Últimas Notícias

Caminhada Ecológica chega a sua 23ª edição em Santarém


O Grupo de Defesa da Amazônia (GDA) realiza nos dias 26 e 27 de outubro, a 23ª Caminhada Ecológica. A atividade tem como objetivo sensibilizar a sociedade Santarena e os moradores das comunidades do entorno da área das praias do rio Tapajós, sobre a importância de conservar os ecossistemas naturais, especialmente os recursos hídricos, visando a melhoria da qualidade de vida da população atual e suas futuras gerações.

A Caminhada Ecológica conta com a parceria de algumas comunidades do Eixo Forte como: Pajuçara, Juá, Ponta de Pedras e Alter do Chão, e envolve a participação de crianças, jovens e adultos.

A programação consta desde a reflexão ambiental, coleta de lixo encontrado nas praias, recepção feita pelos moradores até a deliciosa piracaia e café da manhã partilhado.

As inscrições são feitas no escritório do GDA, localizada na Travessa Agripina de Matos, entre Avenida Tapajós e 24 de outubro, n° 203, bairro Laguinho. O preço é de R$ 40 incluindo o kit caminhada (camisa, cuia regional, café da manhã no domingo e água mineral durante o evento.

Mais informações: (93) 99195-3465 (Valéria); (93) 99165-1025 (Darcilene).

Histórico da Caminhada Ecológica
A Caminhada Ecológica é realizada desde 1994 pela orla fluvial do município de Santarém, percorrendo cerca de 13 praias, com início na praia de Maracanã e término na Vila balneária de Alter-do-Chão, totalizando aproximadamente 44 km de praias e diversas comunidades locais.

O evento surgiu através de parceria com um grupo de jovens do Bairro do Mapiri, sendo que até o ano de 1995, era bem restrito ao grupo e com participação em média 30 pessoas.

Nos anos seguintes, o evento mesmo sem recurso específico, foi se expandido e se estruturando com maior abrangência através da formação de parcerias diversas, e o apoio do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar para garantir segurança aos participantes.

A Caminhada tem como enfoque principal a questão ambiental por ser um espaço, especialmente de sensibilização sobre a situação degradante e poluição das praias.

A proposta de realização da caminhada é importante, pois é a programação une o lazer e a reflexão ambiental de forma bem dinâmica.

Outra vantagem é a contribuição para minimização dos problemas ambientais enfrentados nas áreas das comunidades que ficam às margens do rio Tapajós, principalmente a problemática do lixo que tem sido um grande desafio enfrentado pelos moradores e usuários das praias.

Divulgação/GDA

Postar um comentário

0 Comentários