das oportunidades é reservado a deficientes, e 20% a negros. Não haverá formação de cadastro reserva, segundo o edital que também foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (18/7).

Para nível superior podem concorrer ao cargo de analista administrativos formados em qualquer curso superior, ou em ciências contábeis e informática. O salário é de R$ 10.543,90. Para especialista em regulação de serviços de transportes aquaviários também é admitida inscrição de candidatos graduados em qualquer área, mas o salário é de R$ 11.403,90.

Confira o edital de abertura.

Já para nível médio, tem o cargo de técnico administrativo (R$ 5.418,25) e técnico em regulação de serviços de transportes aquaviários (R$ 5.674,25).

Quem quiser concorrer poderá se inscrever entre os dias 25 de julho e 13 de agosto, pelo site da banca. As taxas vão de R$ 80 a R$ 120.

Além de Brasília, os exames serão aplicados em Belém/PA, Corumbá/MS, Florianópolis/SC, Fortaleza/CE, Manaus/AM, Paranaguá/PR, Porto Alegre/RS, Porto Velho/RO, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA, São Luís/MA, São Paulo/SP e Vitória/ES.

As provas objetivas serão compostas por 120 questões de certo e errado, que equivalem a 120 pontos, e deverão ser respondidas em quatro horas e meia, no período matutino para candidatos a cargos de nível superior, e vespertino para nível médio. Já os exames discursivos deverão ser feitos em 30 linhas, valendo 30 pontos para contagem final do certame. Nem todas as redações dos concorrentes serão corrigidas, apenas daqueles que conseguirem acertar determinada quantidade de questões objetivas (ver item 10.7.1 do edital). Lembrando que nas provas do Cespe/UnB uma respostas errada anula uma resposta certa.

Os candidatos a especialista ainda vão ser submetidos a avaliação de títulos. O concurso ainda contará com curso de formação, que será ministrado em Brasília, apenas para o cargo de especialista, com 160 horas presenciais.
Compartilhar:

Disputa pela terra está no centro dos conflitos na Amazônia

Os mais de 100 participantes do seminário Regional sobre Direitos Humanos e Defesa dos Territórios vieram de diferentes municípios, com grandes distâncias um do outro, como não poderia deixar de ser em um estado com a dimensão do Pará. Apesar da distância, a realidade enfrentada por indígenas, quilombolas, pequenos agricultores, ribeirinhos, extrativistas se repete.

Em comum, estes povos estão em conflitos pelo território em que tradicionalmente vivem, ou pela terra onde gostariam de trabalhar e morar. Darci Frigo, coordenador da Terra de Direitos, identifica a disputa da terra como fator central dos conflitos na Amazônia, mesmo quando surgem a partir de outros temas. “Não é por acaso que não sai a reforma agrária, a demarcação e a titulação dos territórios tradicionais. Esse bloco do poder, da agroestratégia, quer o território a todo custo”.

Além da terra e do território, as sementes também estão em disputa. A confirmação disso, na avaliação de Frigo, é que 96% da produção de milho do Brasil é transgênica, dominada por empresas transnacionais como Cargil, Syngenta e Monsanto. “Hoje praticamente não há empresas brasileiras de sementes”, lamenta.

“O inimigo do povo é o capital internacional”

Para além de governos ou grupos políticos, Guilherme Carvalho, coordenador da organização Fase – Amazônia, aponta que o atual processo de luta é contra um bloco de poder, que envolve grandes empresas e interesses internacionais. Nesta mesma linha, Iury Paulino, militante do Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB de Altamira, chama atenção para a necessidade de reconhecer que “o inimigo do povo é o capital internacional, e que ele está muito bem articulado nos territórios”.

A partir da experiência e atuação concreta em violações provocadas pela construção de hidrelétricas, Paulino vê possibilidade de conquista e resistência por meio da organização das comunidades atingidas e da articulação com os trabalhadores da cidade. “A resistência pressupõe o avanço da qualidade de vida das pessoas. Resistência não é dizer ‘eu vou resistir’, não é só dizer ‘sou contra ou a favor’, mas é a continuidade da resistência”. Para o militante do MAB, a organização coletiva é a principal forma de atingir conquistas: “É um caminho longo, duro, mas é o único caminho para avançar”.

A necessidade de fortalecer a articulação entre as organizações populares e os movimentos sociais foi reiterada pelos participantes do seminário. “Precisamos construir a aliança em bases solidas. Para construir um projeto popular e alternativo precisamos construir a unidade entre todos os povos e trabalhadores”, frisa o coordenador da Terra de Direitos.

Quando os projetos para a Amazônia são tratados em âmbito federal, Carvalho afirma que grupos do campo do ambientalismo conservador é que tem espaço e pautam as compensações: “Quem fala da Amazônia não somos nós. Esse é um problema político da maior gravidade. Estamos indo a reboque de outros que falam por nós, e, na maioria das vezes, contra nós”.

Com a pressão de comunidades e de movimentos sociais contra os impactos negativos dos grandes projetos, empresas e governo oferecem medidas compensatórias, que, muitas vezes, são apenas soluções provisórias para as violações de direitos. “A gente tem que pensar em resistência, não em compensação. A compensação não possibilita a vida dos nossos filhos daqui a 50 anos”, opina João Tapajós, integrante do Conselho Indígena Tapajós Arapiuns – CITA.
Fonte: Terra de Direitos 
Compartilhar:

Aces reúne com PRF e SMT para discutir estacionamentos de veículos na avenida Cuiabá‏

Nesta segunda-feira (21), às 19 horas, na sede da ACES, a Associação Comercial e Empresarial de Santarém (ACES) reunirá com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Secretaria de Mobilidade e Trânsito (SMT), e demais interessados para dialogar a respeito da fiscalização da PRF a veículos estacionados na Santarém-Cuiabá, além de encontrar uma alternativa que minimizem os prejuízos para o empresariado e demais órgãos.

A exigência do cumprimento, somente agora, do Código Brasileiro de Trânsito tem prejudicado em torno de 170 estabelecimentos, uma vez que rotineiramente clientes e demais condutores estacionam naquele perímetro da rodovia. Semana passada a ACES solicitou a SMT uma proposta para o tráfego e estacionamento de veículos, inclusive com a sugestão de municipalizar a rodovia da Serra do Piquiatuba até o Porto das Docas.

Espera-se que ambas as partes chegue a um denominador comum em que não implique em prejuízos para a economia e nem para os veículos que trafegam na rodovia.

Fonte: Ascom/Aces

Compartilhar:

STF notifica candidato a vice-governador de Helder Barbalho

Fonte: O Liberal

O Supremo Tribunal Federal (STF) expediu na última quinta-feira (17), para a Justiça Federal em Santarém, carta de ordem determinando que o deputado federal Lira Maia (DEM) apresente defesa nos autos de denúncia oferecida pelo MPF (Ministério Público Federal) que o acusa do crime de fraude em processo licitatório. O parlamentar é candidato a vice-governador na chapa de Helder Barbalho (PMDB), em aliança com o PT.

Conforme a ação penal proposta pelo MPF, o crime foi praticado em 2004, quando Lira Maia exercia o cargo de prefeito de Santarém. Além de Maia, também foi denunciado Edvaldo Uchoa Gonzaga, ex-secretário municipal. Ambos são acusados de desviar recursos públicos do antigo Fundef (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), hoje Fundeb.

Contra o candidato a vice-governador na chapa de Barbalho tramitam no Supremo 14 processos: dez inquéritos (investigações preliminares) e quatro ações penais (processos que podem resultar na condenação). O deputado paraense é acusado em sete procedimentos de ter cometido o chamado crime de responsabilidade, infrações administrativas atreladas ao exercício da função pública. A condenação, nesses casos, pode implicar a perda do mandato.

O deputado também é suspeito de peculato (desvio de recursos públicos), crimes contra a Lei de Licitações, contra a organização do trabalho e praticados por funcionários públicos em geral, além de emprego irregular de verbas públicas. As denúncias dizem respeito ao período em que Lira Maia foi prefeito de Santarém.

Em março deste ano, o Supremo arquivou um inquérito (nº 2.858) contra Lira Maia por prescrição, ou seja, porque venceu o prazo para o julgamento do caso. O procedimento se referia a atos praticados em 2002 e 2003, quando ele exercia o segundo mandato na Prefeitura de Santarém. O crime de responsabilidade prescreve em oito anos, o que ocorreu em 15 de fevereiro.

SUSPEITA - Em uma das ações a que responde (AP 524), o deputado é acusado pelo MPF de envolvimento em irregularidades em 24 processos licitatórios para a compra de merenda escolar em Santarém, em 2000. Segundo a denúncia, o superfaturamento chegou a R$ 1,97 milhão em valores da época. As suspeitas recaem sobre outras 30 pessoas, que respondem ao juiz de primeira instância. De acordo com a acusação, participaram das concorrências públicas "empresas de fachada" que ofereceram produtos com preços acima do mercado, o que contrariaria a Lei das Licitações.

Ao aceitar a denúncia do Ministério Público Federal, o relator do processo, ministro Ricardo Lewandowski, disse que o fato de ser prefeito do município à época das irregularidades deixava Lira Maia "muito próximo dos eventos tidos como delituosos, o que permite que se considere a possibilidade de neles estar envolvido".

Na defesa ao STF, o deputado atribuiu a diferença nos preços das licitações às condições geográficas de Santarém, que elevariam o valor do frete. Além disso, segundo ele, a Secretaria Municipal de Educação tinha autonomia para gerir suas próprias atividades de forma descentralizada, sem interferência do prefeito, e era fiscalizada pelo Conselho de Alimentação Escolar.

"A atribuição de competência a outro órgão pode afastar a responsabilidade civil, mas não a criminal. Não se está fazendo juízo de antecipação, mas não se pode coartar [reprimir] a tentativa do Ministério Público de provar os fatos. Mesmo com a descentralização, não se pode desprezar a possibilidade de que tenha atuado como mentor ou anuído ao crime", disse à época o ministro Lewandowski, ao explicar o recebimento da denúncia. 
Compartilhar:

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Professora sofre ameaças por ensinar Constituição a indígenas Munduruku

Emanuelle Limenza Barros tem 28 anos e é de Londrina, Paraná, mas mora no estado do Pará há quatro anos onde leciona história para os indígenas Munduruku da aldeia Missão São Francisco do Rio Cururu, próximo ao município de Jacareacanga, sudoeste do Pará.

Acusada de organizar protestos e de aliciar os indígenas Munduruku, Emanuelle sofre hoje intimidações e ameaças por ensinar a Constituição Federal e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que prevê consulta aos povos sobre o impacto de grandes empreendimentos e que assegura aos indígenas o ensino da língua materna.

No entanto, a prefeitura de Jacareacanga menosprezou a determinação da Convenção 169 e o artigo 210 da Constituição Federal, ao demitir em massa 70 professores indígenas sob o argumento de que não tinham formação adequada para lecionar. Após meses de impasses, a Justiça Federal ao acatar determinação do Ministério Público Federal, ordenou que a prefeitura restabelecesse a quantidade necessária de professores nas escolas indígenas do povo Munduruku.

A região é conhecida por ter grupos econômicos ligados ao garimpo e que são aliados da prefeitura local. Intimidações aos indígenas são frequentes. No dia 13 de maio uma manifestação promovida por garimpeiros, comerciantes e membros do Poder Público contra a presença dos indígenas no município terminou com dois munduruku feridos nas pernas depois de atingidos por rojões e bombas de gás lançados pelos manifestantes anti-indígenas.

Durante o ato, o secretário de Assuntos Indígenas, Ivânio Alencar proferia palavras de ódio contra os Munduruku. “Nós não estamos pra briga. Nós temos os nossos direitos garantidos. Se vocês quiserem vir pro pau vai ter pau nessa p*. Vamos tocar o pau. Vou rasgar o meu diploma de secretário e não quero nem saber. Vamos acabar com essa palhaçada agora, vocês vão sair agora seu bando de baitolas. Nós temos o direito, nós temos o direito”.

Porém o caso não é isolado, ele proceed de ataques orquestrados e programados. O Poder Público na região promove constantemente ódio contra os indígenas e também é responsável por coordenar golpe em antiga associação representativa indígena, a Pusuru a fim de fragmentar e desmobilizar os Munduruku.

O movimento Ipereg Ayu dos Munduruku em assembleia geral decretou a extinção da Pusuru por considerarem uma série de desvios de conduta, citando inclusive a polêmica tentativa de acordo com a multinacional irlandesa, Celestial Green para venda de créditos de carbono em 2012.

Emanuelle, qual tipo de trabalho que você desenvolve com os Munduruku da aldeia da Missão do rio São Francisco?

Bem, eu aprendi a língua dos Munduruku, embora a prefeitura da região alerte aos funcionários para não se comunicarem na língua dos indígenas e não estabelecer contato mais assíduo e próximo, mas eu fiz o contrário aprendi a linguagem deles e acabei criando certo vínculo. No momento estou produzindo um projeto que visa alertar o “modus operande” do governo para conseguir estabelecer seus mega-projetos, o principal deles é a divisão de etnias e culturas tradicionais, para que percam o poder de luta.

O projeto pretende mostrar aos indígenas que já passaram pela mesma fase ou todas, e principalmente daqueles que na época inicial dessas fases se envolveram e foram manipulados aderindo à farsa que o governo propunha a eles, pensando que seria melhor pro seu povo. Esses hoje sabem que foram manipulados, quem melhor do que eles para unificar as etnias, e mostrar que a verdade está ao lado sempre do que aprenderam com seus antepassados, isto é, a união faz a força.

Quando e por que você sofreu intimidações?

A prefeitura da região demitiu em massa 70 professores em fevereiro deste ano foi quando os Munduruku me pediram orientações sobre o caso. A partir desse momento os indígenas começaram a se unir para terem seus empregos de volta, foi quando grupos econômicos e políticos tentaram me pintar de divisora de etnia e de influenciadora do anarquismo.

E qual foi o motivo que a prefeitura alegou sobre a demissão em massa?

A explicação da prefeitura foi a de que os indígenas não tinham nível suficiente para dar aula, que os indígenas ainda não haviam terminado o “Ibourebu”, o magistério indígena realizado pela Funai, mas os Munduruku ensinam a língua materna deles de 1° a 4° série, também arte, cultura e identidade.

Todos os alunos da aldeia ficaram sem aula e a Prefeitura contratou professores que ainda estavam cursando ensino médio, alguns “pariwat”, não-indígena na língua Munduruku e outros indígenas. Se você demite professores alegando que não possuem experiência suficiente e contrata outros que cursam o ensino médio e que não falam a língua Munduruku, existe uma coisa errada aí.

Me acusaram de estar fazendo parte do movimento “Ipereg Ayu”, que na língua Munduruku significa “uma coisa que não se ultrapassa”, mas nunca cheguei a falar para os indígenas que eles precisavam se manifestar. Só disse o que existia dentro da constituição para os professores indígenas tentarem reconquistar a vaga deles e dos artigos 210 e 213 que assegura aos indígenas poderem estudar enquanto lecionam. Como posso aliciar indígenas se estava ensinando a Constituição?

O que acha ter sido a verdadeira razão para a demissão em massa?

A demissão pra mim não foi em nível de estudo, mas sim para fragmentar os indígenas e acentuar o “modus operande” dos reais interesses políticos existentes na região.

O secretário de Assuntos Indígenas de Jacareacanga afirmava que eu era uma ativista branca. E me recomendou fugir da casa dos professores, pois ela ia ser queimada, curiosamente após uma hora de eu ter ido embora a casa foi queimada, eu inclusive cheguei a escutar relatos na região de pessoas afirmando que iam queimar as casas.

No dia seguinte, 13 de maio, aconteceu uma manifestação de 500 pessoas contra os indígenas, a maioria das pessoas presentes no ato era composta de garimpeiros e comerciantes. O secretário de Assuntos Indígenas dizia durante o ato que os indígenas eram um bando de bêbados, deslegitimando o movimento.

Não me deixei intimidar. Só em um momento que tive de me esconder no dia da manifestação dos garimpeiros, isso porque eles estavam atacando a mando do secretário. Também no dia recebi informações de que dois homens estavam tentando me encontrar, aí eu tive que me esconder.

Você tomou alguma atitude perante essas ameaças?

Logo que cheguei em Itaituba-PA fui a televisão falar sobre o caso, já que estes estavam expondo minha foto e dizendo o que queriam, também fui à delegacia, porém disseram que eu teria de fazer o Boletim de Ocorrência no município em que ocorreu o caso, isso quer dizer, voltar à Jacareacanga mesmo que tendo sido ameaçada, então esperei a reunião com o Ministério Publico e passei meu relato ao procurador, Luiz de Camões Boaventura, com a assinatura dos indígenas que estavam presente, além de publicá-lo no site do Combate ao Racismo Ambiental. As denúncias continuam e continuarão, infelizmente não consegui entrar com processo contra eles ainda, espero que o Ministério Público faça alguma coisa.

Fonte: CIMI
Compartilhar:

TIM realiza ação de verão nos balneários paraenses

O Verão TIM 2014 vai celebrar a estação mais quente do ano através de experiências inéditas e integração com todos os públicos, com música, atividades de lazer, ação promocional, estímulo à preservação ambiental, apresentação de serviços inovadores e distribuição de brindes. Por meio da lei de incentivo à cultura local, Lei Semear, a TIM reserva uma programação especial com muita música com shows de artistas locais em Belém, Icoaraci, Mosqueiro, Marudá, Outeiro e Salinas.

Quem for aproveitar o verão em Salinas poderá conferir as ações promocionais da operadora no Farol Velho. Com um conceito inovador, a operadora terá espaços para relaxar e fugir um pouco da agitação das areias de sexta a domingo, de 12h até o pôr do sol. No Atalaia Inn foi montando um ambiente aconchegante com espreguiçadeiras, puffs, decks com mesas, chuveiros, tenda de massagem, área de lazer para as crianças e até empréstimo de guarda-sóis para oferecer mais conforto aos veranistas, que ainda poderão aproveitar o bom som de Arthur Espíndola, Samba D’noca, Vitrola S.A e Djs.

Este ano será realizado um trabalho preventivo e de conscientização sobre a coleta e correto descarte do lixo nas praias de Salinópolis. No Marujos Bar, a operadora também estará presente com várias ações promocionais.

De acordo com a gerente de Trade Marketing da TIM Norte, Juliana Marcolini, a participação da operadora na programação do verão paraense é mais uma forma de aproximação com os clientes. “As ações fazem parte de uma plataforma de entretenimento, vendas e conscientização ambiental, possibilitando maior interação entre a marca e o público”, afirma.

Compartilhar:

DESTAQUE:

MPF pede indenização por desmatamento de mais de mil hectares de floresta na região do Jamanxim

O Ministério Público Federal (MPF) entrou com ação contra Joel de Assis por desmatar mais de mil hectares de floresta nativa no munic...

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive