Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Greve dos rodoviários em Santarém

Opinião: Greve nos transportes urbanos, ameaça aos usuários

Por: Padre Edilberto Sena* Quem deve resolver as questões trabalhistas e salários são os patrões e os trabalhadores dos ônibus da cidade de Santarém. Mas quem tem o dever de garantir o serviço de transporte coletivo é a Prefeitura, afinal é um serviço público concedido pelo Poder Público à empresas particulares. Daí que, o papel do prefeito é intervir no dissídio entre patrões e empregados em favor dos usuários, sem necessariamente chegar com pseudo solução de declarar ilegal a greve. Assim, o assessor jurídico toma partido dos patrões e não dos usuários. Uma comparação de duas cidades mostra como Santarém é atrasada. João Pessoa, na Paraíba, têm 675 mil habitantes, e Santarém, cerca de 300 mil moradores fixos. Em João Pessoa circulam 212 ônibus, em Santarém, menos de 100; em João Pessoa a Prefeitura decretou passe livre para todos os estudantes; em Santarém, eles ainda brigam para manter a meia-passagem. A tarifa de ônibus em João Pessoa, neste ano, aumentou para 2 reais e 30 centa

Empresas devem manter 30% dos ônibus nas ruas, determina juiz

O juiz Everaldo Pantoja e Silva, titular da 8ª Vara Cível do Fórum da Comarca de Santarém, deferiu liminar, determinando que as empresas de ônibus cumpram a obrigação legal de manter pelo menos 30% do serviço, cumprindo o itinerário e horário de circulação, inclusive o noturno.  O juiz também arbitrou multa diária de R$ 10.000,00 (Dez Mil Reais) por empresa que descumprir a decisão. A SMT, diante da liminar expedida, está notificando todas as empresas permissionárias, estabelecendo a quantidade de veículos por linha, a ser mantida em circulação.  Fonte: PMS/Coordenadoria de comunicação

Prefeitura de Santarém define ações diante da greve dos rodoviários

O prefeito Alexandre Von, esteve reunido nesta segunda, 13, com a Secretária Municipal de Mobilidade e Trânsito, Heloísa Almeida; o Procurador Jurídico do Município, José Maria Lima; o Procurador Jurídico da SMT, André Lisboa e técnicos daquela Secretaria. O objetivo da reunião, definir ações diante da greve dos rodoviários.  Foram definidas as seguintes providências: * A prefeitura Municipal de Santarém, solicitou à justiça, em caráter liminar, que seja garantido o percentual mínimo de 30% da frota em circulação. * Táxis estão autorizados a fazer a modalidade taxi-lotação, cobrando R$ 1.90 dentro do trajeto feito pelos ônibus. Vans, ônibus e micro-ônibus, estão sendo autorizados também, mediante vistoria, para prestarem serviço de lotação, enquanto durar a greve. O credenciamento em ambos os casos, está sendo feito na sede da Secretaria Municipal de Mobilidade e Trânsito. * A Polícia Militar foi acionada, para salvaguardar a ordem pública, com policiamento nas ruas e nos locais

Começa greve dos rodoviários em Santarém

O blog Quarto Poder conforme antecipou , na manhã da última sexta-feira (10), a greve de motoristas e cobradores começou à meia-noite desta segunda-feira (13). Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte, apenas 30% da frota está circulando pelas ruas de Santarém (PA), conforme determina a lei.  Os rodoviários exigem aumento de  16%, acréscimo no abono salarial de R$70,00 para R$ 120,00 e melhores condições de trabalho e segurança para motoristas e cobradores dentro dos ônibus. A greve é por tempo indeterminado. O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Washington do Vale também informou por telefone que já enviou ofício duas vezes para a Prefeitura pedindo um posicionamento sobre a decisão de greve, mas as negociações entre poder público, empresários e representantes dos trabalhadores do transporte coletivo, não tiveram retorno. A Secretaria de Mobilidade e Trânsito (SMT) liberou a circulação de transportes alternativos como: vans, táxis e microônibus na mod

Greve de motoristas e cobradores em Santarém começa na segunda

Diante do impasse entre patrões e empregados, o Sindicato dos Condutores Rodoviários de Santarém decidiu deflagrar grave geral a partir da meia-noite do próximo domingo. Os rodoviários trabalham insatisfeitos com a classe patronal e exigem aumento de 16% mais R$ 120,00 de abono na cesta básica. No ano passado, os trabalhadores conseguiram apenas 5% e R$ 60 de abono, valores percentuais que estão defasados, segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Santarém, Osvaldo Mota. De acordo com ele, os donos das empresas de ônibus só aceitam conversar com os empregados depois que a Prefeitura conceder o reajuste da tarifa. Osvaldo diz, no entanto, que a questão da tarifa não é problema do trabalhador e que o sindicato vai continuar reivindicando os direitos da classe. Washington do Vale, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte (Setrans), justifica que a classe patronal não tem como conceder o aumento de salário dos trabalhadores, enquanto não houver o reajuste da tarifa