segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Empresas são investigadas por crimes de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas



Uma operação de combate à lavagem de dinheiro foi desencadeada nos estados do Pará e Amazonas, nesta segunda-feira (12). Batizada de "Washed Bread" (tradução em português: "Pão Lavado"), a operação apontou para o desempenho de atividades criminosas de empresários, alguns ligados ao ramo de panificação, em relação ao tráfico de drogas. Segundo as investigações, as movimentações financeira e patrimonial não são compatíveis com a atividade desempenhada. Até o momento, foram cumpridos 31 mandados - 25 no Pará e seis no estado do Amazonas. Em Santarém, oito pessoas foram presas preventivamente e quatro flagrantes ainda estão em andamento.

Pelo menos quatro empresas de Santarém são alvos das investigações que apuram um esquema que pode chegar a aproximadamente R$ 25 milhões em movimentações financeiras ilegais. Dinheiro do tráfico de drogas que estaria abastecendo diversas contas bancárias.

Durante a operação, que conta com o apoio da Superintendência de Polícia Civil do Baixo Amazonas, Delegacia do Interior, Núcleo de Inteligência Policial e Secretaria Executiva de Inteligência do estado do Amazonas, um ex-servidor da Câmara Municipal de Santarém foi preso.

"Um empresário foi servidor comissionado na Câmara Municipal, até março de 2017, e verificou-se que, através de documentações já obtidas com a Câmara e análises feitas, ele efetivamente não laborou durante o período, configurando o crime de peculato", informou o delegado Rafael Augusto de Andrade, um dos responsáveis pela operação, durante coletiva de imprensa realizada no auditório do Centro de Governo do Baixo Amazonas, no final da manhã desta segunda.

Associação criminosa

A Polícia Civil classificou como "associação criminosa" o esquema descoberto a partir de sete meses de investigações. Empresários usavam empresas ligadas ao setor de panificação, por exemplo, para lavar dinheiro do tráfico de drogas, praticando valores abaixo de mercado, aumentando substancialmente seu patrimônio.

"São investigados hoje crimes de peculato, tráfico e associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, essencialmente dado o grande volume movimentado nessas contas correntes em exíguo espaço de tempo. Não há uma evolução patrimonial compatível com as atividades empresariais desenvolvidas”, reitera Rafael Andrade.

De acordo com a Polícia Civil, as empresas investigadas têm ligação com o setor de gêneros alimentícios, refrigeração e, também, como o ramo de motocicletas. “Algumas empresas foram abertas de direito, mas fechadas de fato e algumas já fechadas efetivamente, mas que também se utilizaram para fazer esse mecanismo de lavagem”, destacou o delegado. A Polícia Civil continua a cumprir mandados de prisão, busca e apreensão. (AP)
Compartilhar:

0 comentários:

Amazônia Protege

DESTAQUE:

MPF recomenda que escolas e universidades do oeste do Pará garantam liberdade de ensino

O Ministério Público Federal (MPF) encaminhou notificação a instituições da área da educação no oeste do Pará em que recomenda que escolas,...

Publicidade:

Publicidade:

Quem somos

O Blog Quarto Poder está no ar desde: 23/02/2007

O Quarto Poder é um blog jornalístico voltado para divulgação de notícias de interesse público.

Artigos e crônicas assinados são de responsabilidade de seus autores e nem sempre refletem a opinião do Blog.

Jornalistas Responsável:

Renata Rosa

Fale com a gente:

Contatos: (93) 98128-1723 - 99131-2444

E-mails: m_santos1706@hotmail.com / m_santos170676@hotmail.com

FALE CONOSCO:


Quarto Poder

Marcadores

Blog Archive