Últimas Notícias

Prefeita é vítima de tentativa de extorsão


Com a aproximação do período eleitoral, pretensos candidatos a vereador são capazes de tudo para obter apoio financeiro para suas campanhas políticas. Alguns são capazes de qualquer coisa para tirar proveito de futuros aliados, inclusive com intimidações e ameaças. Os políticos com mandatos e que buscam a reeleição utilizam de todos os métodos para conseguir dinheiro.
O uso do poder para obter favores pessoais é uma prática comum nas cidades do interior do Brasil. Em Aveiro, município loca-lizado na região Oeste do Pará, a prefeita Maria Gorete Dantas Xavier tem sido vítima constante da perseguição de alguns grupos políticos que a pressionam na tentativa de conseguir dinheiro em troca de apoio político à sua campanha.
Alheia às negociatas que rondam o meio político, Gorete foge às investidas, porém, confidencia aos assessores e familiares que está incomodada com a perseguição. "As pessoas pensam que o dinheiro é meu e esquecem que estou administrando recursos do povo, destinados aos investimentos do nosso município. Eu não vou me intimidar diante de chantagens ou ameaças em troca de apoio político", dispara a prefeita, lamentando que alguns vereadores esqueçam seu papel fundamental e passem a usar o cargo para obter vantagens pessoais.
Um dos perseguidores de Maria Gorete é o vereador Lúcio Nascimento que chegou a mandar ofício a prefeita discriminando como deveria ser repassado os bens e recursos em troca de apoio político. A reportagem do Jornal A Cidade conseguiu cópia deste do-cumento e reproduz alguns pontos que deixam claro as intenções do parlamentar.
No documento, de número 001/04, assinado pelo próprio Lúcio Nascimento, ele afirma: "Em se tratando de apoio vamos ao que intereça: quando de nosso último contato, Vossa Excelência não me deu nenhuma posição sobre a definição do necessário para apoiá-la em sua administração, contando com isso, mando-lhe minha proposta de apoio para análise".
A proposta a que se refere o vereador em troca de apoio à administração da prefeita Maria Gorete é a nomeação, através de portarias de 26 pesssoas que, segundo ele, estarão à disposição do governo; um transporte para locomover os moradores de Cupari para Aveiro e vice-versa, uma vez por mês durante todo o seu mandato; 400 litros de combustível por mês; sustentabilidade financeira a cada repasse da Câmara no valor mínimo de R$ 2.800,00; preferência nos serviços de xérox de documentos da Câmara e da Prefeitura, além de um grupo gerador e uma parabólica com televisão avaliados em R$ 10 mil.
Encerrando, Lúcio Nascimento diz que está aberto para uma contraproposta, desde que todos os seus pedidos sejam atendidos pela prefeita. Diante disso, Maria Gorete explicou que não desembolsou um centavo para aceitar essas imposições em troca de apoio, pelo contrário, ignorou todas as investidas do vereador que até hoje tentar arrancar dinheiro da prefeita.
A reportagem tentou contato com o vereador Lúcio Nascimento, mas não conseguimos localizar na sede do município para que ele esclarecesse as propostas feitas à prefeita Maria Gorete.

Postar um comentário

0 Comentários