Últimas Notícias

Juruti promove seminário “Parcerias para o Desenvolvimento na Amazônia”


Sustentabilidade, Investimentos, Recuperação, Empreendedorismo, ODS - Uma nova forma de empreender

Esta semana, o município de Juruti foi palco de reflexões sobre o desenvolvimento sustentável na Amazônia e o engajamento em parcerias como uma das estratégias centrais. Organizações globais como a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID), CIAT (Centro Internacional de Agricultura Tropical), empresas Hydro, Alcoa, contribuíram com o seminário promovido pelo Instituto Juruti Sustentável (IJUS), tendo, ainda, a participação da Prefeitura Municipal de Juruti e Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA).

As organizações parceiras vem discutindo potenciais iniciativas de colaboração mútua desde novembro passado, visando estabelecer uma agenda de aliança pelo desenvolvimento sustentável no território amazônico. O seminário abriu à sociedade de Juruti a discussão sobre o potencial das parcerias a partir das realizações e especificidades de cada organização. Certa de 250 pessoas lotaram o auditório da Escola Estadual Zelinda de Souza Guimarães, em Juruti, estando presentes na plateia líderes de organizações civis, empresas, governo, acadêmicos e estudantes.

Amazônia no contexto global
A Plataforma Parceiros pela Amazônia (PPA) vem se mostrando como uma das ações de fortalecimento da região. Uma iniciativa do setor privado com a missão de fortalecer ações inovadoras para a região. A USAID é uma das organizações que facilita a coordenação executiva e destacou como vem desenvolvendo suas atividades.

Nos últimos 10 anos, através de um acordo entre o Brasil e os Estados Unidos, a USAID vem apoiando iniciativas na Amazônia a partir de intensos diálogos setoriais com os parceiros, para buscar soluções conjuntas.

“Queremos realmente dialogar com todos os parceiros e buscar soluções juntos. Através de um novo modelo para Amazônia, que considere a conservação da floresta e da biodiversidade amazônica, e o bem-estar das comunidades”, afirmou Anna Toness, Diretora do Programa Ambiental da USAID-Brasil. Anna ainda pontuou a grande complexidade dos desafios e oportunidades na região. “Temos uma elevada taxa de desmatamento e desemprego. Mas por outro lado há grandes oportunidades. O sistema velho de fazer desenvolvimento não funciona mais. Precisamos pensar em uma transformação com impacto positivo na biodiversidade e geradora de prosperidade econômica. Empreender com desenvolvimento. Empresas pequenas, médias, grandes, estão em um outro momento. Precisamos pensar em ideias mais integradas, soluções interligadas, com maior capacidade de colaboração de todas as partes, ou seja, do governo municipal, sociedade civil, empreendedorismo dos jovens, lideranças das mulheres.”, A Amazônia tem mais oportunidades de empreendedorismo e fomento de startups do que outras regiões do país. Parcerias integradoras podem contribuir com suas comunidades”, declarou.

ODS 17 - Parcerias para a Sustentabilidade
Em Juruti, este modelo de trabalho em parcerias vem sendo adotado já há mais de dez anos pelo Instituto Juruti Sustentável (IJUS), que vem mantendo a contínua integração de esforços do governo local, associações e empresas, como a Alcoa, em iniciativas de desenvolvimento sustentável local. Somam-se a este esforço outras organizações de referência nacional e internacional atraídas para o território, entre elas o Consulado da Mulher, Alcoa Foundation, Instituto Alcoa, Centro de Empreendedorismo da Amazônia, Instituto Homem e Meio Ambiente (IMAZON), Funbio – Fundo Brasileiro para a Biodiversidade, Territórios Sustentáveis, e outros.

A USAID e a Hydro estiveram em Juruti para diálogos institucionais e participação no seminário especialmente para conhecer a experiência Juruti Sustentável e toda a articulação e resultados promovidos pelo IJUS na região.

Atuar com base nas diretrizes globais dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), das Nações Unidas (ONU), é uma realidade para o IJUS. Deise Melo, Secretária Geral do IJUS observou o papel do Instituto. “Realizar um trabalho de desenvolvimento em outras regiões já é um desafio, mas na Amazônia, com nossa logística, chegar aqui na mata, é muito mais difícil. Mas é nosso papel. Investimos efetivamente na concretização de ações que promovam a sustentabilidade de Juruti e seu entorno. Nossa efetividade vem da participação ativa de toda a sociedade local representada no IJUS. Trabalhando de forma transparente”, afirmou.

Gênesis Costa, Gerente Geral da Alcoa Juruti, apresentou todas as ações socioambientais desenvolvidas pela empresa, e com a participação ativa da empresa no IJUS como uma estratégia de investimento pelo futuro e sustentabilidade do município. “O desenvolvimento sustentável na região depende de engajamento das pessoas e organizações com o olhar no futuro. O pensamento precisa estar no amanhã e não somente no hoje. Todos os empreendimentos e decisões, seja da empresa, governo, organizações, de cada indivíduo, devem trazer impacto positivo também para as futuras gerações. Por isso, a Alcoa vem investindo desde o início na sustentabilidade de Juruti, pensando no futuro após a mineração e o IJUS é uma amostra do que essa estratégia de parceria pode gerar de resultados hoje e no longo prazo”, declarou.

Em parceria com o IJUS a Secretaria de Produção de Juruti, por exemplo, já formou mais de 110 agricultores em Sistemas Agroflorestais (SAFs). Segundo Eraldo Albuquerque, Secretário de Produção de Juruti, até 2016 70% das frutas consumidas em Juruti vinham de outros municípios. “Essa realidade está sendo mudada. Já percebemos uma maior diversificação de frutas. É resultado de um trabalho que vem sendo feito junto com o produtor familiar, como os SAFs. São tecnologias que irão fazer a mudança no campo, desenvolvendo a agricultura sem agredir o meio ambiente”, comentou.

A Hydro, mineradora Norueguesa, com operações no Pará, também participou do Seminário. Compartilhou a criação do Fundo da Sustentabilidade pela empresa e que parte da construção do Fundo foi inspirada nas experiências de Juruti, e que estão trabalhando para potencializar a sustentabilidade em sua região de atuação. “Precisamos fortalecer o debate permanente. Desta forma, a Hydro vem buscando fortalecer esse fórum na região, para nortear como os projetos locais devem ser direcionados e apoiados. Temos recursos técnicos e potencial sinergia entre as experiências de Juruti, Barcarena, Trombetas. Como construímos essas pontes metodológicas que somem o potencial de todos? Essa é a reflexão conjunta que estamos fazendo”, afirmou Eduardo Figueredo, Diretor Executivo da Hydro.

O IJUS mantém fóruns de diálogo contínuo sobre as estratégias de priorização dos investimentos pelo desenvolvimento sustentável de Juruti e entorno. O Conselho Juruti Sustentável (CONJUS) é o órgão voltado à promoção do diálogo coletivo entre organizações sociais, poder público e iniciativa privada. Além disso, o IJUS conta com o Fundo Juruti Sustentável (FUNJUS), mecanismo financeiro para investimentos em projetos voltados ao desenvolvimento sustentável na região. 

Fonte: Comunicação I IJUS

Postar um comentário

0 Comentários