Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Descaso

Descaso do governo municipal com Santarém

O descaso do governo municipal com a cidade de Santarém é notório. Vários setores sofrem por conta do desmazelo da Prefeitura com o bem público. Isso também é notório. A infraestrutura da cidade é sem dúvida o setor mais afetado pela negligência administrativa do PT, que nos últimos sete anos se limitou a fazer serviços paliativos e obras sem qualidade, que hoje se revelam nocivas à população. Os exemplos são tantos que enumerá-los aqui seria cansativos aos leitores, pois todos conhecem muito bem a nossa triste realidade. Com a chegada das chuvas, os problemas com a falta de saneamento básico e drenagem de ruas se acentuam neste período e ressaltam de forma vergonhosa a incompetência dos atuais gestores com o município. No verão, nada foi feito para que as pessoas, sobretudo quem mora na periferia, não sofressem tanto e tivessem tantos prejuízos com a chegada do inverno. No início desta semana, a população dos bairros periféricos sofreu com as enxurradas causadas pelas fortes chuvas

Feira do Peixe

O Corpo de Bombeiros deveria interditar imediatamente a Feira do Peixe antes que aconteça ali uma tragédia devido à precariedade da estrutura dos alicerces que sustentam o prédio, que diariamente recebe a visita de centenas de pessoas. Após a denúncia das falhas nas colunas de concreto, a Prefeitura determinou à empresa Saneng Engenharia que providenciasse os reparos dos pilares para reforçar a base da estrutura da feira, contudo, o serviço foi feito à meia-boca e os riscos continuam. Sem qualidade - A empresa Saneng Engenharia, de propriedade do empresário Carlos Eduardo, teve problema semelhante com uma obra no município de Alenquer que apresentou falhas na estrutura física. O terminal fluvial construído pela Saneng precisou ser interditado, pois corria o risco de desabar. Para preservar a integridade das pessoas, o MP solicitou a interdição. Aqui, ninguém está preocupado com a segurança da vida da população.

Ponte do Urumari oferece riscos aos moradores

Indignação. Esta palavra resume bem o sentimento dos moradores dos bairros da Área Verde, Urumari, São José Operário e Jutaí com a Prefeitura de Santarém. Há vários meses que as pessoas solicitam ao governo municipal a recuperação da ponte que serve de ligação entre essas comunidades às vias de acesso ao centro da cidade. Os apelos dos comunitários jamais foram atendidos e a situação só se agravou nos últimos dias.

Obras da Prefeitura em Santarém não têm qualidade

A má aplicação de verbas públicas em empreendimentos que deveriam garantir o bem estar ou a melhoria da qualidade de vida da população santarena tem sido notória no governo da prefeita Maria do Carmo. Por falta de fiscalização e cuidado com o patrimônio municipal, muitas obras recém-inauguradas pela Prefeitura estão se deteriorando e precisam ser refeitas antes que causem danos à vida das pessoas. A maioria delas foi erguida com material de qualidade duvidosa e se revelam inconsistentes, além de ter vida útil bem abaixo da média prevista para esse tipo de obra.  O desmazelo é tamanho que o governo petista se exime das responsabilidades pelo zelo com a coisa pública, numa demonstração clara de improbidade administrativa. Não cabe apenas às empresas que tocaram esses serviços a culpa pela falta de manutenção dessas obras, mas aos engenheiros da Prefeitura e também à própria gestora municipal, que deve ser responsabilizada por todas as falhas possíveis que surjam após a construção de tod

Novo terminal fluvial continua sendo usado indevidamente

Em julho deste ano, o blog Quarto Poder denunciou o uso indevido do novo terminal hidroviário, que está sendo construído no bairro da Prainha, por empresas privadas de transporte de cargas. Quase três meses depois, a área destinada ao futuro porto fluvial de Santarém permanece sem fiscalização e servindo unicamente aos interesses de firmas particulares que se aproveitam da leniência e omissão do governo municipal com a coisa pública para continuar operando no porto ainda inacabado e sem previsão de ficar pronto para atender à população santarena. A prefeita Maria do Carmo Martins, questionada pelo QP, reconhece que não há, nem por parte da Prefeitura e muito menos pela construtora Mello de Azevedo, responsável pela obra, nenhum tipo de fiscalização no sentido de coibir a utilização ilegal daquele espaço público pelas transportadoras. Já é possível notar nos arredores do terminal, alguns danos no asfalto das ruas de acesso ao porto, causado pelo peso das carretas, além disso, o setor ad

Falta de organização compromete o Sairé

Aos poucos, um dos eventos culturais de maior destaque da região Oeste do Pará vai perdendo seu brilho natural. A falta de empenho do Poder Público em zelar pela valorização cultural de Santarém pode ser apontada como um dos principais motivos pela desorganização que tomou conta do Sairé, que acontece todos os anos, no mês de setembro, na vila de Alter do Chão. A festa está mais uma vez na iminência de não alcançar o sucesso esperado. A leniência do atual governo permitiu que a bagunça se generalizasse e provocasse um total descompasso no festival, que ano após ano padece com a falta de infraestrutura e organização. Para este ano, mais uma vez a Prefeitura deve levar nas coxas o a realização do evento. Na vila, a movimentação ainda é acanhada. Na praça central, as barracas começaram a ser erguidas pelos comunitários. Mas ainda falta muita coisa até que todo o ambiente fique devidamente caracterizado com as cores do festival. A comunidade aguarda pela ajuda do Poder Público que só

Ruas no Aeroporto e Esperança seguem interditadas

Os moradores das avenidas Marajoara e Frei Vicente, nos bairros Esperança e Aeroporto Velho, decidiram protestar contra o descaso do governo municipal. Essas duas vias são consideradas de grande fluxo de veículos, porém, estão em situação precárias e sem condições de trafegabilidade. Indignadas com o cenário de abandono nestas duas ruas, as pessoas interditaram os pontos mais críticos, impossibilitando a passagem de carros e motos. Chama a atenção o fato de se tratar de duas vias recém-asfaltadas pela Prefeitura. Ambas estão com seu leito totalmente danificado. Devido à péssima qualidade de material usado nos trabalhos de drenagem e pavimentação asfáltica, o tempo de vida útil das vias asfaltadas pelo atual governo é curtíssimo. Desde o ano passado que os moradores desses dois bairros solicitam à Secretaria de Infraestrutura a recuperação dos trechos comprometidos, porém, até hoje, nada foi feito para amenizar o drama vivido pelas pessoas. Na frente das residências, os enormes bur

Dom Frederico interditada

Os moradores da avenida Dom Frederico interditaram parta daquela via em protesto contra o descaso da Prefeitura de Santarém. Nas proximidades da escola municipal São José Operário, os comunitários colocaram pneus velhos, pedaços de madeira, pedra e galhos de árvores, impedindo o tráfego de veículos nos dois lados da pista. A situação daquela via é deplorável.

Cheia do rio Tapajós ameaça cais na vila Arigó

No ano passado, quando surgiu a primeira rachadura no cais de arrimo da Vila Arigó, comerciantes e moradores da área denunciaram na imprensa sua preocupação com o avanço das águas do rio Tapajós caso a Prefeitura não providenciasse a recuperação imediata do muro de contenção para evitar maiores danos à estrutura do local. Apesar de ter sido alertado por diversas vezes, o governo municipal negligenciou e permitiu que a orla daquela vila fosse tomada por enormes e ameaçadores buracos. Hoje, a situação é bem mais preocupante.  As crateras que surgiram no local estão cheias de água, formando imensas lagoas. As rachaduras que eram pequenas na época dos primeiros alertas feitos pelos moradores avançaram sobre a orla, seguindo em direção aos estabelecimentos comerciais, oferecendo riscos aos comerciantes. O único serviço feito pela PMS foi um cercado de madeira, isolando os buracos, proibindo o acesso dos pedestres e o tráfego de veículos. E nada mais! Com a cheia do rio, há grandes possibi