sexta-feira, 14 de julho de 2017

Audiência pública discutirá terceirização da saúde em Santarém. Município terá que apresentar estudo orçamentário

Aprovado em junho deste ano, pela Câmara de Vereadores de Santarém, o projeto de lei nº 104/17, de lei de autoria do Poder Executivo que propõe um novo modelo de gestão por Organização Social (OS) para o município, que inclui também, os serviços da UPA 24 horas e do Hospital Municipal de Santarém (HMS), ainda gera discussões. Na última segunda-feira (10), uma reunião que contou com a presença do Ministério Público do Estado (MPE), representado pelas promotoras Lílian Regina Furtado Braga e Maria Raimunda da Silva Tavares, o secretário Municipal de Saúde, Edson Ferreira Filho, o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, políticos e representes da sociedade civil, discutiu sobre Organizações Sociais e a terceirização do HMS.

Ao final da reunião foi deliberada a realização de uma audiência pública para o próximo dia 24 de julho, às 8h30, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Nesta audiência, o Município deverá apresentar informações orçamentárias acerca do valor previsto para o exercício de 2017, do orçamento utilizado em 2016 para a prestação do serviço de saúde no HMS e UPA, além de um estudo orçamentário para contratação de médicos via Consolidação das Leis do trabalho (CLT) ou pessoa jurídica, de acordo com o serviço a ser contratado.

O projeto de lei nº 104/17, de 28 de junho de 2017, já foi aprovado pela Câmara de Vereadores e tem por objetivo autorizar o executivo a qualificar as organizações sociais, dirigidas não apenas na área da saúde.

O Município pretende repassar a gestão de hospitais públicos para essas organizações. A promotora Lílian Braga pontuou várias questões que preocupam o Ministério Público do Estado nesse processo de transferência de gestão, tais como o fato de haver um grande número de pacientes no HMS que não são do município de Santarém. "Como procederão os atendimentos a esses outros municípios, eles pactuarão com a OS?", questionou.

"É preciso saber qual foi o cálculo utilizado para garantir que o mesmo orçamento disponibilizado hoje será suficiente para o custeio da terceirização", alertou Lílian Braga. Segundo o prefeito Nélio Aguiar, as Organizações Sociais (OS) têm mostrado resultado em hospitais de urgência e emergência. “Os índices hospitalares mostram apenas 15% de óbitos, índice que já foi o dobro. Além disso, os hospitais geridos por esse modelo diminuíram o tempo de internação”, informou.

ele, os problemas com gestão do Hospital Municipal vêm desde a municipalização da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS). Porém o HMS continuará a ser do SUS, mas a gestão será liderada por uma Organização Social. “Há uma distinção entre privatização e terceirização. Os recursos públicos devem ser utilizados com eficiência. Os antigos gestores concordaram com a terceirização das OS”, acrescentou.

Quando questionado pela promotora de Justiça Maria Tavares sobre o valor orçamentário disponível ao HMS e a UPA e qual a projeção orçamentaria, Nélio Aguiar informou que mensalmente é dispensado, em média, um milhão de reais à UPA e quatro milhões ao Hospital Municipal, que será mantida a fonte orçamentária, bem como a atenção básica, visto que a atenção é ao atendimento de urgência e emergência. Quanto ao atual problema que transforma o atendimento em ineficiente, o prefeito afirma que ao seguir a lei de licitações a gestão municipal acaba adquirindo insumos de maneira mais cara, pela burocratização e licitação individual dos itens. Que por vezes, após a empresa se sagrar vencedora do procedimento licitatório, acaba negligenciando a prestação de serviço. “As OS conseguem fazer a mesma compra sem procedimento licitatório. O trato dispensado pelos profissionais passa por melhorias, visto que há cobranças nesse sentido, no que diz respeito à humanização do atendimento”, afirmou.

Com informações do MPE
Compartilhar:

0 comentários:

PONTO FINAL

DESTAQUE:

Alcoa tem projetos de neutralização de emissões no Brasil inseridos no prêmio Global ReLeaf 2019

Quatro projetos de neutralização das emissões de CO2 desenvolvidos pela Alcoa no Brasil estão entre os dez escolhidos para o prêmio Globa...

Amazônia Protege

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive