Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Morte no campo

Pará, onde a terra é poder

Por: Fabíola Ortiz* Sob o sol abrasador e a umidade do clima amazônico, Waldemar dos Santos, de 60 anos, cuida da horta comunitária de camponeses sem terra no Estado do Pará, à espera de que a reforma agrária lhe proporcione uma vida melhor. “Meu sonho é um terreninho. Nosso desejo é acabar com a fome neste país, que está caindo montanha abaixo pela necessidade”, disse ao Terramérica o camponês natural da Bahia, que ainda criança, para fugir da seca, emigrou para o Pará. Sua família é uma das 280 que desde 8 de agosto de 2010 vivem no acampamento que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) batizou de Frei Henri des Roziers, em homenagem ao padre dominicano de 82 anos que, como advogado da Comissão Pastoral da Terra, continua defendendo os direitos humanos na região. Às margens da rodovia federal BR-155, a cerca de cem quilômetros da cidade de Marabá, estes camponeses ocupam a propriedade Fazendinha, uma área com mais de 400 hectares sobre a qual pesam denúncias de ter s

Justiça Federal vai julgar caso da morte de extrativistas no Pará

Cabe à Justiça Federal do Pará julgar o caso da morte de José Claudio Ribeiro da Silva e sua esposa Maria do Espírito Santo, casal de extrativistas assassinado no mês de maio deste ano durante uma emboscada no assentamento Praialta Piranheira, em Nova Ipixuna, no sudeste do Pará. A decisão de que a competência é da Justiça Federal paraense foi do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. Os três suspeitos do crime permanecem presos em caráter preventivo em Marabá. O assassinato foi motivado por uma disputa de terras do assentamento. O Ministério Público Federal no Pará pediu que o julgamento do caso fosse realizado na esfera federal.

Assassinos de casal extrativista presos pela polícia

A Polícia Civil apresentou na tarde deste domingo (18), os irmãos José Rodrigues Moreira e Lindonjohnson Silva Rocha, acusados de serem mandante e executor da morte do casal de extrativistas, José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo Silva, crime ocorrido no dia 24 de maio deste ano. Eles foram presos na manhã de hoje, no município de Novo Repartimento, no sudeste paraense. Os policiais apreenderam em poder dos acusados três revólveres calibre 38 e uma espingarda. Os irmãos estavam escondidos numa área de mata fechada, a 52 quilômetros de Novo Repartimento. Após quatro meses de investigações, as polícias conseguiram localizar e prender os assassinos do casal de extrativista. A prisão se deu por meio de uma mega operação, que envolveu homens das polícias Militar e Civil. A dupla foi trazida para Belém pelo helicóptero do Sistema de Segurança Pública, sob forte escolta policial. O delegado adjunto da PC, Rilmar Firmino explicou, durante a apresentação dos acusados à imp

Justiça rejeita recurso e manda prender fazendeiro condenado pela morte de Dorothy Stang

A 1ª Câmara Criminal Isolada do Tribunal de Justiça do Pará negou nesta terça-feira (6) o recurso apresentado pelo fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, condenado a 30 anos de prisão pelo assassinato da missionária norte-americana Dorothy Stang, morta em 2005, com seis tiros. Considerado mandante do crime, Galvão tentava anular a sentença proferida pela 2ª Vara do Tribunal do Júri de Belém (PA), em abril de 2010. Além de rejeitar o apelo do fazendeiro e manter a condenação, os juízes aprovaram, por unanimidade, o pedido da relatora da apelação, a juíza convocada Nadja Nara Cobra, para a prisão preventiva de Galvão. Condenado a cumprir a pena inicialmente em regime fechado, Galvão obteve um habeas corpus que lhe permitiu recorrer da sentença em liberdade provisória, sendo o único dos cinco acusados pelo assassinato da missionária a continuar solto. O fazendeiro sempre negou qualquer participação no crime. Galvão ainda pode recorrer da decisão no Superior Tribunal de Just

Polícia conclui investigação sobre morte de casal de extrativistas no Pará

O posseiro de terras José Rodrigues Moreira é o principal suspeito de mandar matar o casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo, crime ocorrido no dia 24 de maio deste ano, no assentamento Praialta Piranheira, localizado no município de Nova Ipixuna, no sudeste paraense. O inquérito policial foi concluído e será apresentado à Justiça do Pará nesta quarta-feira (20). De acordo com as investigações da polícia, José Rodrigues era proprietário de terras no assentamento onde morava o casal. Ele teria encomendado a morte dos extrativistas a dois homens. Ainda de acordo com as investigações policiais, Zé Rodrigues chegou à região no ano passado e logo já se autodenominava dono de uma extensa área de terras medindo cerca de 79 hectares. Zé Rodrigues por várias vezes foi denunciado por José Cláudio. O extrativista acusava-o de incendiar casas de pequenos agricultores e de ter tomado posse de terras de forma irregular. José Rodrigues é considerado for

Morte no campo: Senadores visitam áreas de conflito na Amazônia

A comissão externa do Senado formada para acompanhar as investigações dos assassinatos de agricultores que lutavam contra a extração ilegal da madeira na Amazônia chega hoje (6) a Porto Velho, de onde segue para Extrema, distrito localizado a 356 quilômetros da capital rondoniense. Ainda de manhã, os parlamentares têm encontro com trabalhadores rurais e autoridades locais. Além da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Pedro Tasques (PDT-MT) e Valdir Raupp (PMDB-RO), fazem parte da comitiva o secretário de Produção Rural do Amazonas, Eron Bezerra, e representantes da Comissão Pastoral da Terra, Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público Federal. A comitiva, que retorna a Brasília ainda hoje (6), pretende visitar Nova Ipixuna, no sudeste do Pará, onde foram assassinados Eremilton Pereira dos Santos e o casal de agricultores José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo. Na região, em Eldorado dos Carajás, também foi morto na