Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Chacina em Belém

Segup avança nas investigações sobre homicídios no bairro do Guamá

Em pouco mais de 24 horas após 11 pessoas serem mortas a tiros no bairro do Guamá, em Belém, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) informou, nesta segunda-feira (20), os avanços das investigações sobre o caso. Após o acontecimento, mais de 20 pessoas que estavam no local do crime e/ou familiares das vítimas foram ouvidas por policiais civis da Divisão de Homicídios. Houve, ainda, a apreensão de aparelhos celulares e câmeras de segurança, que estão contribuindo para acelerar a apuração dos crimes. Apesar de já existir uma linha de investigação mais assertiva, nenhuma hipótese está sendo descartada, garantiu, em entrevista coletiva no Palácio do Governo, o titular da Segup, Ualame Machado. “Nós temos muita pressa em elucidar esse crime, pelo impacto que ele causa, pelo número de pessoas envolvidas e da forma como foi. Porém, temos que ter cautela, porque é um procedimento sigiloso e muito sensível. Já coletamos muitas imagens, que estão sendo anal

Chacina em bar no Guamá deixa 11 pessoas mortas

Onze pessoas foram mortas na tarde de hoje (19), em um bar, localizado na Passagem Jambu, entre as passagens Napoleão Laureano e Mário Alberto, no bairro Guamá, em Belém. Agentes da Polícia Militar e Força Nacional foram acionados para levantar as primeiras informações sobre a chacina. Ao todo as vítimas são seis homens e cinco mulheres, sendo que a maioria delas estava sem documentos, o que dificulta a identificação dos corpos. Os nomes das vítimas confirmadas são: Maria Ivanilza Pinheiro Monteiro, conhecida como "Wanda" e proprietária do bar; Leandro Breno Tavares da Silva, 21, DJ do estabelecimento; Paulo Henrique Passos Ferreira, 25, funcionário do bar; Raquel da Silva Franco, 33, conhecida como "Rayca", um dos sobreviventes da chacina, Anderson Gonçalves dos Santos, conhecido como "Neguinho", foi socorrido e encaminhado para a UPA da Terra Firme. O Instituto Médico Legal (IML) já foi acionado para fazer a remoção dos corpos. Os detalhes da chacina