Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo defesa civil

Defesa Civil faz vistoria emergencial nos bairros Uruará, Mapiri e Santo André em Santarém

A chuva intensa que caiu sobre o Município de Santarém, no oeste do Pará, durante toda a madrugada e manhã deste domingo (3) levou agentes da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) a fazer vistoria emergencial nos bairros Uruará, Mapiri e Santo André. No bairro do Mapiri, os agentes foram acionados por moradores da Rua Acácia Prateada com Rua Rosa França, em função do alagamento de algumas residências e vias por causa das obras do PAC, com aterramento da área sem que fosse providenciado um canal para escoamento das águas pluviais. O mesmo ocorrendo na Rua Beira Rio, no bairro Uaurá, também em função do aterro das obras do PAC. No bairro Santo André, a vistoria foi feita nas casas 49 e 50, da Rua Uberlândia. Tais residência foram construídas em área de risco, e apesar de todos os alertas emitidos pela Defesa Civil, as famílias insistem em continuar morando naquela área que costuma alagar em dias de chuva intensa. As observações sobre os danos nas ruas vistoriadas foram comuni

Defesa Civil alerta para fenômeno das terras caídas

Um estudo realizado pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) apontou a área ribeirinha de Fátima de Urucurituba como imprópria para ocupação permanente. A comunidade sofre com o fenômeno das terras caídas. De acordo com o estudo, nos dois últimos anos, a situação agravou-se, resultando em perdas materiais significativas para os moradores do local, como a destruição da escola local e algumas moradias. A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil informou que está monitorando a situação dos moradores. De acordo com o estudo, a área constitui uma barra lateral – ou dique – que separa o rio Amazonas do Lago Pacoval, próximo à confluência com o rio Tapajós. O local é via de passagem de embarcações de grande porte que geram turbulência das águas e ondas irregulares, denominadas “banzeiros”. “A barra que separa o rio da lagoa é formada predominantemente por areia fina e lama (silte e argila) depositadas durante os períodos de cheia. Durante a vazante, principalmente entre setembro e novembro,

Santarém terá alerta de enchente a partir de 2014

Por: Martha Costa* Após um a semana de treinamento sobre os “Riscos Geológicos e Hidrológicos na Amazônia”, iniciado no dia 25 de fevereiro e encerrado hoje (1), os técnicos de defesa civil dos municípios de Belterra, Itaituba, Porto de Moz, Santarém, Prainha, Oriximiná, Terra Santa, Alenquer, Jacareacanga, Almeirim, Mojuí dos Campos, Juruti, Faro, Curuá e Aveiro terão a partir deste ano novas ferramentas para identificarem possíveis riscos de catástrofes naturais.  Uma das ferramentas disponibilizadas aos técnicos será a implantação de um sistema de alerta de enchentes que, segundo o engenheiro hidrólogo David Lopes, ajudará a prevenir catástrofes. “Essa é uma demanda da Defesa Civil Estadual, e a partir deste monitoramento hidrográfico é possível saber até com sete dias de antecedência a que nível o rio vai chegar e de posse dessas informações definir como será realizada a ação de prevenção”, declarou. A ferramenta, que no Pará só existe em Marabá, tem prazo para ser instalada

Defesa Civil do Estado começa a capacitar municípios do interior

A Defesa Civil Estadual começa a visitar nesta quarta-feira (9) as diferentes mesorregiões do Pará para iniciar a capacitação das equipes municipais no atendimento durante o período do inverno amazônico, quando enchentes e enxurradas costumam causar muitos danos à população. Marajó, Baixo Amazonas e o sul do Estado são as primeiras regiões a receberem os técnicos. Segundo o tenente-coronel José Augusto Almeida, coordenador adjunto da Defesa Civil do Estado, essa etapa do trabalho é importante porque, a partir de agora, novos gestores estão assumindo as prefeituras. Além disso, recentemente, houve mudanças no processo de decretação da situação de emergência ou de calamidade pública, quando os municípios reconhecem ter esgotado todas as possibilidades de socorro a vítimas de desastres – em caso das enchentes e enxurradas, por exemplo – e pedem auxílio aos Estados e à União.

Famílias resistem em deixar áreas de risco em Santarém

O período chuvoso em Santarém começou e promete ser rigoroso nos próximos meses. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para a região não é das melhores e o volume de água deve ser maior comparado ao mesmo período do ano passado. Em Santarém, na noite desta quinta-feira (5), a chuva que caiu causou pequenos estragos em alguns pontos da cidade e deixou em alerta a Defesa Civil. Diversas ruas foram alagadas e a enxurrada invadiu alguns imóveis, principalmente na periferia e em áreas consideradas de risco. Quem mora em locais de encostas ou em ruas sem nenhum tipo de saneamento sofre mais com a chegada do inverno, pois há perigo de deslizamento e alagamentos. Na primeira forte chuva que caiu sobre a cidade felizmente não foi registrado nenhum incidente grave, apenas transtornos aos moradores, que tiveram que limpar suas casas por causa da lama. Foi o que aconteceu com seu Naldo Silva, morador de uma das áreas mais carentes de infraestrutura de Santarém. A casa dele, na