Últimas Notícias

VIII FECAN celebra vitória da música do Oeste paraense


É de Porto Trombetas a grande vencedora do VIII Festival da Canção de Porto Trombetas (Fecan), realizado de 24 a 26 de outubro, pela Mineração Rio do Norte e pelo Mineração Esporte Clube. A composição Ladeiras e Magia, de Alexandre Cordeiro, foi interpretada por Carlinho Dias e levou o prêmio de aclamação popular, melhor letra e melhor intérprete. A coroação ficou por conta do troféu de primeiro lugar geral, como melhor canção do Festival.

"Foi a primeira vez que ganhei um Festival, apesar de já participar há vários anos. Não esperava levar tantos prêmios", ressaltou o carioca Alexandre Cordeiro, que mora em Porto Trombetas há 20 anos. A canção, uma "alegre homenagem à cidade de Óbidos", segundo o obidense Carlinho Dias, levantou o público que lotou o Mineração Esporte Clube durante os dias do evento.

"O Fecan é um festival muito emocionante, especialmente pelo envolvimento de toda a equipe técnica e candidatos, que contribuem para a realização de um belo espetáculo. Ele também é uma oportunidade de divulgar os trabalhos de novos talentos musicais do Brasil e principalmente do Oeste do Pará. Além disso, capturamos um material artístico muito precioso para a produção do DVD com as apresentações dos doze finalistas", avaliou o organizador do Festival, Denilson Gonçalves.

O compositor e cantor Sidlei Printes, de Oriximiná, emplacou sua canção Sem Aplausos como a segunda melhor do Festival. Vindo de Macapá, o compositor Chermont Junior levou o terceiro lugar geral, com a sua A Festança na Mata. A composição Aquarelas de Apolinário, autoria do jurutiense Junior Coelho, foi defendida pela santarena Priscila Moureira e levou o prêmio de melhor arranjo.

"Os candidatos estiveram na linha da perfeição. Além disso, os músicos da banda base contribuíram muito para o resultado das apresentações e para fazer do evento um Festival de alta qualidade. Ficou difícil julgar", destacou o regente da Filarmônica Municipal de Santarém Professor José Agostinho, João Paulo Fonseca, um dos jurados da etapa final do Fecan.

O violonista Sebastião Tapajós também foi um dos jurados da noite final. "O Fecan tem um nível altíssimo. Não só os candidatos são muito bons, mas a estrutura e a organização são de grandes festivais. E, a cada ano que passa, ele tem tomado proporções ainda maiores, atraindo concorrentes de diversas regiões. É um exemplo a ser seguido", enfatizou o artista.

Os vencedores dos 2º e 3º lugares levaram para casa troféus e prêmios nos valores de R$ 2 mil e R$ 1 mil, respectivamente. O primeiro lugar, além de levar troféu e prêmio de R$ 4 mil, vai ter sua composição gravada no CD Festivais do Brasil - Volume V. O ganhador do troféu de aclamação popular também levou prêmio de R$ 500,00. Os vencedores das categorias de melhor letra, melhor intérprete e melhor arranjo ganharam troféus.

Os troféus da oitava edição do Fecan foram uma novidade à parte. Vindo de Belém, o caricaturista Luciano Mesquita personalizou a imagem de todos os vencedores em desenhos cômicos. As caricaturas foram entregues aos vencedores como troféus.

A última surpresa da noite da final ficou por conta do representante da Fundação Tancredo Neves, Armando Hesketh, presente ao evento. Hesketh anunciou que a composição vencedora do 1º lugar no Fecan já está classificada para a final do Festival da Música do Pará (Femupa), organizado pela entidade, ligada ao governo do Estado. "A canção de Alexandre e Carlinho irá concorrer com composições de outros onze municípios do Pará", explicou.

O Fecan é uma realização da Mineração Rio do Norte (MRN) e do Mineração Esporte Clube, através do Programa Qualidade de Vida de Porto Trombetas.

Postar um comentário

0 Comentários