Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo EUA

Somos todos vigiados pelo governo americano

Os computadores foram criados para espionar. Um dos primeiros foi criado em 1943, no Reino Unido, para que os Aliados pudessem decifrar mais rapidamente as mensagens nazistas. A internet foi criada para guerrear. Militares americanos desenvolveram nos anos 1960 o conceito da rede de comunicações sem centro, que os soviéticos não conseguiriam desativar, mesmo com um ataque devastador. Hoje, essas duas tecnologias mantêm-se entre as principais armas dos serviços de inteligência do governo dos Estados Unidos. Nos últimos anos, sem nazistas nem soviéticos para enfrentar, as autoridades empurraram o papel de inimigo para outro alvo: o cidadão comum, nos Estados Unidos e em outros países – inclusive no Brasil. “Estamos totalmente desprotegidos”, diz o engenheiro Marcelo Zuffo, coordenador do Centro Interdisciplinar de Tecnologias Interativas da Universidade de São Paulo. “A única saída, neste momento, seria parar de usar a internet.” Os detalhes são revelados desde o início de junho, quando

Brasil quer explicações aos EUA sobre espionagem

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, se pronunciou durante coletiva na tarde deste domingo (7), em Paraty, no Rio, sobre o Brasil ser alvo da vigilância do governo dos EUA. O jornal "O Globo" teve acesso a dados coletados por Edward Snowden , ex-técnico da CIA que denunciou um gigantesco esquema de espionagem liderado pela Agência Nacional de Segurança dos EUA. Patriota disse que o governo brasileiro recebeu com grave preocupação a notícia de que a comunicação eletrônica dos brasileiros era alvo de espionagem dos norte-americanos. O ministro disse que o governo solicitará esclarecimento a Washington e ao embaixador norte-americano no Brasil. "O governo brasileiro promoverá no âmbito da União Internacional de Telecomunicações (UIT) em Genebra, o aperfeiçoamento de regras multilaterais sobre segurança das telecomunicações. Além disso, o Brasil lançará nas Nações Unidas iniciativas com o objetivo de proibir abusos e impedir a invasão da privacidade dos usu