quinta-feira, 5 de julho de 2018

Quilombolas aprendem a usar dados e estatísticas para melhoria de vida da comunidade

Com estes conhecimentos é possível construir planos de vida para empoderamento dos povos da floresta amazônica

Nos próximos dias 06 a 08 de julho, jovens quilombolas de Oriximiná-PA aprendem a usar dados e estatísticas para melhoria de vida da comunidade. Eles participam de uma oficina de data sprint promovido pela Equipe de Conservação da Amazônia (ECAM) em parceria com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de dados (IBPAD), com apoio da USAID dentro do Programa Territórios Sustentáveis e Programa Novas Tecnologias. O objetivo é ensiná-los a usar levantamentos estatísticos para identificar problemas da comunidade e construir planos de vida, apontando caminhos e soluções.

Para Vasco Van Roosmalen, diretor da Ecam, é muito importante empoderar os povos da florestas para que eles sejam agentes da própria transformação. “Somente eles podem afirmar com total propriedade o que é melhor para a comunidade, dentro de seus preceitos e da autopreservação cultural. Queremos oferecer ferramentas tecnológicas para que eles possam estruturar de forma sistematizada e metodológica suas necessidades, como, por exemplo, serviços de saneamento básico, água potável, educação, serviços de saúde, entre outros”, destaca.

O data sprint permite exatamente obter resultados baseados em dados de forma rápida e objetiva. Com isso, será possível investigar e colher dados para levantar hipóteses de soluções ou direcionamentos, que serão estudados através de modelagem matemática e/ou estatística. “Na prática, poderão estruturar planos de vida e elaborar projetos para apresentar ao governo, empresas de iniciativa privada e outras instituições que possam subsidiar ou criar parcerias para solucionar os problemas levantados”, ressalta.

Outras iniciativas
Como esta oficina, a Ecam promove outras atividades visando a elaboração dos Planos de Vida e do Fundo Quilombola, duas ferramentas de gestão territorial participativa, importantes para dar voz aos povos e populações tradicional. “Quando inserimos ferramentas tecnológicas dentro destas comunidades, estamos dando um grande passo para a preservação sociocultural. Assim, eles se tornam detentor de conhecimento para proteger seu patrimônio e também seu povo”.

Para se ter uma ideia, o quilombo de Boa Vista Trombetas, no município de Oriximiná, conseguiu finalizar no fim do mês de junho de forma participativa o seu Plano de Vida. Com isto, estabeleceram metas a serem cumpridas nos próximos 5, 10, 15 e 20 anos. O trabalho foi realizado em duas etapas contemplando assunto das áreas de cultura, fortalecimento institucional, habitação, saúde, educação, meio ambiente e geração de renda.

Fonte: Prezz Comunicação
Compartilhar:

0 comentários:

PONTO FINAL

DESTAQUE:

Alcoa tem projetos de neutralização de emissões no Brasil inseridos no prêmio Global ReLeaf 2019

Quatro projetos de neutralização das emissões de CO2 desenvolvidos pela Alcoa no Brasil estão entre os dez escolhidos para o prêmio Globa...

Amazônia Protege

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive