Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo denúncia

Orlando Silva: STF abre inquérito para investigar ministro

Nesta terça-feira (25), o Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da ministra Cármen Lúcia, determinou a abertura de um inquérito para apurar as denúncias contra o ministro do Esporte, Orlando Silva, acusado de suposto envolvimento em desvio de recursos públicos destinado ao programa Segundo Tempo. A ministra também pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que, em 48 horas, remeta ao STF, o inquérito a respeito de possíveis irregularidades cometidas pelo atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, quando este titular da pasta do Esporte. O objetivo de Cármen Lúcia é averiguar se existe alguma ligação entre os dois inquéritos antes de tomar a decisão se as investigações devem tramitar em conjunto, conforme pediu o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. A defesa de Orlando Silva afirma que não há provas contra o ministro. Os pedidos de investigação sobre Orlando Silva e de remessa do inquérito sobre Agnelo Queiroz do STJ para o Supremo foram feitos pelo pr

MPF investiga aplicação de recursos públicos em obras de infraestrutura em Santarém

A rua Magnólia já deveria ter sido asfaltada, mas obra nem começou ainda Está sob a responsabilidade do Procurador da República, Dr. Cláudio Henrique Dias, do Ministério Público Federal (MPF), a investigação sobre o uso de recursos públicos destinados a diversas obras executadas pela Prefeitura de Santarém. O MPF pretende, entre outras coisas, esclarecer o destino de R$ 4.779.071,39 recebidos pelos cofres públicos municipais por meio de um convênio celebrado entre o governo Maria com o Ministério da Integração Nacional e a Secretaria Nacional de Defesa Civil, no dia 17 de setembro de 2009. A verba, oriunda do Tesouro Nacional, foi destinada a projetos de contenção das águas pluviais dos rios Amazonas e Tapajós (cais de arrimo); execução de serviços emergenciais de drenagem e pavimentação asfáltica de vias públicas de vários bairros do município. Pelo o que apurou o Quarto Poder, o que chamou a atenção do MPF foi o fato de a maioria das ruas contempladas com os recursos não ter ain

Bertollini causa transtornos a moradores

Um grupo de pessoas, que reside em uma área localizada nos arredores do terreno do Zoológico da FIT, no bairro da Matinha, luta na Justiça para garantir o seu direito de uso de uma rua que dá acesso às suas residências. Desde que comprou uma área localizada ao lado de uma madeireira, às margens da rodovia Santarém/Cuiabá (BR-163), a empresa Bertollini, tenta impedir o acesso dos moradores pela Alameda Alecrim, que divide os dois terrenos. Até um portão foi colocado pela Bertollini para não permitir que as pessoas utilizem aquela via pública. A Alameda Alecrim aparece no mapa de Santarém e já existe há vários anos. Agora, ela está sendo disputada na Justiça. A empresa não aceita que a via seja usada pela comunidade, que por sua vez, tenta garantir o seu direito constitucional de ir e vir. Homens armados também já foram colocados pela Bertolline para intimidar os moradores a não usar mais a alameda.

Alexandre Padilha virá a Santarém

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha virá ao município para inaugurar o segundo barco hospital de Santarém, que atua com o projeto Saúde da Família, atendendo famílias ribeirinhas da região do Tapajós. Na ocasião da visita do ministro, segundo informou a prefeita Maria do Carmo Martins ao blog Quarto Poder, nesta terça-feira (4), será assinado o protocolo que gerará o convênio para o início das obras, ainda este ano, do primeiro hospital materno infantil do Oeste do Pará. Explicações - Além dessa informação, a prefeita deu explicações sobre o caso que envolve a médica sanitarista Nástia Irina de Sousa Santos. Pela manhã, a médica denunciou à imprensa que fora chamada pelo setor de recursos humanos da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para assinar sua demissão. Nesta tarde, a prefeita afirmou que não houve nenhuma demissão e que a Dra. Nástia continuará sendo reaproveitada pela Prefeitura, porém, não mais na Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa), onde, sob sua coordenação

Ação e reação: Prefeitura demite médica que denunciou irregularidades em clínicas particulares

Após denunciar uma série de irregularidades em clínicas particulares de Santarém, durante uma inspeção da Divisão de Vigilância Sanitária, feita nos meses de agosto e setembro, a médica sanitarista Nástia Irina de Sousa Santos foi demitida pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), na manhã desta terça-feira (4). As retaliações contra a Dra. Nástia começaram tão logo ela entregou o relatório de inspeção sanitária feita nas clínicas e hospitais privados do município. A fiscalização da Divisa condenou as clínicas Albany, Santa Rosa de Lima, os hospitais Imaculada Conceição, João XXIII e Sagrada Família, além da Fundação Esperança. No relatório apresentado à Semsa, a médica sanitarista pediu a interdição desses estabelecimentos, pois eles apresentavam situações irregulares de higiene e colocavam em risco a vida de pacientes e funcionários. Desde que esses relatórios foram tornados públicos que a médica sofre retaliações, ameaças de mortes e intimidações. “O diretor de um desses hos

Prefeitura presta esclarecimentos

A próposito das informações divulgadas pelo QP sobre o resultado de uma inspeção da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa), que detetectou uma série de irregularidades em clínicas particulares de Santarém, a assessoria de comunicação da Prefeitura esclarece que o secretário de Saúde do município, Dr. Emanuel Silva recebeu somente dois relatórios da Divisa e que, de acordo com o código de saúde do município e lei federal, os responsáveis pelos estabelecimentos vistoriados já foram devidamente chamados e notificados pela Prefeitura.  A assessoria esclarece ainda que as clínicas têm prazo para apresentar defesa e também para adequação, conforme acompanhamento da Procuradoria Jurídica do Município. Entenda o caso: Exclusivo: clínicas sem condições de funcionamento Vigilância Sanitária detecta irregularidades em clínicas particulares

Exclusivo: clínicas sem condições de funcionamento

É ensurdecedor o silêncio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), diante da denúncia já tornada pública sobre a condição precária de clínicas particulares em Santarém. O Quarto Poder obteve com exclusividade cópias dos relatórios de inspeção sanitária que enumeram as condições impróprias desses estabelecimentos. Os documentos já estão em poder do Ministério Público Estadual (MPE). Conforme a conclusão dos técnicos da Divisão de Vigilância Sanitária (Divisa), os hospitais e clínicas vistoriadas apresentam “irregularidades gravíssimas que comprometem a qualidade do serviço e colocam em situação de risco grave e iminente a saúde dos pacientes e dos trabalhadores de saúde”. A conclusão dos técnicos da Divisa é bem clara quando diz que “com base nos dados técnicos apresentados, concluímos que os estabelecimentos não estão aptos a receber o alvará e a renovação da licença de funcionamento, até que as irregularidades graves apontadas estejam devidamente equacionadas”. As clínicas vis

Vigilância Sanitária detecta irregularidades em clínicas particulares

Já está em poder do Ministério Público Estadual (MPE), o relatório de inspeção sanitária feito pela Divisão de Vigilância Sanitária de Santarém (Divisa) e que apontou uma série de irregularidades em clínicas particulares do município. O trabalho de inspeção foi feito nos meses de agosto e setembro sob a orientação do MP. O objetivo era observar a condição sanitária desses estabelecimentos para possível concessão da licença sanitária. Segundo o laudo da Divisa, nenhuma das cinco clínicas particulares vistoriadas tem condição de continuar o atendimento hospitalar a pacientes, pois cometem falhas gritantes. Por exemplo, foram constatados uso de medicamento vencido, reaproveitamentos de materiais (luvas e seringas), falta de higiene em equipamentos e utensílios cirúrgicos, presença de insetos (baratas e ratos), falta de profissionais e estrutura imprópria para funcionamento de sala cirúrgica (em uma das ‘clínicas’, a Divisa observou que uma casa foi adaptada para funcionar como hospi

Terreno que será usado para o programa Minha Casa, Minha Vida vira depósito de lixo

No dia 5 de julho do ano passado, a Superintendência do Patrimônio da União (SPU) assinou o contrato de doação do terreno da Moaçara ao município de Santarém. A cláusula terceira do documento acentua que o imóvel foi destinado à construção de moradia para famílias carentes, através do programa Minha Casa, Minha Vida, e que o terreno encontrava-se livre e desembaraçado de qualquer ônus administrativo, judicial ou extrajudicial. Na cláusula seguinte, o contrato explicita que o município se compromete a administrar. Guardar, zelar, fiscalizar e controlar o imóvel doado, devendo conservá-lo, tomando as providências administrativas e judiciais para tal fim, assegurando que as intervenções que serão realizadas na área sejam aprovadas pelas autoridades competentes, respeitando os licenciamentos ambientais e urbanísticos.  Um ano após a assinatura do contrato de doação, eis que o imóvel está literalmente entregue às baratas, ratos e urubus. O desleixo com o patrimônio público é notório no go

Criança sofre ataque de cachorros em garimpo

Por: Mauro Torres/Itaituba* Um problema grave de comportamento está provocando transtornos na comunidade de água branca, na zona garimpeira de Itaituba, Oeste do Estado. O grande número de cachorros soltos na comunidade. Os ataques dos cães, principalmente a crianças, acontecem com freqüência. A denúncia foi feita por moradores da comunidade de Água Branca, a cerca de seiscentos quilômetros de Itaituba, na região da rodovia Transgarimpeira. O grande número de cães soltos nas ruas está espalhando medo entre as famílias. Segundo a denúncia, só um morador da comunidade mantém mais de 30 cachorros, mesmo sem ter condições de cuidar dos animais e mantê-los presos. Os animais soltos estão por todos os lados. Só em uma das imagens gravadas por um morador da comunidade, são mostrados 13 animais em um só lugar.

Investigações apuram envolvimento de militares em fraudes nas obras do PAC

No Correio de hoje Investigações revelam um novo braço de fraudes e irregularidades nas obras do Programa de Aceleração de Crescimento, o PAC: os Batalhões de Engenharia do Exército. A Procuradoria de Justiça Militar, o Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União apuram o envolvimento de militares no roubo de materiais de construção, favorecimento de empresas, direcionamento de licitações e atrasos. O Exército brasileiro tornou-se uma das grandes empreiteiras do PAC com participação em obras de relevância nacional, como rodovias, aeroportos e o Projeto da Transposição do Rio São Francisco. O orçamento verde-oliva é superior a R$ 2 bilhões e pelo menos 2,7 mil homens atuam nos canteiros. Uma das principais obras do PAC, a duplicação da BR 101, no Nordeste do país, foi dividida em seis lotes. Cinco estão nas mãos de empreiteiras, com fortes indícios de fraude, má execução e pagamento de propina, como aponta a Polícia Federal. O último lote é executado pelo 2º Batalhão

Um governo ou uma quadrilha?

Uma falsa médica prestava atendimento à população do município de Aveiro, segundo revelou o blogueiro Lúcio Costa neste sábado. De acordo com as informações publicadas no blog do Lúcio, a paraibana Ana Lúcia Florêncio da Silva Simões foi contratada pela Secretaria Municipal de Saúde apresentando documentos falsos, inclusive o registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). Ela já deixou a cidade tão logo tomou conhecimento de que sua farsa havia sido descoberta. Ana Lúcia pegou uma lancha e, de mala e cuia, rumou para Santarém. A falsa médica já responde processo na Justiça por crime de estelionato e exercício ilegal da medicina. É mais um episódio lamentável ocorrido neste município que tem servido de reduto para golpistas, falsários e criminosos inescrupulosos, travestidos, em alguns casos, de políticos, que se locupletam do erário público. Em Aveiro, a população é tratada com total vilipêndio pelos políticos que comandam aquela cidade. O atual governo tem um dado curioso:

Donos de barcos denunciam Arcon em Santarém

A Agência de Regulação de Serviço Público do Estado do Pará (Arcon) está sendo denunciada por empresários do ramo náutico por favorecimento a duas empresas que detêm a concessão para explorar a linha fluvial entre os municípios de Santarém e Oriximiná. A denúncia partiu do empresário Leandro Silva, que já teve vários pedidos indeferidos pelo órgão regulador para operar naquele trecho.  Segundo ele, o argumento da Arcon é sempre o mesmo, de que não há necessidade de novas empresas atuando neste trajeto. A pessoa pode até entrar nesta rota, mas em horário diferenciado ao das empresas que hoje se servem dessa linha.  O empresário informou que as empresas que pretendem operar na rota vão ingressar com um mandado de segurança na Justiça tentando furar esse bloqueio imposto pelo órgão estadual às demais embarcações. “Existe um protecionismo e uma atitude ilegal da Arcon, que não permite a livre concorrência, obrigando as pessoas a utilizarem apenas dois barcos para se locomover de uma cida

Comandante dos Bombeiros em Santarém contesta nota divulgada no 'Repórter 70'

Em contato por telefone, o comandante do Corpo de Bombeiros em Santarém, tenente-coronel Cláudio Fernando Tavernard Trindade, informou ao blog que as informações divulgadas pelo Repórter 70 , do jornal O Libera l , são inverídicas e caluniosas. Segundo ele, a empresa citada pelo jornal, a Salvernard – Salvamentos, Resgates e Treinamentos Ltda., de fato pertence à sua esposa, Cristina Trindade, que é pedagoga, porém, jamais se utilizou de sua função para determinar que seus subordinados ministrassem cursos em nome da empresa da mulher. Com 20 anos de serviços prestados à sociedade paraense, Tavernard informou ainda que durante toda sua vida militar jamais respondeu a processo administrativo por desvio de conduta ou outro ato que desabonasse sua imagem junto à corporação. Em Santarém, o tenente-coronel completa no próximo dia 4 de agosto, dois anos à frente do 4º Grupamento de Bombeiros Militar (4º GBM). “Não tenho poder para transferir nenhum militar. Isso é prerrogativa do co

Deu no Repórter 70

Maracutaia Comandante do Corpo de Bombeiros em Santarém, o tenente-coronel Cláudio Fernando Tavernard Trindade estaria usando bombeiros especialistas seus subordinados para ministrar palestras e cursos em Porto Trombetas, para a Mineração Rio do Norte, e em Juruti, para a Alcoa, beneficiando a empresa privada Salvernard – Salvamentos, Resgates e Treinamentos Ltda., pertencente à sua mulher, Cristina Trindade. A Salvernard estaria faturando alto utilizando a mão-de-obra dos bombeiros de Santarém em seus cursos. Transferência Como alguns bombeiros têm se recusado a viajar para Porto Trombetas, em Oriximiná e Juriti, negando-se a ministrar cursos para favorecer a empresa privada – deixando a população de Santarém desassistida – o tenente-coronel Tavernard tem ameaçado retaliar os insurgentes, sugerindo transferências para municípios distantes, como Itaituba, Novo Progresso e Jacareacanga. O descontentamento na tropa em Santarém é crescente.

Charles Guerreiro desmente cartolas do Pantera

Por telefone ao programa Patrulhão da Cidade , nesta terça-feira (28), o treinador Charles Guerreiro negou que tenha feito algum tipo de acordo com o São Raimundo para comandar o time no campeonato brasileiro da Série D. O Pantera estréia no dia 17 de julho, em Santarém. Segundo ele, até então, não foi feito nenhum contato com os cartolas como afirmou o presidente do clube, Rosinaldo Vale à imprensa santarena. Charles mostrou interesse em voltar a Santarém, porém, desde que as coisas sejam feitas de forma clara por parte dos dirigentes, o que não é acontece há muito tempo. Os mentirosos cartolas foram desmascarados pelo treinador, que ficou irritado com a forma como alguns diretores do clube estão usando seu nome. “Não fui procurado por ninguém!”, disparou o técnico. À imprensa, Rosinaldo afirmava que o treinador já estava contratado e que ainda não havia chegado por falta de vagas nos voos para Santarém. Tudo mentira! Leia também: A Pantera, os ratos e a ratoeira Calote à vis

Fotógrafos são barrados em escolas municipais

A Associação dos Fotógrafos Profissionais de Santarém está indignada com a forma como alguns diretores de escolas municipais estão tratando a classe. Nesta época do ano, por conta dos festejos juninos, pais de alunos que participam das danças contratam os fotógrafos para registrarem os passos dos filhos, porém, eles não conseguem desempenhar seu trabalho, pois estão sendo barrados pela direção dos educandários. Afirma a entidade que os diretores de escolas dizem que têm ordem expressas da Semed para não permitir a entrada dos fotógrafos, mesmo que eles paguem ingresso. A associação prepara uma nota de repúdio contra a Semed e os diretores de escolas públicas. No último dia 18, na escola Hilda Mota, o diretor Emilson Raimundo Martins, tentou expulsar um grupo de fotógrafos do interior do educandário, alegando que eles não tinham direito de permanecer na escola. Depois de muito bate-boca e de ameaçar chamar a polícia para colocar os profissionais para fora, o diretor voltou atrás

A Pantera, os ratos e a ratoeira

Marcos Santos Um advogado está sendo contatado por um grupo de jogadores do São Raimundo para tentar resolver a situação dos atletas com o clube. Se pelos próximos dias, os dirigentes não acertarem o pagamento dos salários atrasados e as indenizações, uma ação coletiva será movida contra o alvinegro santareno na Justiça do Trabalho.  Alguns atletas já estão retornando para suas cidades de origem, porém, eles deixaram uma procuração assinada para que seja constituído um advogado para acionar o clube judicialmente. Este é mais um capítulo da novela sórdida que envolve o clube da Silva Jardim, que desde a eliminação do time no campeonato estadual entrou em crise por arte e engenho de alguns dublês de cartolas. De lá para cá, os diretores entraram em rota de colisão, trocando acusações mútuas. De acordo com informações obtidas pelo QP esta semana, a folha de patrocínio do clube é estimada em R$ 140 mil. A Yamada (R$ 70 mil) e o Banpará (R$ 30 mil), são os dois principais patroci

Calote à vista

Jogadores do São Raimundo cujos contratos com o clube terminam no próximo dia 30 de novembro, estão um pote até aqui de raiva com o presidente Rosinaldo Vale e o dublê de cartola Sandicley Monte. A dupla de espertalhões marcou uma reunião na tarde de ontem (2), para decidir o futuro dos atletas. Porém, quando foram indagados sobre o pagamento do salário dos jogadores, os cartolas saíram da sede do clube, dizendo que retornariam para acertar os últimos detalhes com o grupo. Não voltaram mais. Alguns jogadores já estão com passagens marcadas para retornar às suas respectivas cidades, no entanto, estão com receio de viajar e não receber seus salários atrasados. Um advogado dos atletas vindo do Rio de Janeiro deve desembarcar em Santarém nos próximos dias para tentar resolver este impasse. Os jogadores ameaçam ingressar com uma ação coletiva na Justiça do Trabalho para forçar o clube a quitar as dívidas pendentes. Leia também: Dirigentes do São Raimundo são denunciados por empre