domingo, 7 de maio de 2017

Paysandu é campeão do Banparazão 2017 com vitória sobre o Remo


Por: Dani Filgueiras

Os jogadores do Paysandu levantaram a Taça Açaí na tarde deste domingo (7) após a conquista do Campeonato Paraense Banpará 2017, o Banparazão, no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão). O placar de 2 x 1 sobre o maior rival, o Clube do Remo, deu o título à equipe bicolor no 741º clássico Re-Pa, que levou mais de 30 mil pessoas ao estádio.

Antes do início da partida, crianças do Polo Pro Paz Mangueirão entraram em campo com a faixa da campanha “Um Pacto de Paz”, promovida pela Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), com o objetivo de promover a paz e o respeito nos estádios. Junto com as crianças, representantes do Remo e Paysandu levaram uma grande bandeira colorida, símbolo da diversidade e respeito ao segmento LGBT, em alusão à campanha de combate à LGBTFobia, que será lançada oficialmente pelo Governo do Pará na próxima terça-feira (09), no Teatro Margarida Schivasappa, no prédio da Fundação Cultural do Pará. O tema da campanha é “Diversidade. Eu respeito. E você?”.

O maior clássico do futebol paraense contou com um forte esquema de segurança e infraestrutura, oferecido pelo governo do Estado, para garantir tranquilidade ao torcedor e às demais pessoas envolvidas no evento, como vendedores ambulantes. O tenente-coronel Fernando Oeiras, comandante do Batalhão de Polícia de Eventos, informou que foi mantida a mesma logística usada nos jogos anteriores, mas com um efetivo maior devido à expectativa de público para a final do campeonato.

“O efetivo total é de 1.200 homens, 300 a mais do que no clássico passado”, disse o tenente-coronel Oeiras, ao informar que a PM atuou com patrulhamento, cavalaria e viaturas dispostas em pontos estratégicos, de maior concentração de pessoas, como estacionamento, bilheterias, rampas e divisão das torcidas na arquibancada.

Segundo o comandante do Batalhão de Polícia de Eventos, o Banparazão teve um saldo positivo na área de segurança e na postura das torcidas. “As ocorrências diminuíram consideravelmente durante todo o campeonato. Infelizmente, ainda temos alguns episódios negativos, mas não tivemos registro de confronto dentro do campo, e isso merece ser destacado”, reiterou o tenente-coronel Fernando Oeiras.

A vendedora Daiane Silva se sentiu segura para levar a filha Safira, de apenas 3 anos, para assistir ao clássico. “A gente viu policiamento em vários lugares, e isso nos dá confiança de vir para o campo e torcer para o nosso time trazendo crianças. Gostei muito”, garantiu.

Trânsito - O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) organizou os acessos ao estádio. A Rodovia Transmangueirão, por exemplo, antes da partida ficou com mão única no sentido Mangueirão. Após o jogo, o tráfego ficou em sentido contrário - em direção à Avenida Júlio César. Agentes, viaturas e motocicletas auxiliaram motoristas e pedestres.

O estudante Odilon Pereira, que foi ao jogo na companhia de amigos, garantiu que não teve dificuldade para chegar ao Mangueirão. “É sempre muita gente, por isso é importante vir cedo. Não tivemos problemas para chegar”, afirmou.

Atendimento médico - As secretarias de Estado de Saúde Pública (Sespa) e de Esporte e Lazer (Seel) montaram dois ambulatórios para atender o público. Com médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, os ambulatórios contaram com o apoio de ambulâncias equipadas com desfibrilador (usado em reanimação cardíaca), informou o supervisor de ambulatório da Sespa, Cláudio Ruffeil. “Felizmente não precisamos usar esses equipamentos, mas temos que estar preparados para qualquer emergência”, ressaltou.

O estudante Wellinton Silva foi um dos primeiros a receber atendimento no ambulatório. “Me feri quando estava chegando noMangueirão. Se não tivesse esse ambulatório, eu teria que buscar atendimento em outro lugar e perderia o jogo. Fui rapidamente atendido, e em tempo de assistir ao clássico”, contou.

O torcedor Ronan Gomes saiu do município de Barcarena para ver seu time vencer o campeonato, naquele que considera “o clássico dos clássicos do futebol”. “É muita emoção viver isso aqui no Mangueirão. Vale todo o esforço da viagem só para poder estar aqui”, disse Ronan, que é cadeirante e assistiu ao jogo em uma área do estádio preparada para receber pessoas com deficiência. “É um espaço bastante confortável e de fácil acesso”, reiterou.

*É jornalista da Agência Pará
Compartilhar:

0 comentários:

PONTO FINAL

DESTAQUE:

Alcoa tem projetos de neutralização de emissões no Brasil inseridos no prêmio Global ReLeaf 2019

Quatro projetos de neutralização das emissões de CO2 desenvolvidos pela Alcoa no Brasil estão entre os dez escolhidos para o prêmio Globa...

Amazônia Protege

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive