Últimas Notícias

Vídeo: Onça-pintada é flagrada em estrada construída pela MRN



Uma onça-pintada foi flagrada atravessando uma estrada que está sendo construída pela Mineração Rio do Norte (MRN), no Rio Trombetas, em Oriximiná, no oeste do Pará. O flagrante foi feito há alguns dias e ganhou as redes sociais neste fim de semana. A obra está sendo construída em uma área no interior da Floresta Nacional de Saracá-Taquera. O animal foi filmado no momento em que atravessava a rodovia carregando uma presa. A onça sai de uma margem à outra, sendo observada à distância por operários. Pelo que se vê no vídeo, no instante em que o animal segue cruzando a estrada lentamente, não há movimentação de maquinários na pista. É possível observar tratores parados, sem ninguém operando os veículos. Antes de chegar ao outro lado da área de mata fechada, a onça-pintada para por alguns instantes, observa quem lhe filma, depois sobe um pequeno morro e some na floresta.

De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza e Recursos Naturais (IUCN) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a espécie está classificada como 'quase ameaçada'.

A construção de estradas e rodovias em áreas onde há matas nativas, afeta a vida selvagem, sobretudo pela fragmentação de habitats e mortalidade de animais, devido atropelamentos, por exemplo. Além disso, as construções alteram o comportamento dos bichos, causando também a dispersão nas populações de animais silvestres.

A onça pintada é um animal solitário, de hábitos noturnos, que pode pesar de 35 a 130 kg. Ela pode medir até 1,90 metro de comprimento e 80 centímetros de altura. Os machos pesam cerca de 20% a mais do que as fêmeas, podendo chegar a 135 kg. Esses felinos habitam áreas que variam entre 10 a 265 Km2 ao longo de sua vida.

Por meio de nota, a MRN se manifestou e confirmou o registro do animal na nova estrada que está sendo construída pela empresa. Disse ainda que as atividades, no momento do registro, estavam paradas. Também afirmou que realiza diálogos com funcionários sobre os procedimentos adequados quando um animal silvestre é encontrado. A orientação dada é para que sempre mantenham a calma deixem o animal passar livremente, como ocorreu no flagrante feito. Em caso de encontrar um animal ferido, a orientação é acionar imediatamente o Centro de Triagem de Animais Silvestre ou a Brigada de Emergência. Há profissionais médicos veterinários e biólogos para tratamento dos animais. A nota afirma ainda que a MRN cumpre a legislação ambiental federal.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Esclarecimento I MRN

O registro verificado em vídeo de uma onça-pintada (Panthera onca) com uma presa, foi realizado nos últimos dias em uma obra de uma nova estrada que está sendo construída na Mineração Rio do Norte (MRN). No momento do registro, as atividades estavam paradas. Como pode ser verificado no vídeo, após atravessar a via, o animal entrou na floresta e seguiu livremente.

A empresa realiza constantes diálogos com seus empregados diretos e terceirizados (cerca de 5 mil), onde são discutidos os procedimentos adequados que devem ser executados quando um animal silvestre é encontrado. Neste caso, por exemplo, a orientação é manter a calma e deixar com que o animal siga o seu caminho, uma vez que o mesmo está saudável e desempenhando suas atividades na natureza. No caso de se avistar um animal ferido ou que necessite de atendimento, o procedimento definido é informar ao Centro de Triagem de Animais Silvestres, ou em segundo caso, a Brigada de Emergência e realizar o resgate do animal para a avaliação clínica por profissionais médicos veterinários e biólogos, para tratamento caso se faça necessário, e posterior soltura à natureza.

A MRN é uma das maiores mineradoras de bauxita do mundo e opera há quarenta anos na região Amazônica (em Porto Trombetas, oeste do Pará), sempre pautando suas atividades no respeito às pessoas e ao meio ambiente, em consonância com a legislação ambiental federal. As atividades ocorrem no interior da Floresta Nacional de Saracá-Taquera, que possui uma área de 430 mil hectares e está nas proximidades da Reserva Biológica do Rio Trombetas, que soma mais 350 mil hectares. Assim, a presença de animais silvestres é recorrente, uma vez que a região possui uma alta diversidade de espécies. A MRN cumpre rigorosamente os programas ambientais específicos com objetivos de mitigar os impactos das atividades decorrentes das suas operações.

Postar um comentário

0 Comentários