Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo pastor e deputado Marco Feliciano

Liderados por Marco Feliciano, deputados pedem medida favorável ao pastor suspeito de estupro

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, negou o pedido de um grupo de deputados liderados por Marco Feliciano pela federalização das investigações contra o pastor Marcos Pereira da Silva. Preso há três meses sob a acusação de estuprar fieis no Rio de Janeiro, ele foi defendido por um grupo de dezessete deputados. Além de Feliciano, eis os nomes dos deputados que defendem o pastor: Pastor Eurico, Francisco Floriano, Adrian Mussi, João Campos, Alexandre Santos, Washington Reis, Jair Bolsonaro, Roberto Lucena, José Olimpio, Leonardo Quintão, Zequinha Marinho, Eduardo da Fonte, Costa Ferreira, Anthony Garotinho, Fernando Jordão, Arolde de Oliveira e Aureo Lídio Moreira Ribeiro. (AE)

MPF abre investigação para apurar violência contra manifestantes durante culto de Marco Feliciano

O Ministério Público Federal iniciou um inquérito civil público para apurar as denúncias, veic uladas em sites e redes sociais, de possível violência policial contra manifestantes durante evento da Igreja Assembleia de Deus em Santarém, oeste do Pará. Leia mais: Marco Feliciano ordena prisão de manifestantes em Santarém   Vídeo mostra truculência da PM contra manifestantes durante culto de Marco Feliciano O evento no último dia 29 incluiu um culto religioso. Os manifestantes tentaram abrir bandeira de apoio aos direitos dos homossexuais e foram abordados por seguranças da igreja, que tentaram tomar a bandeira. De acordo com relatos dos manifestantes, os seguranças os agrediram com tapas, socos e armas de choque. Nesse momento, o pastor, que era o deputado Marco Feliciano, começou a pedir, do palanque, que policiais agissem contra os manifestantes. Os pedidos do pastor estão registrados em vídeos que circulam na internet. Os relatos dos manifestantes dizem que novas agress

Vídeo mostra truculência da PM contra manifestantes durante culto de Marco Feliciano

O blog Quarto Poder disponibiliza o vídeo de uma reportagem do jornal Tapajós, do repórter Rômulo de Castro, afiliada da Rede Globo , do momento em que um grupo de manifestantes é hostilizado pelos seguranças e depois agredido por policiais militares, durante um evento realizado ontem (29), pela igreja Assembleia de Deus, na orla de Santarém (PA), que contou com a presença do deputado e pastor Marco Feliciano. As imagens acentuam a brutalidade da PM, tratando os estudantes com violência excessiva. No vídeo, o deputado Marco Feliciano aparece determinando aos meganhas a prisão dos manifestantes.  Três jovens foram presos e outros ficaram feridos por causa da truculência policial.  Fonte: No Tapajós Leia mais: Marco Feliciano ordena prisão de manifestantes em Santarém

Marco Feliciano ordena prisão de manifestantes em Santarém

Um pequeno grupo de manifestantes, que tentou bradar contra a presença do deputado Marco Feliciano, pastor evangélico e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Deputados, que participou ontem (29), na orla da cidade, em Santarém (PA), de um evento da igreja Assembleia de Deus, foi repreendido com brutalidade pela Polícia Militar. Seguranças contratados pela igreja começaram a agressão contra moças e rapazes, que sofreram violência e ainda foram vítimas da truculência policial. Três jovens foram detidos por perturbação e resistência a prisão. Outros sofreram lesões causadas pelas agressões dos policiais. A polícia também usou spray de pimenta para dispersar os manifestantes. Os jovens detidos pela PM faziam parte do pequeno grupo de manifestantes, na maioria estudantes universitários, que se opõem contra Marco Feliciano pelas recentes declarações homofóbicas feitas por ele . Quando fazia sua pregação, o pastor Marco Feliciano avistou a bandeira colorida do grupo e

Projeto 'cura gay' será arquivado pela Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou requerimento para retirada de tramitação do projeto de decreto legislativo, conhecido como projeto da “cura gay”. Com a aprovação do requerimento, apresentado pelo autor da proposta, deputado João Campos (PSDB-GO), a matéria será arquivada e não poderá ser reapresentada este ano. O projeto derruba a aplicação de dispositivos de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, em vigor desde 1999, que proíbe os profissionais de participarem de terapias para alterar a orientação sexual e de tratar a homossexualidade como doença. Todos os partidos encaminharam favoravelmente à aprovação do requerimento, a exceção foi o PSOL que encaminhou contrário à proposta. O partido queria que fosse votado o mérito da proposição para que ela fosse rejeitada e não pudesse ser reapresentada nesta legislatura, que acaba no inicio de 2015. O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) criticou a manobra para o arquivamento do projeto, com o argumento de que se fosse votado e rejeitado o

Feliciano coloca projeto favorável à 'cura gay' em votação na comissão

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, Marco Feliciano (PSC-SP), colocou na pauta de votação da próxima reunião deliberativa do colegiado o projeto de decreto legislativo que derruba determinação do Conselho Federal de Psicologia (CFP) contra tratamentos pela cura da homossexualidade. Desde que foi escolhido para presidir a comissão, Feliciano é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas. A comissão se dedica tradicionamente à defesa de minorias. Na próxima quarta-feira (8), a comissão vai analisar a proposta que pede a extinção de dois artigos da resolução do CFP. Um deles impede a atuação dos profissionais em tratamento para tratar homossexuais e qualquer ação coercitiva em favor de orientações não solicitadas pelo paciente. A outra resolução determina que psicólogos não se pronunciem de modo a reforçar preconceitos em relação a homossexuais. Na prática, a matéria autoriza psicólogos a atuarem em busca de um

Pai de Dinho, do Mamonas Assassinas, processa deputado Marco Feliciano

Depois de ver na internet as declarações do deputado Marco Feliciano sobre seu filho, Hildebrando Alves, pai do vocalista do Mamonas Assassinas, Dinho, afirmou que entrou na Justiça contra o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias na Câmara por danos morais. As informações são do jornal Diário de Guarulhos. Na semana passada, uma afirmação feita pelo pastor durante um culto passado causou polêmica. Nela, Feliciano afirma que “Deus fulminou aqueles que tentaram colocar palavras torpes na boca das nossas crianças”, e que foi Ele quem causou o acidente de avião na Serra da Cantareira que colocou fim à vida dos integrantes da banda. “Ele [Feliciano] é louco. Deus não mata ninguém, Deus é amor. O acidente que aconteceu foi uma fatalidade, eles viajavam muito de avião”, disse o pai do cantor, à publicação. Alves também reclamou da citação de Feliciano sobre o vínculo de Dinho com a Assembleia de Deus. “Quem era o Dinho? Era da igreja Assembleia de Deus em Guarulhos. Vendeu a

PSC pensa em lançar candidatura própria em 2014. Marco Feliciano quer a vaga!

Embalado na polêmica em torno do deputado pastor Marco Feliciano (SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos, o PSC ganhou visibilidade e faz planos para sair da sombra de seu maior aliado, o PMDB. Tradicional coadjuvante nas alianças capitaneadas pelos peemedebistas, o PSC já fala em lançar candidato próprio à sucessão da presidente Dilma Rousseff em 2014. A candidatura faz parte da estratégia do partido de ampliar as bancadas federais e eleger, pelo menos, um governador. Internamente, Feliciano e o vice-presidente e homem forte do PSC, pastor Everaldo Pereira, disputam a vaga de candidato. 'A decisão é que teremos candidatura própria à presidência da República', afirma Everaldo. 'Ser inteligente é fazer o que outros inteligentes fizeram. E o PT foi inteligente em fazer o Lula ser candidato à Presidência três vezes, antes de ganhar a eleição', completa. Cauteloso, ele desconversa ao ser questionado sobre a própria candidatura: 'Sou soldado do PSC, que é um

Em vídeo, Feliciano diz que Deus 'matou' Lennon e Mamonas

Em meio aos debates sobre a permanência do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, começa a repercutir na internet vídeos em que o pastor "justifica" a morte de artistas, como John Lennon e dos integrantes do grupo Mamonas Assassinas. "Ninguém afronta Deus e sobrevive pra debochar!", disse Feliciano sobre o ex-integrante dos Beatles, morto a tiros em 1980. Os vídeos foram postados nesse domingo, 7, mas as imagens de um culto religioso são mais antigas. Não é possível identificar a data da gravação. Durante sua fala, o pastor lembrou a polêmica frase de Lennon, dita na década de 1960 em uma entrevista, de que a banda era mais famosa que Jesus Cristo. "Passou algum tempo depois dessa declaração, está ele [John Lennon] dentro do apartamento, quando abre a porta e escuta alguém chamar pelo nome. Ele vira e é alvejado com 3 tiros no peito", disse Feliciano. A reportagem tentou sem sucesso contato com o gabi

PSC decide manter Feliciano na Comissão de Direitos Humanos

O vice-presidente nacional do PSC, Everaldo Pereira, afirmou nesta terça-feira que o partido irá manter o apoio ao presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano (PSC-SP), para permanecer no comando da comissão. Desde sua indicação, o deputado sofre pressão para deixar o posto por conta de declarações consideradas homofóbicas e racistas . Segundo o dirigente da sigla, o PSC "não abre mão" da indicação de Feliciano. A decisão foi anunciada após reunião da Executiva e da bancada do PSC na Câmara, na tarde desta terça. "Quero pedir respeitosamente que as lideranças de partidos da Casa respeitem a indicação do PSC. Informamos aos senhores que o PSC não abre mão da indicação feita. O deputado Marco Feliciano foi eleito pela maioria dos membros da comissão. Se tivesse sido condenado pelo Supremo nem teria sido indicado", afirmou o Everaldo Pereira. "Feliciano é um deputado ficha limpa, tendo então todas as prerrogativas de estar na presidência da Comis

Acordo com PSC pode trocar pastor Feliciano por deputada acusada de compra de voto

Assim como o presidente da CDH (Comissão de Direitos Humanos ), Marco Feliciano (PSC-SP), a deputada Antônia Lúcia (PSC-AC) — vice-presidente do órgão e nome mais cotado para substituir o colega no comando do colegiado — também está sendo investigada pela Justiça. Enquanto Feliciano é acusado por ter dado declarações racistas e homofóbicas na internet e responde a inquérito por estelionato, suspeito de receber cerca de R$ 13 mil para realizar cultos religiosos e não ter comparecido, Antônia Lúcia é acusada de caixa dois, compra de votos e abuso de poder econômico. De acordo com denúncia do MPE (Ministério Público Eleitoral), a deputada Antônia Lúcia está envolvida em distribuição de combustíveis e de bens — como aparelhagem de som, bicicletas, computadores, motores para barcos e geradores de energia — em troca de votos. Além disso, segundo informações do TRE-AC (Tribunal Regional Eleitoral do Acre), Antônia Lúcia é acusada de captação de votos de fiéis de igrejas, utilização ilíci

Presidente da Câmara quer Feliciano fora da Comissão Direitos Humanos

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), se reuniu na tarde desta quarta-feira (20) com o líder do PSC, André Moura (SE), para discutir sobre a situação do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), atual presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa. Segundo Moura, o presidente da Câmara fez um apelo para que o deputado renuncie ao cargo na comissão, voltada à defesa das minorias. Feliciano é alvo de protestos pelo país em razão de declarações consideradas homofóbicas e racistas. O líder do PSC se comprometeu com Henrique Alves a conversar com o pastor paulista sobre a possibilidade de ele deixar o comando da comissão. Deputados vão entrar com ação na Justiça contra vídeo de Feliciano “O presidente [Henrique Alves] fez um apelo para que a gente converse com o pastor Marco Feliciano e analise a possibilidade de ele deixar a presidência da comissão. Vamos cumprir o apelo do presidente. Vamos conversar com o pastor e fazer uma avaliação das manifesta

Pastor Feliciano divulga vídeo com ataques a opositores e manifestantes

O pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, divulgou vídeo que ataca opositores políticos e lideranças do movimento pelo fim da homofobia. A divulgação do vídeo intitulado “Marco Feliciano renuncia” foi feita nesta segunda-feira na conta do pastor no microblog Twitter . O vídeo postado no Youtube pela Wap TV Comunicação, que tem Feliciano e o pastor Silas Malafaia como clientes, começa dizendo: “Feliciano, cansado, sobrecarregado, caluniado”. Com imagens de protestos contra o deputado e sessões da comissão, a narração fala que a comissão sempre foi presidido por “simpatizantes de movimentos homossexuais” que fazem “discursos políticos inflamados contra cristãos”. O vídeo qualifica como "rituais macabros" os protestos contrários a Feliciano. Ao final, o vídeo diz que Feliciano decidiu “renunciar, renunciar sua provacidade, renunciar noites de paz e sono tranquilo, renunciar momentos preciosos com a própria família, a