Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo PAC Uruará

'A Margem' - documentário vencedor do Festival de Vídeo da FIT

Em 2008, quando foram iniciadas as obras de construção do conjunto habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Porto dos Milagres, no bairro Uruará, em Santarém, no oeste do Pará, durante a gestão da ex-prefeita Maria do Carmo Martins, as famílias que residiam em palafitas nas áreas alagadiças daquela localidade, acreditaram que o projeto traria qualidade de vida para todos. Infelizmente, não trouxe. As obras inacabadas trouxeram apenas dissabor àquelas pessoas carentes, que ainda hoje esperam realizar o sonho da casa própria. Cinco anos após o início dos trabalhos do malfadado conjunto do PAC/Uruará, o cenário é desolador. Nada do que foi prometido se cumpriu. As famílias continuam morando em condições precárias e sem nenhuma perspectiva de melhoria de vida. Durante algum tempo, desde o início das obras, o fotógrafo Carlos Matos Bandeira esteve no local registrando toda movimentação, já que se tratava da primeira obra do PAC em Santarém. Vislumbrava-se, ali, uma

PAC Uruará: exemplo do descaso e abandono

Durante os últimos anos da administração da ex-prefeita Maria do Carmo Martins Lima, este blog produziu inúmeras reportagens sobre as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O principal foco das matérias feitas por este blog sempre foi a qualidade das obras e as volumosas somas de recursos públicos aplicadas na construção dos empreendimentos que até hoje não foram concluídos. Dez meses depois do fim do governo petista, essas obras permanecem inconclusas e acentuam o descaso de uma gestão que negligenciou no trato com a coisa pública e deixou centenas de pessoas em condições pior do que aquela em que se encontravam quando o PAC foi iniciado em Santarém.  O exemplo mais gritante da incompetência da gestão passada pode ser observado no conjunto erguido no Porto dos Milagres, no bairro Uruará, onde lá as moradias foram construídas de maneira inadequada, sem nenhum tipo de conforto e com material de qualidade duvidosa. O QP voltou ao local e constatou que as pessoas que dev

Minha Casa, Minha Vida: governo faz publicidade exagerada

Nem bem começou a executar o programa Minha Casa, Minha Vida no município, a Prefeitura de Santarém deu início à publicidade institucional acentuando na TV os benefícios que o projeto habitacional, bancado com recursos públicos federais, trará à população. O governo petista não informou, no entanto, que não concluirá o programa na sua totalidade durante o mandato da prefeita Maria do Carmo, principalmente levando em conta a capacidade deste governo em não conseguir concluir projetos habitacionais no município. O PAC Uruará é um exemplo gritante da falta de competência do PT em Santarém na execução de moradia para a população carente.
Publicidade demais* Nos últimos dias, a Prefeitura de Santarém deu ênfase à divulgação publicitária institucional do trabalho de construção de casas populares erguidas no Porto dos Milagres, no bairro Uruará. Com a promessa de melhorar a qualidade de vida das pessoas que residem em condição precária naquela área da cidade, o governo do PT abusou do uso das falas de pessoas humildes para tentar mostrar que essa obra irá resolver os problemas dessas famílias, sem atentar para um detalhe gritante que mostra sua incompetência diante de projetos de moradias no município.  Ao lado de onde agora a PMS ergue um novo conjunto de casas populares, estão as casas inacabadas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que desde quando foram iniciadas aguardam para serem concluídas e, de fato, entregue aos seus verdadeiros donos. Os imóveis estão ocupados ilegalmente desde o dia 11 de setembro do ano passado, sem que a prefeita Maria do Carmo Martins cumpra a promessa feita em 2008, quando ini

Audiência pública debaterá obras do PAC

Ainda este mês, será realizada uma audiência pública para tratar exclusivamente das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em Santarém. Dois empreendimentos tocados com recursos públicos federais no município trouxeram dissabores à população, sobretudo àquelas pessoas que seriam contempladas com moradias populares. O sonho da casa própria tornou-se um pesadelo para dezenas de pessoas devido à leniência do governo municipal. Recentemente, técnicos da Caixa Econômica Federal, de Brasília, e do Ministério das Cidades estiveram no município para fazer uma avaliação do PAC Santarém. Ciceroneados pela prefeita Maria do Carmo Martins, os técnicos visitaram as obras do PAC no Uruará e Mapiri. E, apesar de os serviços estarem em ritmo lento ou com parte do projeto ainda por ser executada, a comitiva ficou satisfeita com o que viu, segundo informou um membro do governo municipal ao QP. De acordo com a prefeita Maria do Carmo, existe uma determinação da presidente Dilma Rousse

Invasão às casas do PAC completa um ano

Neste domingo (11), completa um ano desde que alguns imóveis do malfadado conjunto habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na área do Porto dos Milagres, no bairro Uruará, foram invadidos. Revoltadas com a leniência da Prefeitura que ainda não concluiu as casas, as famílias decidiram tomar posse das residências e lá estão morando precariamente até hoje.  Parte das casas foi descaracterizada e novos cômodos foram construídos para dar mais ‘comodidade’ aos seus moradores. Eles afirmam que não pretendem sair até que o governo municipal conclua o conjunto e entregue a cada família a casa prometida quando do início da obra.

Casas de madeiras são erguidas no conjunto do PAC

E lá se vão quase três anos desde que a Prefeitura de Santarém deu início à construção do conjunto habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Porto dos Milagres, no bairro Uruará, na grande área da Prainha. A obra, que vislumbrava garantir melhorias de vida às famílias carentes que vivem em áreas alagadas, foi abandonada pelo Poder Público antes mesmo de ser concluída na sua totalidade.  Nem metade do que previa o projeto original foi feito. As casas foram erguidas em padrões arquitetônicos duvidosos e não oferecem segurança aos seus futuros proprietários, pois sua estrutura é completamente precária.  No local é possível constatar o abandono do empreendimento que já consumiu volumosas somas de dinheiro do erário público. No conjunto do PAC não tem energia e nem água encanada. O asfalto e a rede de esgoto também são outros itens ausentes neste projeto mal feito pela construtora Mello de Azevedo. Desde o dia 11 de setembro do ano passado, que os imóveis foram ocup

Governo Maria II: Minha Casa, Minha Vida, meu pesadelo

Quando o assunto é a construção de casas populares, o governo Maria mostra que não tem a menor competência para executar esses projetos. Primeiro foram as casas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no Porto dos Milagres, no bairro do Uruará. Lá se vão mais de três anos sem que a Prefeitura conclua aquele conjunto habitacional, que já abocanhou volumosas somas de recursos públicos e encontra-se ocupado irregularmente desde o dia 11 de setembro de 2010. Os imóveis foram mal feitos e não oferecem segurança aos moradores. As casas foram descaracterizadas pelos ocupantes, que vivem ali de forma inadequada. Alvorada - Depois, a prefeita iniciou a construção das casas no bairro Alvorada, destinadas às famílias carentes, que residem em áreas de riscos. No último dia 20 de junho, Maria fez o sorteio das casas aos futuros proprietários, sem antes concluir aquelas moradias. Não há uma data precisa de quando as famílias contempladas tomarão posse dos imóveis. Moaçara - Desde o

Prefeitura de Alenquer vai entregar 638 casas populares

Em Alenquer, o prefeito João Piloto está concluindo a construção de 638 casas populares a serem entregues às famílias carentes do município. Os serviços estão bastante adiantados, com o conjunto popular em fase final de acabamento. Todos os imóveis já foram erguidos, praças construídas e foi implantado o sistema de água e a expansão da energia elétrica. Um exemplo que deveria ser seguido pelos demais gestores da região. Em Santarém, apesar de a Prefeitura ter criado uma secretaria que consome vultosas somas do erário público, nenhum tijolo foi erguido na área destinada à implantação do programa Minha Casa, Minha Vida. Nem as casas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), no bairro do Uruará, a prefeita Maria do Carmo conseguiu concluir.