Últimas Notícias

Festribal movimenta Juruti, no Pará


Portal Tribal: Índia Guerreira recebe visitantes de braços abertos em Juruti. Foto: Suzane Lima
Um dos maiores festivais folclóricos do interior da Amazônia movimenta o município de Juruti, na região oeste do Pará, na última semana de julho. Restando poucos dias para o início do duelo entre Mundurukus e Muirapinima, a cidade se enfeita nas cores vermelho, azul e amarelo, que simbolizam as duas tribos, e recebe visitantes de várias partes do Brasil e também de outros países.

O Festribal é promovido pela Prefeitura de Juruti e surgiu como uma ramificação do Festival Folclórico do município. O evento era composto por cordões de pássaros, quadrilhas, bumba meu boi e o carimbó. Foi apenas em 1993 que surgiu uma dança com coreografia indígena intitulada Tribo Munduruku. Até então, não existia essa categoria no festival. Um ano depois surge a Tribo Muirapinina e em 1995 foi realizado o primeiro duelo das tribos, que a partir daí foi aclamado como Festribal, considerado a maior identidade cultural do município e patrimônio cultural do Estado do Pará.

O tema da 25ª edição do festival será “Resistência Indígena no Coração do Brasil” e busca resgatar e valorizar a história, cultura e legado dos povos indígenas da região. O duelo entre as tribos ocorrerá no período de 25 a 27 de julho, no Tribódromo.

Na arena, cada tribo desenvolve suas encenações defendendo seu tema por meio de coreografias, fantasias, alegorias, destaques, rituais indígenas, músicas, danças e artes cênicas. Cada espetáculo tem duração de três horas.

Recepção aos turistas

Nos últimos dias, centenas de pessoas têm chegado ao município para prestigiar o Festival das Tribos em Juruti. A maioria dos visitantes desembarca no porto da cidade, vindos de barco, que é meio de transporte mais usado nesta região. Para recepcionar os turistas, a Prefeitura instalou o Portal Tribal, na rua Barão do Rio Branco. De braços abertos, uma Índia Guerreira, um dos itens de disputa das tribos, foi erguida bem no meio da rua para recepcionar com sua coragem e beleza quem chega a Juruti para acompanhar o festival. A obra é assinada pelo artista plástico Rodrigo Sousa.

O portal foi criado como mais um atrativo para atrair e receber os visitantes e já virou também um novo cartão postal da cidade.

Comércio em alta

O festival também é uma oportunidade de ganho extra para os comerciantes jurutienses nesse período. Todos os setores são impactados com a chegada dos turistas à cidade. As vendas aumentam consideravelmente, sobretudo o setor de serviços e alimentação. Hotéis, bares e restaurantes vivem dias de grandes expectativas ainda, uma vez que é na última semana deste mês que o movimento aumenta por causa do festival. Com mais turistas na cidade, a economia do município aquece e todos lucram. Artesãos de várias partes também aproveitam a festa das tribos para ganharem um dinheirinho extra e colocam à venda seus produtos à venda nas ruas de Juruti.

Tribódromo


A arena da disputa entre Muirapinima e Munduruku, o Tribódromo, segue recebendo os últimos ajustes para o primeiro dia de duelo entre as tribos. A Prefeitura está concluindo serviços na parte estrutural do palco sagrado e só então vai definir a capacidade de público deste ano. As ruas nos arredores também ganham manutenção, com serviços de limpeza, pintura de meio-fio, tapa buracos, reposição de sarjetas e iluminação.

Tribos 

A Tribo Munduruku foi fundada em 1993 e suas cores são vermelho e amarelo. A tribo nasceu a partir de uma dança com coreografia indígena.

A Tribo Muirapinima foi fundada em 1994 e suas cores são vermelho e azul. A tribo surgiu da Dança do Fogo (grupo de coreografia indígena do Colégio Américo Lima).

Rivalidade

O nascimento de um curumim com traços diferentes (mais claro e cabelo avermelhado) na aldeia Munduruku não foi bem aceito. A família do curumim se rebelou contra o cacique Munduruku e junto com mais alguns índios se refugiou às margens do Lago do Juruti-Velho, onde havia um bosque de Muirapinimas, árvore cuja madeira de lei era utilizada para a fabricação de móveis no período colonial. Em homenagem à árvore, a Tribo dissidente se auto-denominou Muirapinima e passou a ser inimiga da sua antiga Tribo Mundurukus.

Festribal 2019

Período:
25 a 28 de julho de 2019

Juruti, Pará
Para chegar ao município de Juruti, os visitantes podem se deslocar por meio rodo-fluvial, hidroviário e aéreo.


Postar um comentário

0 Comentários