quinta-feira, 8 de outubro de 2015

MPF recomenda ao Ibama que exija direitos de ribeirinhos para dar licença a Belo Monte

O Ministério Público Federal (MPF) enviou recomendação ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) para que seja exigido, como condição prévia para a emissão da Licença de Operação de Belo Monte, o fim das violações de direitos dos ribeirinhos afetados pela obra.

Já são mais de quatro meses de negociações entre a Norte Energia, o Ibama e outros órgãos governamentais para encontrar uma solução que assegure a manutenção do modo de vida da população que vivia às margens do Xingu, depois que a obra de Belo Monte terminar.

Para o MPF, o impasse permanece porque a empresa não reconhece o modo de vida dos ribeirinhos, descumpriu as condições impostas pelo Ibama e a adequação do processo de remoção compulsória deve ser. feita com a participação dos atingidos, que ainda não foi assegurada

As irregularidades e violações de direitos cometidas pela Norte Energia contra os ribeirinhos foram apontados em diversos relatórios e notas técnicas, do MPF, do Conselho Nacional de Direitos Humanos e do próprio Ibama. Por conta disso, o Ibama ordenou a paralisação das remoções dos ribeirinhos.

“Não obstante a suspensão de demolições pelo órgão licenciador, foi verificado que o empreendedor não paralisou completamente o processo, tendo, inclusive, se utilizado de violência desnecessária, incendiando casa de ribeirinho que havia sido visitado pela equipe de inspeção do MPF”, diz a recomendação, assinada pelos procuradores da República Thais Santi e Felício Pontes Jr.


Para o MPF, “a empresa Norte Energia não compreendeu a gravidade das falhas constatadas no processo de remoção compulsória, em especial pela absoluta inaptidão das opções que vinham sendo ofertadas para garantir a manutenção do modo de vida ribeirinho”. “Não se trata, pois, de problemas de aplicação dos critérios de elegibilidade preconizados no Projeto Básico Ambiental, (como sustenta a empresa), mas de descumprimento da obrigação de realizar reassentamento, de ruptura do modo de fazer e viver de grupos tradicionais e da não garantia de condições no mínimo semelhantes às que detinham os atingidos”, diz a recomendação

Com todo esse cenário, mesmo depois de quatro meses de negociações e inúmeros documentos técnicos e científicos produzidos apontando a gravidade das violações, a realidade dos ribeirinhos atingidos por Belo Monte hoje é de pessoas com a vida suspensa, marcados por graves abalos morais e materiais, sem nenhuma perspectiva de futuro, cheios de temores, vulnerabilidades e fragilidades.

A recomendação do MPF enviada hoje ao Ibama adverte o órgão de que toda essa situação tem que ser sanada como condição prévia para a emissão da licença solicitada pela Norte Energia.

Veja a íntegra do documento aqui.

Fonte: MPF
Compartilhar:

0 comentários:

PONTO FINAL

DESTAQUE:

Alcoa tem projetos de neutralização de emissões no Brasil inseridos no prêmio Global ReLeaf 2019

Quatro projetos de neutralização das emissões de CO2 desenvolvidos pela Alcoa no Brasil estão entre os dez escolhidos para o prêmio Globa...

Amazônia Protege

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive