Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Desmate na Amazônia

Pará lidera desmatamento na Amazônia

Em junho de 2013, o desmatamento na Amazônia Legal aumentou 437% em relação ao mesmo período no ano passado. As informações pertencem ao Boletim do Desmatamento (SAD), vinculado ao Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Ainda segundo o SAD, em junho de 2013 foram diagnosticados 184 quilômetros quadrados de área desmatada na Amazônia Legal. O monitoramento de 88% das áreas da Amazônia obteve mais êxito no período de junho de 2013, por conta da baixa cobertura de nuvens, segundo a publicação. Em junho do ano passado, porém, apenas 73% da região pôde ser monitorada. O estado do Pará é o que possui o maior nível de áreas desmatadas (42%) registrado em junho. Em segundo lugar, está o Amazonas (32%), seguido pelos estados do Mato Grosso (18%) e Rondônia (5%). No período de agosto de 2012 a junho de 2013 equivaleu à 1.838 quilômetros quadrados e aumento de 103% em relação ao mesmo período (agosto de 2011 a junho de 2012), segundo o SAD.

Desmatamento na Amazônia atinge área de 175 km² entre março e abril

O desmatamento e a degradação de florestas na Amazônia atingiram uma área de quase 175 quilômetros quadrados (km²) nos meses de março e abril deste ano. O levantamento de alertas foi divulgado hoje (6) pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), responsável pelo Sistema de Detecção de Desmatamentos em Tempo Real, conhecido como Deter. No mesmo período de 2012, o sistema detectou desmatamento de 292 km² – quase o dobro da área identificada este ano. Mato Grosso continua liderando o ranking da derrubada de árvores na região, com 83,57 km² de devastação nos dois meses analisados - respondendo por 47% do total. Pelas informações do órgão, as áreas de alerta nos estados do Acre, do Amazonas, de Mato Grosso, do Pará, de Rondônia, de Roraima e de Tocantins foram identificadas mesmo com uma cobertura de nuvens em quase 50% do território investigado no período. Entre novembro e abril, período em que as chuvas são mais constantes na Amazônia, as imagens ficam relativamente comprome