Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo conflito agrário

Situação de ameaçados no Pará é grave

Pelo menos 38 pessoas no sul e sudeste do Estado amanhecem o dia com a real sensação que pode ser o último. São pessoas marcadas para morrer, de acordo com a lista de ameaçados de morte feita pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) a partir de levantamentos realizados nos municípios paraenses.  São lideranças sindicais ou trabalhadores rurais que vivem sob ameaça constante e que passaram a ter mais receio em relação à própria vida depois do assassinato em 2011 do casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva, em Nova Ipixuna. Finalizado em agosto de 2012, o levantamento da CPT é o mais recente a respeito de ameaças de morte em consequência da luta pela posse da terra e mostra que a violência no campo ainda é palavra de ordem no lado de baixo do mapa do Pará. O assassinato de José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva é o capítulo mais recente do histórico de violência agrária no Pará. Nos próximos dias 3 e 4 de abril,

Assassinos de casal extrativista presos pela polícia

A Polícia Civil apresentou na tarde deste domingo (18), os irmãos José Rodrigues Moreira e Lindonjohnson Silva Rocha, acusados de serem mandante e executor da morte do casal de extrativistas, José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo Silva, crime ocorrido no dia 24 de maio deste ano. Eles foram presos na manhã de hoje, no município de Novo Repartimento, no sudeste paraense. Os policiais apreenderam em poder dos acusados três revólveres calibre 38 e uma espingarda. Os irmãos estavam escondidos numa área de mata fechada, a 52 quilômetros de Novo Repartimento. Após quatro meses de investigações, as polícias conseguiram localizar e prender os assassinos do casal de extrativista. A prisão se deu por meio de uma mega operação, que envolveu homens das polícias Militar e Civil. A dupla foi trazida para Belém pelo helicóptero do Sistema de Segurança Pública, sob forte escolta policial. O delegado adjunto da PC, Rilmar Firmino explicou, durante a apresentação dos acusados à imp

Delegado diz que Pará não é terra sem lei

Um dos principais cenários de conflitos agrários do país, o Pará foi palco no último mês de quatro novos casos de assassinatos de trabalhadores rurais. Em uma década, o estado registra 219 homicídios no campo, com apenas quatro condenações. Apesar das estatísticas, o diretor de Polícia do interior do estado, delegado Sílvio Cézar Batista, defendeu hoje (22) a atuação do governo local no enfrentamento da violência agrária. “Me preocupa a estigmatização do estado, parece que lá é uma terra sem lei, uma fronteira sem controle. E não é. O Pará tem buscado avançar, criar condições para que a pressão no campo diminua”, disse o delegado em audiência pública no Senado. Batista estava representando o secretário de Segurança Pública do Pará, Luiz Fernandes Rocha. Segundo Batista, o estado criou varas agrárias, colocou as polícias em campo e criou três delegacias especializadas em crimes no campo. No entanto, para o delegado, a responsabilidade não pode ser apenas do estado. “Criticar

Morte no campo: Senadores visitam áreas de conflito na Amazônia

A comissão externa do Senado formada para acompanhar as investigações dos assassinatos de agricultores que lutavam contra a extração ilegal da madeira na Amazônia chega hoje (6) a Porto Velho, de onde segue para Extrema, distrito localizado a 356 quilômetros da capital rondoniense. Ainda de manhã, os parlamentares têm encontro com trabalhadores rurais e autoridades locais. Além da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e dos senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Pedro Tasques (PDT-MT) e Valdir Raupp (PMDB-RO), fazem parte da comitiva o secretário de Produção Rural do Amazonas, Eron Bezerra, e representantes da Comissão Pastoral da Terra, Ordem dos Advogados do Brasil e do Ministério Público Federal. A comitiva, que retorna a Brasília ainda hoje (6), pretende visitar Nova Ipixuna, no sudeste do Pará, onde foram assassinados Eremilton Pereira dos Santos e o casal de agricultores José Cláudio Ribeiro e Maria do Espírito Santo. Na região, em Eldorado dos Carajás, também foi morto na