Últimas Notícias

O fim do futebol ao vivo


Medida será lucrativa para bares com televisão por assinatura

Quem não tiver televisão por assinatura vai ter de sair de casa para torcer por seu time de coração nas noites de quarta-feira. Na terça-feira, entrou em vigor a portaria 1.220/2007 do Mistério da Justiça, que pretende dificultar o acesso de crianças e adolescentes a programas inadequados para suas idades.

Desta forma, a programação da televisão aberta no Amazonas, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Acre passa a ser transmitida no horário local. Por exemplo, um programa exibido às 21h, no horário de Brasília, terá de obedecer a este horário nestes estados. Hoje, quando Cienciano e Flamengo entrarem em campo pela Libertadores, os torcedores destas localidades terão que se contentar com um filme na televisão. Só no segundo tempo a transmissão será ao vivo, a partir das 21h45.

Polêmica - Nesses locais, de fusos horários diferentes de Brasília, as programações terão de ser gravadas e exibidas pelas TVs abertas somente nos horários da classificação indicativa de cada programa. "Acho que isso é um abuso. Quem tem o dever e o direito de dizer qual é a melhor programação para meu filhos sou eu", diz o comerciante e flamenguista Rubens de Souza.

A portaria causou furor entre as afiliadas da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert). Elas alegam que, para se adaptar às determinações do MJ, teriam gastos com compra de equipamentos e contratação de pessoal. Mesmo assim, o diretor-geral da Abert, Flávio Cavalcante Júnior, garante que as emissoras vão cumprir a portaria. "Essa medida é inócua e vai levar a uma corrida pela compra de parabólicas".

Para os donos de bares, a notícia pode ser boa. Algumas cidades já têm tradição em aglomerações nos dias de clássicos.

Justiça Federal - Está em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF) uma Ação Direta de Inconstitucionalidade que contesta a determinação de horários. Pelos critérios estabelecidos, programas com conteúdo para maiores de 18 anos só podem ser exibidos a partir das 23h; os com conteúdo para 16 anos, a partir das 22h e os indicados para maiores de 12 e 14 anos, somente após às 20h e às 21h, respectivamente.


"Todo mundo sabe o que é bom ou ruim para uma criança. A televisão tem um nível de programação muito contestável, mas essa decisão me parece com censura", argumenta o estudante Carlos Almeida.

Postar um comentário

0 Comentários