Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo HRBA

Hospital Regional do Baixo Amazonas promove campanha de doação de sangue

O Comitê Transfusional do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) promove nesta quinta-feira (2), a campanha " O oxigênio que corre nas suas veias pode salvar vidas”. O objetivo é reforçar o estoque da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa), em Santarém, no oeste do Pará. O tema deste ano faz referência ao momento de pandemia, onde muitas pessoas sentiram a importância do oxigênio para nos manter vivos. “A hemoglobina, que é uma proteína encontrada em um componente de nosso sangue, é responsável por transportar o oxigênio do nosso pulmão para o restante do corpo, o que nos mantem vivos, respirando”, explica a enfermeira da Agência Transfusional do HRBA, Paula Maia. A campanha será realizada nesta quinta-feira (2/12) das 7h30 às 16h, na Sala do Centro de Estudos e Pesquisa (CEP do HRBA). Colaboradores, acompanhantes de pacientes e demais usuários podem participar. As doações também podem ser feitas o ano todo nas dependências do Hemopa, de segunda a sexta-

Uepa e HRBA lançam edital para Residência Multiprofissional

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) e o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) lançaram, nesta quinta-feira (14), o edital do Processo Seletivo Simplificado para o preenchimento imediato de vagas no Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia do Baixo Amazonas. Profissionais das áreas de Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional podem participar. As inscrições devem ser realizadas exclusivamente via internet (no endereço eletrônico www2.uepa.br/psremus2019-2), de 15 a 18 deste mês de março. “A população do Oeste do Pará será a maior beneficiada, pois esse programa vai ser importante para a formação de profissionais qualificados na área de atenção ao câncer”, afirma a coordenadora do programa de residência da Uepa, Nicole Pontes. Os candidatos devem ter curso de graduação em Instituições de Ensino Superior reconhecidos pelo Ministério da Educação, ou diploma revalidado por Universidade Pública e brasileira de acordo com legislaçã

HRBA deve receber mais de 1.200 estagiários até dezembro‏

Referência em ensino e pesquisa na Região Norte do Brasil, o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém (PA), atrai o interesse de centenas de universitários do município, que desejam realizar o estágio obrigatório na unidade. As integrações acadêmicas – palestras de orientação em que são repassadas as normas e rotinas do hospital –, promovidas pela Diretoria de Ensino e Pesquisa, tiveram a participação de 1.229 estudantes. Foram seis eventos em fevereiro e um em agosto, realizado nesta quinta-feira, 11/8, no auditório do Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes). A estudante de Enfermagem Aline Martins, de 27 anos, escolheu estagiar no HRBA por ser “um hospital modelo e, além da qualidade no ensino, os colaboradores tratam todo mundo muito bem. É muito importante aproveitar esse tempo para aprender novas práticas, como a de segurança do paciente”, diz Aline. O Hospital Regional oferece vagas em estágio para 14 cursos diferentes. Em 2015, mais de 1.700 estagiários

Hospital Regional de Santarém realiza captação de órgãos‏

A doação de órgãos e tecidos no Brasil ainda enfrenta diversas barreiras, que vão desde o desconhecimento do público doador até o funcionamento do processo de captação, por parte da família. O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém, está habilitado a realizar captações de órgãos, desde 2012. No entanto, até o momento, ainda é baixo o número de doadores. Até 2015, quase 70 notificações de possíveis doadores foram realizadas, mas apenas oito se concretizaram. No sábado, 27/02, foi realizada a primeira captação do ano. O doador W.P., de 19 anos, teve morte encefálica. Para o pai, a tristeza causada pela perda do filho pode ser amenizada pela alegria proporcionada às pessoas que receberam os órgãos. “Para mim é um gesto de solidariedade, podendo salvar a vida de outras pessoas. Eu decidi, junto com a minha esposa, a doar os órgãos porque é um ato de amor. Espero poder receber um abraço dessas pessoas que foram agraciadas”, conta Paulo Pinto. A diretora técnica do HRBA,

Começa ano letivo para crianças em tratamento no HRBA

O ano letivo de 2016  começa na tarde desta segunda-feira (22) para dois pacientes que realizam tratamento de longa permanência no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). L. S., de cinco anos, e E. S., de sete anos, estão matriculados na Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes e cursam, respectivamente, o 1º e o 3º ano do ensino fundamental. Eles recebem, no HRBA, conteúdo equivalente ao repassado nas escolas. Todas as atividades pedagógicas que fazem parte do projeto educacional Escolarização Hospitalar são adaptadas às necessidades das crianças. O projeto iniciou em março de 2014 e possibilita que as crianças não tenham prejuízo educacional enquanto estão em tratamento, recebendo atendimento tanto da professora do ensino especial, como também da professora do ensino regular. Fonte: Ascom/HRBA

Deputado Nélio Aguiar critica gestão PRO SAÚDE no HRBA em Santarém

Após pedido de aprovação para moção de aplausos à atuação do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), em Santarém feito pela deputada estadual Tetê Santos (PSDB), o deputado Nélio Aguiar (DEM) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) nesta quarta-feira, 27, para dizer que, muito pelo contrário, que PRO SAÚDE, gestora do hospital não é digna de elogios. Ele disse que hoje a Pro Saúde, Organização Social (OS), que gerencia o HRBA está mais preocupada em investir em marketing do que nas ações em saúde pública. Segundo o parlamentar, o HRBA que recebe do Governo do Estado cerca de R$ 7,5 milhões por mês para fazer saúde pública de qualidade deixa muito a desejar na atenção à saúde da população da região. “Tem uma paciente diagnosticada com câncer de mama que aguarda há quase um mês para iniciar tratamento no HRBA, mas não consegue internar para realizar sua cirurgia, inclusive a família, que vive com muita dificuldade, já começou a se mobilizar para conse